Os dois satélites de observação da Terra GRACE-FO (Gravity Recovery and Climate Experiment Follow-On), que a Airbus Friedrichshafen desenvolveu e construiu para a NASA/JPL, “ouviram muito” durante recentes testes acústicos.

646f804c eef3 4fa8 a5b3 3ffb3dd6b2d52 Satélites de sensoriamento remoto Grace Fo passam no teste de audição

Preparações para o teste acústico dos dois satélites GRACE-FO que a Airbus construiu para a NASA/JPL. Foto: Airbus DS GmbH / Mathias Pikelj

O impacto sonoro que se forma durante os lançamentos de foguetes foi simulado em uma câmara de eco com um volume de cerca de 1.400 m³ na IABG, em Ottobrunn, perto de Munique. Em quatro ciclos de testes, os satélites em posição de voo foram submetidos a um impacto sonoro de cerca de 140 decibéis (dB). Para comparar, uma broca pneumática produz 100 dB e o limiar de dor do ser humano é de 130 dB. Ambos os satélites passaram os testes com sucesso. O Jet Propulsion Laboratory JPL (“Laboratório de Propulsão a Jato”) da NASA (Pasadena, Califórnia), em parceria com o Centro Alemão de Pesquisas de Geociências (GFZ, Potsdam), colocarão ambos os satélites de pesquisa GRACE-FO em uma órbita polar a uma altitude de cerca de 500 km e separados por uma distância de 220 km. Este é um follow-on para a missão GRACE, que opera com sucesso desde 2002. Ambos os satélites farão continuamente medidas muito exatas da distância entre eles, que muda dependendo da gravidade da Terra. Desta forma, os cientistas poderão mapear os campos gravitacionais da Terra. Um sistema de posicionamento global e um sistema de varredura de micro-ondas permitem que a distância entre os satélites seja medida com a precisão de um mícron. Os satélites GRACE-FO contam com um elemento adicional: um novo instrumento de medição a laser de distância entre satélites, desenvolvido por uma joint venture alemã/americana, que será testado para uso em futuras gerações de satélites de pesquisa gravitacional. As perturbações orbitais devidas a efeitos não-gravitacionais, como a frenagem aerodinâmica devido à atmosfera residual, são determinadas com a ajuda de um acelerômetro sensível. O lançamento dos satélites gêmeos GRACE-FO está programado para entre dezembro de 2017 e fevereiro de 2018. Ao longo da missão de cinco anos, serão feitas medições a cada 30 dias para fornecer um modelo atualizado dos campos gravitacionais da Terra. Além disso, cada um dos satélites fornecerá diariamente até 200 perfis de distribuição de temperatura e conteúdo de vapor de água na atmosfera e na ionosfera.