IMG 4193 400x267 Drones no mapeamento de uso e cobertura do solo em Alta Floresta

Maior refinamento das informações espaciais auxilia na tomada de decisões. Foto: Raíssa Genro/ICV

O Instituto Centro de Vida (ICV) e o Laboratório de Sensoriamento Remoto e Geotecnologias (LabSensoR), da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), utilizaram drones para gerar imagens de altíssima resolução que permitiram identificar com precisão a situação do uso e cobertura do solo na região de Alta Floresta, no norte do estado de Mato Grosso.

O levantamento aéreo de imagens aconteceu entre os dias 1º e 4 de julho e possibilitou o apuramento de indicadores de avaliação do sucesso da implantação de áreas de restauração florestal em propriedades rurais na região de Alta Floresta.

As áreas onde foram feitas as imagens do levantamento fazem parte do Programa Novo Campo, que visa promover práticas sustentáveis em fazendas de pecuária da Amazônia e do projeto Olhos d’água da Amazônia, que apoia o fortalecimento da gestão ambiental no município de Alta Floresta.

“É uma fotografia detalhada da realidade do uso e cobertura do solo, sendo possível identificar a situação das áreas de uso agropecuário, em processo de regeneração natural, as diferentes tipologias da vegetação nativa e como andam as Áreas de Preservação Permanente (APP) em restauração na região”, explica Vinicius Silgueiro, coordenador do Núcleo de Geotecnologias do ICV.

Informações confiáveis para tomada de decisão

O processamento das imagens foi coordenado pelo professor Gustavo Manzon junto de sua equipe do LabSensoR,  em que propôs, também, a produção de Modelos Digitais de Elevação (MDE). “Os MDEs representam o relevo e altura dos elementos acima da superfície, sendo possível inclusive estimar o porte da vegetação presente nas áreas imageadas”, explica Nunes. Além do mais, o professor ressalta que  o maior refinamento das informações espaciais auxilia, também, na tomada de decisões e no planejamento da gestão ambiental.

Participaram também dos levantamentos professores e alunos da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), com a intenção de utilizar os dados para produção científica sobre o uso e cobertura do solo da região de Alta Floresta.

As imagens obtidas através do levantamento aéreo, realizado pelos drones, se encontram muito mais precisas que as de satélite, o que possibilitam um diagnóstico detalhado das APPs degradadas, associadas aos cursos d’água e nascentes e, a partir daí, os produtos gerados serão utilizados para o planejamento da implantação da restauração florestal, visando a constituição de corredores ecológicos, com objetivo de conectar remanescentes de vegetação nativa existentes na paisagem.

A parceria integra o projeto Soja Responsável – uma abordagem territorial, financiado pelo The Sustainable Trade Initiative (IDH) que se propõe a discutir o desenvolvimento da região norte de Mato Grosso envolvendo questões sociais, culturais, econômicas e ambientais com um olhar para que os produtos locais levem em conta estes diversos aspectos, ampliando assim o trabalho do ICV na busca pelo desenvolvimento de cadeias produtivas sustentáveis, já experimentado com a pecuária, através do Programa Novo Campo.

Fonte: ICV

Mapeamento e Monitoramento com Drones

No maior evento de drones da América Latina, o DroneShow 2016, foi tema de seminário o Mapeamento e Monitoramento com Drones, onde foram apresentadas as experiências com imagens coletadas por veículos aéreos não tripulados para produção de mapeamento para diversas aplicações.

Foi dada atenção especial às etapas de coleta e processamento dos dados, ganhos de produtividade e a precisão dos levantamentos. E teve destaques as comparações com os processos tradicionais de fotogrametria a partir de aviões e ao novas soluções usando imagens coletadas por sensores em Drones. Confira o vídeo oficial do evento:

A próxima edição do DroneShow já está marcada para 9 a 11 de maio de 2017 em São Paulo (SP).

Fonte: DroneShow