Nova plataforma conta com 4,6 GB de informações distribuídos em 25 bases disponíveis para download, sem restrições de licenças

A Prefeitura de São Paulo dá mais um importante passo na abertura de dados e modernização da gestão, ampliando os mecanismos de obtenção de informações qualificadas e detalhadas sobre a cidade. A página “Dados Abertos“, agora disponível no site da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU), permite a qualquer pessoa encontrar e utilizar informações em formato aberto, incluindo a compilação dos processos de Outorga Onerosa e Estoques de Potencial Construtivo, do município, recebidos pela SMDU, no Departamento do Uso do Solo (DEUSO), em uma série histórica de 2002 a julho de 2013.

Plataforma Dados Abertos Prefeitura de SP disponibiliza dados geoespaciaisAo todo são 4,6 GB de informações distribuídos em 25 bases, divididas entre estatísticas georreferenciadas e bases geoespaciais, cada uma delas acompanhadas por metadados (descrição do conteúdo) e dicionário (descrição das variáveis).

Entre as variáveis dos dados da base dos processos de Outorga Onerosa disponíveis, estão os dados gerais da Proposta, número do Processo, Setor, Quadra, Lote, Endereço, coordenada geográfica, conforme o Mapa Digital da Cidade, Distrito, Área Terreno (m2), CAB (coeficiente de aproveitamento básico) Projeto, CAB Utilizado, Categoria de Uso, Tipo de Uso, Área Excedente (m2), Valor da Contrapartida, Situação e Alvará.

Todos os arquivos estão disponíveis para download, podendo ser livremente consultados, trabalhados, reutilizados, redistribuídos, sem restrições de licenças, patentes ou mecanismos de controle, apenas indicando-se os créditos devidos.

Abertura dos Dados

A nova seção “Dados Abertos” é resultado de nove meses de trabalho dos técnicos da SMDU, com o apoio da Controladoria Geral do Município, que vem se reunindo desde abril de 2013, para organizar e disponibilizar o acervo de dados urbanos em formato aberto.

O processo foi realizado em quatro etapas, divididas entre o Inventário das bases estatísticas e geoespaciais existentes (produzidas internamente ou por terceiros); Elaboração de Metadados; Elaboração de dicionários de dados com nomes e descrição de cada variável e reunião de todas as bases de dados acompanhadas de seus respectivos metadados e dicionários de dados em um único servidor .

Com os novos dados, pesquisadores, estudantes, organizações da sociedade civil e público interessado passam a obter subsídios para desenvolver estudos, pesquisas, plataformas web, aplicativos e softwares, que ajudarão o município e seus moradores, a promover a melhoria de serviços, por meio da inovação e criatividade, contribuindo para uma maior participação da sociedade junto ao governo municipal.

Geoinformação e cidades inteligentes

A Geoinformação é componente essencial para a gestão eficaz de municípios, e sua importância vem sendo amplamente discutida no âmbito do conceito de Cidades Inteligentes (ou Smart Cities), a mais recente inovação tecnológica discutida nos mais diversos fóruns mundiais que abordam o tema da sustentabilidade para cidades do futuro.

Este assunto será apresentado em duas atividades do MundoGEO#Connect LatinAmerica, Conferência e Feira de Geomática e Soluções Geoespaciais, será realizada de 7 a 9 de maio de 2014, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo (SP).

Acesse a página do Seminário Geoinformação para Municípios e do Curso Geoinformação na Gestão Municipal para saber mais!