Pesquisadora da Embrapa representa, mais uma vez, Brasil, América Latina e Caribe no sétimo Painel Técnico Intergovernamental de Solos, na FAO, em Roma

article 300x137 Pesquisadora da Embrapa representa o Brasil em evento sobre Solos da FAO

Experts da 6ª reunião do ITPS, em março de 2017. - Foto: Créditos: FAO

O solo é um recurso natural e essencial à vida na Terra. Além de garantir a produção de alimentos, fibra e energia, o solo fornece serviços ambientais essenciais, que são importantes para a regulação e abastecimento de água, regulação do clima, conservação da biodiversidade, sequestro de carbono e serviços culturais. No entanto, aproximadamente 33% dos nossos solos globais estão degradados, tornando necessário e urgente a conscientização sobre sua importância e seu uso e manejo sustentáveis.

Diante desse contexto, e para deter os processos de degradação dos solos, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura – FAO estabeleceu em 2012, a Aliança Mundial para os Solos – AMS (“Global Soil Partnership – GSP”), que tem como principal órgão consultivo o Painel Técnico Intergovernamental em Solos, de sigla ITPS em inglês. A sétima Sessão de Trabalho do ITPS vai ocorrer de 30 de outubro a 3 de novembro, na Itália, e deverá reunir especialistas de solos de todas as regiões do planeta. A pesquisadora em solos e chefe-geral da Embrapa Cocais, Maria de Lourdes Mendonça Santos Brefin, expert em mapeamento digital de solos, é a representante do Brasil e da América Latina e Caribe no ITPS, desde 2013, estando hoje em seu segundo mandato.

Entre os principais itens da agenda da sétima Sessão de Trabalho do ITPS, estão a revisão e esclarecimentos do documento “Impactos dos produtos de proteção de plantas sobre as funções do solo e sobre os ecossistemas”; revisão e esclarecimentos sobre o Mapa Global de Carbono Orgânico dos Solos, cuja contribuição do Brasil foi o Mapeamento Digital do Carbono Orgânico dos Solos brasileiros (0-30 cm) por meio do Mapeamento Digital de Solos, elaborado pela Embrapa Solos; preparação do estudo sobre benefícios econômicos do Manejo Sustentável dos Solos, bem como identificação das melhores práticas para a prevenção da degradação dos solos para 2020; e o relatório sobre a colaboração o ITPS e demais painéis globais, como o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas – IPCC, entre outros. Nesta semana, os membros do ITPS também participarão ativamente do “3rd Meeting of the International Network of Soil Information Institutions (INSII)”, durante3 o qual serão discutidos  a execução do Plano de Implementação do Pilar 4 da GSP; o Mapa Global de Carbono Orgânico do Solos e sua qualidade e representatividade; e o Pilar 5 da GSP: harmonização dos dados e  métodos de analise de solos.

Esse Painel, desde sua primeira edição, trabalhou na descrição e implantação dos cinco Pilares da Alinaça Mundial do Solo e discutiu e produziu importantes contribuições para ampliar o conhecimento dos solos no mundo, a exemplo da revisão da Carta Mundial de Solos, a publicação do “Status of the World Soil Resource Report (WSRR)” e as Diretrizes Voluntárias para o Manejo Sustentavel dos Solos, dentre outros documentos, que podem ser consultados na página da FAO. Acesse em: http://www.fao.org/global-soil-partnership/intergovernmental-technical-panel-soils/en/

A participação da pesquisadora da Embrapa no ITPS trouxe importantes articulações e resultados no que diz respeito à governança de solos no Brasil. Desde 2015 (Ano Internacional do Solo), que a Embrapa vem trabalhando esse tema e hoje tem em execução projeto especial sobre a governança de solos no Brasil, o PronaSolos, que deve avançar para uma política pública nacional.