Empresa ganha novo investidor e tem meta de atingir um faturamento de R$ 100 milhões a médio prazo com foco em novas tecnologias e aquisições

1526902 480964165370340 4471256097735586868 n Geofusion recebe aporte superior a R$ 35 milhões com foco em expansão de mercadoA Geofusion, empresa especializada em inteligência geográfica de mercado, ou Geomarketing, recebe aporte superior a R$ 35 milhões. O negócio envolve a chegada do gestor de fundos de participações (private equity) DGF Investimentos à empresa. Este é o terceiro round de investimentos da Geofusion, que já havia recebido aportes do fundo Criatec (em 2011) e da Intel Capital (em 2013).

O foco principal desse novo investimento é consolidar e acelerar o crescimento que a Geofusion vem apresentando nos últimos dois anos. Desde 2013, a empresa viu sua carteira de clientes crescer mais de 100% (passou de 150 para 320), ampliou seu faturamento cerca de 200% e mais que dobrou seu número de funcionários. Neste novo momento da empresa, há uma meta agressiva de atingir um faturamento de R$ 100 milhões a médio prazo, duplicar novamente sua equipe e triplicar seu espaço físico.

A expansão da Geofusion acompanha o crescimento da importância que a Inteligência geográfica de mercado vem ganhando e que se tornou fundamental para as empresas rentabilizarem suas operações e lidarem com a crise. “Temos uma plataforma SaaS que ajuda empresas de diferentes verticais de negócios a tomar decisões para aumentar a rentabilidade e melhorar a gestão. Muitas empresas têm se valido do Geomarketing para rever investimentos, priorizar ações e rentabilizar suas operações. Cada vez mais o executivo brasileiro busca inteligência para a sua tomada de decisão e, em um período de crise, isso se torna ainda mais forte”, afirma Pedro Figoli, CEO da empresa.

Segundo Frederico Greve, sócio diretor do DGF, o modelo de negócio da Geofusion, de soluções com foco em B2B, se encaixa na estratégia de investimentos do gestor. “Vimos na Geofusion algumas das características mais importantes que consideramos na hora de realizar um investimento, como um time de gestão com experiência e motivação, relevância estratégica do produto para o cliente, tecnologia proprietária e de ponta, um modelo de negócio escalável e a clara liderança no segmento. Estas características, somadas à estratégia desenhada durante o processo de negociação entre a Geofusion e seus investidores, colocam a companhia em um posicionamento de destaque no mercado brasileiro”, afirma.

Com o aporte, a Geofusion vai investir pesado em tecnologia de ponta e inovação. “Vamos aprimorar nossa plataforma SaaS com novas soluções em analytics e big data. A ideia é proporcionar a nossos clientes algoritmos sofisticados com grandes volumes de dados, alguns deles em tempo real”, afirma Figoli. Segundo ele, a Geofusion pretende fazer aquisições a partir de 2016, quando deve buscar empresas inovadoras que atuem com analytics, big data e serviços/produtos complementares à sua plataforma.

Essa preocupação com a inovação e a tecnologia foi um dos fatores primordiais para os investimentos na empresa. “A Geofusion é inovadora e está além do seu tempo. A companhia e sua equipe não poupam esforços para levar até as empresas de diversos segmentos da economia, inteligência de mercado e ferramentais inovadores, o que está totalmente dentro da nossa estratégia de investimentos”, afirma Frederico Greve.

Segundo Pedro Figoli, as entradas do Criatec em 2011 e da Intel Capital em 2013 foram fundamentais para manter a Geofusion na liderança deste mercado. “Conseguimos triplicar a área comercial e investir na área de marketing focada na geração de leads. Além disso, implantamos boas práticas de Governança Corporativa que foram decisivas na hora de atrair o novo investidor”.

Com a nova movimentação de investidores, a Criatec sai de cena e realiza o desinvestimento na Geofusion, que pode ser considerada um caso de sucesso por ter um retorno de investimento que superou as expectativas do fundo. “Sempre a consideramos uma empresa inovadora e acreditamos em seu potencial. Ajudamos em sua estruturação e colaboramos com o plano de negócios que ajudou a empresa a crescer. Agora temos esse sentimento de dever cumprindo e a certeza que a Geofusion vai continuar seu processo de expansão e atingindo novos mercados”, afirma Robert Binder, co-gestor nacional do fundo Criatec.

Um dos pontos chave para a empresa agora é dobrar sua equipe de vendas e investir na evangelização do mercado de Geomarketing. Parte do capital será alocado no desenvolvimento de uma área comercial com abrangência nacional. Esta estratégia é importante pois os clientes da Geofusion são empresas de todos os portes e estão espalhadas pelo território brasileiro. “Temos um mercado ainda verde que tem um potencial de crescimento imenso”, conclui Figoli.

Sobre a Geofusion

Há 19 anos no mercado, a Geofusion é a maior empresa de Inteligência Geográfica de Mercado do Brasil. Por meio da sua plataforma SaaS de Geomarketing, o OnMaps, a empresa apoia seus clientes em áreas como planejamento estratégico, expansão, marketing, inteligência de mercado, vendas e gestão de negócios. A Geofusion está na 47ª posição do ranking das 200 Pequenas e Médias Empresas que Mais Crescem no Brasil, organizado pela revista Exame PME.

http://www.geofusion.com.br / blog.geofusion.com.br

Sobre o DGF Investimentos

Fundado em 2001, o DGF Investimentos é especializado em investimentos em participações no Brasil e gere uma família de fundos focados em negócios de tecnologia de informação e serviços de alto potencial de crescimento. Com aproximadamente R$ 700 milhões em ativos sob gestão, o DGF Investimentos já realizou mais de trinta investimentos com 19 saídas, incluindo vários casos de sucesso, traduzido em elevada rentabilidade. É detentor de 4 prêmios Inovar, sendo 3 deles na categoria operação do ano. www.dgf.com.br

Sobre o Criatec:

Nascido a partir de iniciativa do BNDES e mantido por um consórcio de gestores formado entre Antera Gestão de Recursos S.A. e a Inseed Investimentos Ltda, do Grupo Instituto Inovação S.A, o Criatec é um Fundo de Investimentos de capital semente destinado à aplicação em empresas emergentes inovadoras. Tem como objetivo obter ganho de capital por meio de investimento de longo prazo em empresas em estágio inicial (inclusive estágio zero), com perfil inovador e que projetem um elevado retorno.

Além do investimento, o Criatec participa ativamente da gestão das empresas, dando suporte estratégico e gerencial ao empreendedor, ajudando na seleção e formação da equipe, definindo metas e acompanhando os resultados. O estilo é “mão na massa” e o objetivo é a construção em conjunto. A carteira do Criatec cresce de forma consistente acima de 60% a.a. desde 2008.www.fundocriatec.com.br