Intergeo reúne 16 mil profissionais em Hanover, na Alemanha. O MundoGEO esteve presente e traz informações exclusivas

Por Eduardo Freitas
Intergeo Novidades da geomática aparecem primeiro aqui
O MundoGEO esteve presente na Intergeo, Conferência e Feira de Geodésia, Geoinformação e Gestão Territorial que aconteceu de 11 a 13 de outubro em Hanover, na Alemanha. A edição de 2012 da maior conferência mundial do setor apresentou uma área de exposição de 28 mil metros quadrados e mais de 140 apresentações focadas no valor dos dados geográficos e econômicos.

O Intergeo se tornou, ao longo de seus quase 20 anos, o maior evento global de geotecnologias, com mais de meio milhão de usuários no seu website, 500 empresas na exposição, 16 mil visitantes na feira, provenientes de 80 países. Em Hanover, cerca de 1.400 participantes da conferência foram envolvidos no diálogo interdisciplinar em 40 áreas temáticas da Convenção, com destaque para o escaneamento a laser, modelagem 3D e otimização de processos.

Palestrantes de renome internacional estiveram no Intergeo 2012, como Cornelia Rogall-Grothe, secretária de estado do Ministério do Interior da Alemanha, que destacou o potencial da indústria de geoinformação, em um mercado anual com 40 bilhões de euros e 30 mil novos postos de trabalho nos próximos cinco anos.

O Conselho de Mapeamento Geodésico Europeu (CLGE, na sigla em inglês) organizou a 3ª Conferência Europeia de Agrimensores e seu encontro geral anual, como parte das atividades do Intergeo, com o tema “Proteção da Propriedade na Europa”, um tópico importante em época de crise econômica e financeira.

A primeira Conferência Nacional da Infraestrutura Europeia de Dados Espaciais (Inspire), organizada pelo Ministério Federal do Interior e a Sociedade Alemã de Geodésia, Geoinformação e Gestão Territorial (DVW, na sigla em alemão), foi um dos eventos de maior destaque do Intergeo. Este encontro também tratou de assuntos chave para a Europa, com menos foco na questão técnica e mais ênfase na dimensão política da Inspire e a infraestrutura de dados geoespaciais da Alemanha, com particular referência a dados abertos.

Estudantes da União Europeia foram convidados pelo CLGE e a DVW para o Encontro Europeu de Estudantes (ESM, na sigla em inglês), um espaço para a troca de experiências e geração de redes de contatos com possíveis empregadores.

Feira

A feira de produtos e serviços do Intergeo contou com uma variedade de setores cobrindo todo o espectro das geotecnologias, desde mapeamento, geoinformação, sensoriamento remoto e aerofotogrametria. Um destaque deste ano foi a integração dos tablets e smartphones à cadeia de produção.

Na área de modelagem de cidades, pesquisadores estão continuamente melhorando algorítimos para modelagem automática de edificações e, em particular, para geração foto-realística de fachadas. A integração de visualizadores em 3D na web com o GIS 2D era outro destaque na feira do Intergeo. Já o laser scanner oferece uma fonte de dados que, em sua essência, já é tridimensional. Podendo ser utilizado no modo estático ou móvel, o escaneamento a laser continua a ser uma tendência no setor de geomática para mapeamento de estradas, ferrovias, as-built, etc..

Uma tendência no Intergeo do ano passado, os Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) chegaram em 2012 com toda a força, com mais de 15 diferentes modelos na feira, um aumento significativo em pouco tempo.

Este ano, a comunidade de software aberto teve seu próprio estande no Intergeo, com aproximadamente 10 companhias e projetos, como o Open-
StreetMap, MapGuide, Mapbender, QuantumGIS e outros, sob a coordenação da FossGIS.

Encontro de lideranças

No segundo dia do evento, o destaque ficou por conta de um encontro entre lideranças do setor, com a presença de Karl Throne, presidente da DVW, Steve Berglund, presidente da empresa Trimble, Teo CheeHai, presidente da Federação Internacional de Agrimensores (FIG), Jean-Yves Pirlot, presidente do CLGE, Andreas Scheuer, representando o Ministério do Transporte, Construção e Desenvolvimento Urbano (BMVBS, na sigla em alemão), e Arnulf Christl, presidente da Fundação Geoespacial Livre (OSGeo).

Os números do Intergeo demonstram que o setor de geotecnologia tem força para crescer mesmo em tempos difíceis. Para Hagen Graeff , mediador do encontro, “mesmo em um momento de crise econômica, não há motivos para não continuarmos crescendo”. Andreas Scheuer expôs a posição do governo alemão, em apoiar eventos de tecnologia como o Intergeo, e comentou que é importante que a indústria de navegação tenha cada vez mais espaço em encontros como este.

Intergeo 2 Novidades da geomática aparecem primeiro aqui

Jean-Yves Pirlot, Teo CheeHai, Steve Berglund, Karl Throne, Hagen Graeff (mediador), Andreas Scheuer e Arnulf Christl

Arnulf Christl, da OSGeo, bateu na tecla de que dados públicos devem ser abertos. “Mais importante que falar de software livre é debater os dados livres”. Na sequência, Steve Berglund foi instigado pelo mediador a falar sobre a importância da qualidade de dados em processos críticos, como construção e infraestrutura. “Não deve-se trabalhar com um padrão universal de qualidade, pois ela depende de cada tipo de aplicação”, comentou.

Teo CheeHai, representando a FIG, ressaltou o trabalho diário dos cartógrafos e agrimensores, mas fez uma provocação. “Somos bons na representação da realidade, porém mais do que ser um técnico de campo ou de escritório, é preciso transformar os dados em informação, e a informação em conhecimento”. Jean-Yves Pirlot, da CLGE, falou sobre o uso do Galileo e Egnos em aplicações de alta precisão, e sobre o papel fundamental da Inspire na organização da geoinformação na Europa.

Karl Thone, representando a DVW, falou que praticamente todos os setores da economia têm relação com geo e com o Intergeo. “Aqui estão sendo debatidas as ‘mega-tendências’ da sociedade atual”. Para complementar, comentou que “estamos sentados sobre uma mina de ouro”, referindo-se aos dados geoespaciais que os órgãos públicos possuem e não disponibilizam à sociedade. “Temos que liberar este potencial”, concluiu.

2013 e além…

Olaf Freier, CEO da empresa Hinte, organizadora do evento, avaliou positivamente o Intergeo 2012. “O mercado de geoinformação é um dos setores mundiais de maior crescimento e o Intergeo vai continuar a aumentar o seu papel como um lugar de encontro para a indústria”, diz.

Durante o Intergeo 2012 houve o anúncio de uma parceria global com as empresas Trimble, Esri e Hexagon, que farão parte de um Conselho Consultivo para auxiliar nas decisões sobre os rumos do evento a partir do próximo ano.

Em 2014 o Intergeo irá pela primeira vez à Eurásia, mais precisamente para a cidade de Istambul, na Turquia, atendendo especificamente às necessidades dessa região. Segundo Olaf, “este passo é uma resposta à estratégia de internacionalização de inúmeros parceiros do Intergeo. O objetivo é estabelecer um conceito voltado especificamente para as circunstâncias nessa área econômica”.

Parceria Intergeo e MundoGEO

A MundoGEO esteve pela primeira vez na Intergeo em 2011, em Nuremberg, quando foi firmada uma parceria de divulgação do evento global na América Latina. Em 2012, além de divulgar ainda com mais intensidade o evento, a MundoGEO ocupou um estande na feira. Neste ano foram debatidas, junto à organização do Intergeo, novas formas de ampliar ainda mais a parceria e de aproximar as comunidades da América Latina com o evento europeu.

Vários profissionais latino-americanos já visitam regularmente a Intergeo. Por outro lado, este ano o evento MundoGEO#Connect LatinAmerica teve participantes de mais de 27 países. “Comentamos com o Olaf da possibilidade de criar projetos que ampliem estes números nos dois eventos”, comentou Emerson Granemann, diretor e publisher da MundoGEO. “Uma ideia é ter uma ‘Ilha Brasil’ na feira do Intergeo 2013, que será realizada em Essen, na Alemanha. Para isso, a MundoGEO já está conversando com algumas empresas brasileiras que desejem ampliar seus negócios”.

A MundoGEO consultou o governo brasileiro, visando buscar recursos de apoio desta iniciativa de exportação de serviços para o mundo. Mais informações sobre este projeto podem ser obtidas pelo e-mail emerson@mundogeo.com.

Outra opção é abrir oportunidades para que as empresas europeias, que participam da Integeo, possam atuar no mercado brasileiro em parceria com as empresas locais. Durante a visita aos estandes na Intergeo, muitas demonstraram interesse em atuar na nossa região, tento em vista o bom momento econômico que estamos passando. Desta forma, a MundoGEO pode fortalecer esta ponte de ligação entre Europa e América Latina.