Técnicos do Incra iniciaram, na quarta-feira (21), os testes finais de utilização de Veiculo Aéreo Não Tripulado (VANT) para o georreferenciamento de lotes em projetos da reforma agrária

incra1 300x225 Incra irá utilizar Drones para realizar parcelamento de assentamentos

A área escolhida para experimento foi o assentamento Colônia II, no município de Padre Bernardo (GO), a pouco mais de cem quilômetros de Brasília (DF). O veículo realizou dez sobrevoos na área de 600 hectares do assentamento, onde residem 23 famílias de agricultores.

O teste realizado é resultado de um acordo de cooperação entre a Universidade de Brasília (UnB) e o Incra. Além da utilização do equipamento, a instituição de ensino irá treinar a equipe da autarquia que vai operar o equipamento e atuar no processamento das imagens obtidas pelos veículos. Um grupo de 15 pessoas deve receber o treinamento em outubro. Após essa capacitação, os técnicos estarão aptos a operar os três VANTs em aquisição pelo Incra.

A modernização no processo de georreferencimento dos lotes dos assentamentos da reforma agrária, por meio da utilização dos VANTs, resulta na aceleração dos processos de certificação e na regularização de imóveis rurais. Atualmente, a certificação de imóveis necessita da mobilização de equipes técnicas para ir a campo, num processo que pode chegar a seis meses ou mais. Estima-se que a utilização da tecnologia reduza esse tempo pela metade. “Além de garantir agilidade no processo, o Incra também ganhará na economia de recursos humanos e financeiros”, diz o Coordenador Geral de Cartografia da autarquia, Cláudio Roberto Siqueira da Silva.

Processo

Na prática, uma equipe composta por dois pilotos, um especialista em processamento de imagens e um técnico de apoio realizará o trabalho na área definida. O tempo para a coleta dos dados varia conforme o tamanho do assentamento e as condições climáticas. Em média, a coleta de dados em campo dura dois dias.

As imagens são processadas e, com base no pré-projeto de parcelamento, os lotes são definidos e vetorizados. Por fim, os dados são convertidos em planilha e submetidos ao Sistema de Gestão Fundiária do Incra (Sigef) para validação e certificação. “A certificação é um dos pré-requisitos para que o Incra possa titular os lotes da reforma agrária,” diz Cláudio Siqueira.

O engenheiro agrimensor Marcelo Cunha, da Superintendência Regional do Incra em Minas Gerais, afirma que as imagens colhidas pelo veículo possuem alta qualidade e precisão geométrica. Segundo ele, nos casos onde não houver conformidade entre as imagens de coordenadas ou espacialização de limites consolidados, como cercas, estrada e outros, um técnico pode ser deslocado para fiscalizar in loco. “Isso nos poupa tempo e dinheiro”, diz.

Equipamentos

O Incra já iniciou o processo de compra de três veículos aéreos não tripulados por meio de pregão eletrônico. Segundo o cronograma da Coordenação Geral de Cartografia, os equipamentos deverão estar prontos para operação no início de 2017.

Veja também: Exército Brasileiro lança especificação para mapeamento topográfico de grandes escalas