Governo federal avança, mas precisa ouvir mais

Estamos num momento positivo de valorização do uso da geoinformação no planejamento da gestão pública no Brasil. Coordenadas pelo Ministério do Planejamento, iniciativas como o recém-criado Fórum Intergovernamental de Gestores Públicos da Geoinformação (FIGG) vêm abrindo espaços importantes.

A criação deste fórum foi uma alternativa interessante para “driblar” as ações burocráticas da Comissão Nacional de Cartografia (Concar) que, ao longo de décadas, não tem conseguido promover significativos avanços na integração da comunidade do setor.

reuni+debate+def+acao Política Nacional de Geoinformação A meta principal desse fórum é acelerar as discussões para a construção de uma Política Nacional de Geoinformação, objetivo atual da Concar. Nota-se, nesses movimentos, um maior dinamismo nas discussões e um maior envolvimento dos representantes dos diversos setores governamentais federais e estaduais. As universidades, apesar de envolvidas nas Jornadas Inde Academia, não têm participado de forma mais efetiva no FIGG. Tampouco a iniciativa privada e a comunidade de profissionais do setor têm presença marcante nessas discussões.

A Associação Nacional de Empresas de Aerolevantamento (Anea) já foi convidada, mas ela representa uma pequena parcela do setor. Espera-se que o recém-criado Instituto Brasileiro de Empresas de Geomática e Soluções Geoespaciais (IBG), que congrega empresas de toda a cadeia produtiva do setor, também seja convidado.

As associações de profissionais das áreas de Geografia, Cartografia e Agrimensura também deveriam participar destas discussões do FIGG, assim como se espera uma participação mais efetiva das universidades que oferecem cursos na área.

Enfim, neste momento importante de mudança de paradigmas, o governo muda não só a palavra “cartografia” para “geoinformação”, mas muda também seu posicionamento em relação à importância do planejamento como pré-requisito para a gestão pública inteligente. Desta forma, a geoinformação e a análise geoespacial se fortalecem como ferramentas essenciais para auxiliar na modernização dos processos decisórios no país nas esferas federal e estadual e, por inspiração, na municipal.

EmersonZanonGraneamm Política Nacional de Geoinformação   Emerson zanon Granemann
Engenheiro cartógrafo,
Diretor e Publisher do MundoGEO
emerson@mundogeo.com