Até o presente momento, a porção central do Estado de Santa Catarina (SC) (Figura 1) permanece como a única área de vazio cartográfico da região sul do País na escala de 1:50.000 ou maiores

figura materia mundogeo Map Int FT SC2 300x250 Exército Brasileiro produz dados para cobrir vazio cartográfico na Região Sul do país

Figura 1 – Área do Vazio Cartográfico na escala 1:50.000 do Estado de Santa Catarina.

Por atribuição legal, a Diretoria de Serviço Geográfico (DSG) do Exército Brasileiro é responsável pela produção da geoinformação básica de interesse da Força Terrestre e da Sociedade na região sul do País, por intermédio de uma das suas cinco Organizações Militares Diretamente Subordinadas, no caso, a 1ª Divisão de Levantamento (1ª DL), sediada na cidade de Porto Alegre-RS.

Devido à aquisição de dados geoespaciais de alta resolução espacial pelo Governo Estadual de SC, por intermédio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS/SC), surgiu a oportunidade de serem confeccionados novos produtos cartográficos da região em questão. O Governo Estadual, em parceria com a DSG, fez a cessão desses dados livremente para a 1ª DL, que está encarregada da produção de 42 (quarenta e duas) cartas topográficas do mapeamento sistemático, com a finalidade de eliminar o vazio cartográfico na escala 1:50.000 da Área de Suprimento Cartográfico (ASC) da 1ª DL.

Os dados geoespaciais (ortoimagens, modelos digitais do terreno e de superfície, dados vetoriais de hidrografia e altimetria) fornecidos pela SDS/SC estão sendo empregados como insumos necessários para o desenvolvimento do mapeamento topográfico. Os dados vetoriais fornecidos foram inicialmente convertidos para a modelagem prevista na Especificação Técnica para Estruturação de Dados Geoespaciais Vetoriais (ET-EDGV), que contempla a modelagem conceitual e lógica para as feições da Cartografia Terrestre, até a escala de 1:25.000. Em seguida, esses dados vetoriais foram corrigidos, atualizados e complementados em gabinete, com as demais feições cartográficas (planimetria e vegetação). Concluída a etapa de aquisição dos dados geoespaciais em gabinete, o que ocorreu no final de setembro de 2016, as equipes de campo se deslocaram para a realização do trabalho de coleta e confirmação de informações no terreno (reambulação), com previsão de conclusão em meados de dezembro de 2016. A previsão é que, no início do 2º semestre de 2017, os produtos geoespaciais gerados estejam disponíveis para os usuários de geoinformação.

Em função da resolução espacial das imagens, da aquisição em gabinete apoiada em fontes abertas de geoinformação na web e do trabalho de reambulação, será possível produzir também o mapeamento de 168 folhas na escala 1:25.000. Serão gerados, dentre os fornecidos pela SDS/SC e os elaborados pela 1ª DL, diversos produtos geoespaciais (planialtimétricos), compatíveis com a escala de 1:50.000 e 1:25.000, tais como: cartas topográficas, ortoimagens coloridas, modelos digitais do terreno e dados geoespaciais vetoriais que atendem as especificações técnicas que compõem a Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (INDE). Os produtos gerados estarão disponíveis no Banco de Dados Geográficos do Exército (BDGEx), que é o nó do Exército na INDE, no seguinte endereço na internet: http://www.geoportal.eb.mil.br/mediador/.

O mapeamento topográfico dessa região de vazio cartográfico do Estado de SC está inserido no permanente esforço do Exército Brasileiro, por intermédio da DSG, de produzir a geoinformação atualizada e de referência do território nacional.

Veja também: Exército Brasileiro realiza o primeiro Workshop de Geoinformação