Segundo a Agência Espacial Europeia (ESA), tirar conclusões precipitadas sobre as possíveis causas e consequências do incidente com os dois satélites do sistema de navegação Galileo antes do fim da investigação, conduzida pela União Europeia (UE) e pela Rússia, configura uma situação inapropriada. Assim afirmou um porta-voz da Russian Rocket and Space Corporation (URSC).

Artist s view of one of the first two FOC satellites node full image 21 Conclusões sobre a falha com os dois satélites Galileo são precipitadas

Satélite Galileo. Ilustração: ESA

“Enquanto a comissão ainda está trabalhando, é inadequado e demasiado cedo para especular diferentes versões e tirar conclusões precipitadas sobre as razões que causaram a falha ao colocar os satélites em órbita”, disse o diretor de política de informação da URSC, Igor Burenkov.

Em 22 de agosto, os satélites Galileo a bordo de um foguete russo Soyuz – a partir da base espacial da União Europeia em Kourou, na Guiana Francesa – foram colocados em uma órbita mais baixa do que o esperado.

O jornal russo Izvestia citou uma fonte não identificada da agência espacial russa Roscosmos, dizendo que o fracasso do lançamento dos satélites Galileo provavelmente foi causado por erros de software.

Os satélites fazem parte do programa Galileo, projetado para fornecer uma alternativa europeia ao GPS americano e os sistemas de navegação russo, o Glonass.

Fomte: GPS Daily