Em reunião realizada em São Paulo (SP), na última terça-feira (23/4), 17 empresas da área de geoinformação assinaram um acordo para fundar o Instituto Brasileiro de Empresas de Geomática e Soluções Geoespaciais (IBG). O encontro foi realizado na sede da Associação Brasileira de Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde), com participação da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex).

O novo Instituto configura-se como uma entidade sem fins lucrativos, que tem como missão promover o desenvolvimento do mercado nacional de Geomática e Soluções Geoespaciais, visando criar uma indústria competitiva, sustentável, ética e socialmente responsável. Os principais objetivos do IBG são representar o setor nos importantes fóruns de governo como a Comissão Nacional de Cartografia (Concar), desenvolver e disponibilizar estudos e análises de mercado econômicos e de empregabilidade do setor, influenciar positivamente a formulação de políticas públicas e a regulamentação das empresas, visando melhorar o ambiente de negócios, a livre competição e a atratividade dos investimentos. Por último, formular, desenvolver e executar projetos de fomento à exportação dos produtos e dos serviços de geotecnologia dos seus associados.

Durante reunião, foi constituído um conselho deliberativo provisório.  A expectativa do Conselho é realizar, nos próximos 60 dias, uma assembleia para eleger o primeiro conselho deliberativo e diretoria do Instituto, para um mandato com duração de três anos. O local provável desta assembleia será durante o evento MundoGEO#Connect LatinAmerica 2013, que acontece em São Paulo, de 18 a 20 de junho.

Fundadores

Assinaram como fundadores do Instituto Brasileiro de Empresas de Geomática e Soluções Geoespaciais (IBG) os dirigentes das empresas Furtado & Schmidt, Embratop, Engemap, Imagem, Unidesk, Alezi Teodolini, Geoambiente, MundoGEO, Métrica, Leica Geosystems, Inovação, Geoconsult, Santiago & Cintra Geo-Tecnologias, Santiago & Cintra Consultoria, Satmap, Sisgraph e Somenge.

Na reunião esteve presente também a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX) representada por Marcio Dias Almeida, que destacou histórias de sucesso de demais institutos e associações setoriais que ampliaram os negócios de seus associados no mercado externo.

“Foi um consenso geral na reunião que o novo Instituto terá um papel importante a ocupar como porta-voz do setor e que o tom, intensidade e volume de suas ações será definido pelas estratégias que seus associados – em consenso – definirem como prioritárias para o setor”, explica Emerson Granemann, presidente do conselho deliberativo provisório do IBG e Diretor da MundoGEO.

Associação

Podem fazer parte do Instituto empresas da cadeia produtiva do setor de coleta, processamento, representação e análise de dados geoespaciais, prestadoras de serviços de agrimensura e topografia, consultoria, desenvolvimento de sistemas, mapeamento, cadastramento, serviços de localização. Ainda, fornecedores de produtos como: sensores remotos, equipamentos topográficos e geodésicos, dados geográficos, imagens de satélites, softwares topográficos, análise espacial, sistemas de informações geográficas e processamento de imagens, hardware para o setor de geo e veículos aéreos não tripulados (VANTs).

Em breve será divulgada a convocação da Assembleia, com data, local e horário, e será lançado um site do Instituto com informações para as empresas interessadas em se associar. Em recente pesquisa feita pelo MundoGEO, mais de 30 empresas manifestaram interesse em participar do Instituto. A meta dos fundadores é ter, até o final de 2013, mais de 50 empresas associadas.

Instituto Brasileiro de Geomática e Soluções Geoespaciais Empresas fundam o Instituto Brasileiro de Geomática e Soluções Geoespaciais

Reunião reuniu 17 empresas e criou o Instituto Brasileiro de Empresas de Geomática e Soluções Geoespaciais (IBG)