Iniciativa faz parte do projeto de ampliação das estações da rede, que prevê também a modernização dos equipamentos e a disponibilização dos dados das estações em novos formatos

Navstar gps 300x234 RBMC disponibiliza observáveis e constelações GNSS dos equipamentos da redeEm dezembro de 2017, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) passou a disponibilizar os dados da Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS (RBMC) com todas as observáveis disponíveis nos receptores da rede, ou seja, dependendo do equipamento o arquivo de observações pode conter as observáveis L1, L2, L5, C1, P1, C2, P2, C5, S1, S2 e S5.

Até então, só eram disponibilizados L1, C1, L2 e P2. Além disso, também serão disponibilizadas todas as constelações que os equipamentos possam rastrear, como GPS, GLONASS, GALILEO, BEIDOU e SBAS.

Compactação

Com esta mudança, os arquivos de observação passaram a ser duplamente compactados: primeiramente com o RINEX Compactado (HATANAKA) e depois com o Zip.

A compactação HATANAKA foi desenvolvida pelo japonês Yuki Hatanaka e é largamente utilizada por usuários de GNSS. Suas principais vantagens são economia de espaço de armazenamentos, melhor performance de download e maior disponibilidade de
dados (série histórica) no repositório online.

O arquivo de observação RINEX também será disponibilizado durante um período de transição que ocorrerá até fevereiro de 2018. Ao realizar o download dos dados, o usuário receberá um arquivo “LEIAME.txt”, onde há uma breve descrição das mudanças e indicações para o suporte na descompactação.

A disponibilização de todas as observáveis e constelações GNSS faz parte do Projeto de Ampliação e Modernização das estações da Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistema GNSS (RBMC). O projeto também prevê a modernização dos
equipamentos da rede, a disponibilização dos dados das estações no formato RINEX 3.0, o aumento gradativo da taxa de rastreio, além do fornecimento dos dados em tempo real, através da RBMC-IP, no formato RTCM 3.2.

Geoinformação & Disrupção: Criando Novos Mercados

Como a cadeia produtiva da Geoinformação pode se adaptar às rápidas e constantes mudanças que estão ocorrendo e também buscar novos mercados?

Toda esta evolução digital está baseada em tecnologia móvel, a combinação de inteligência artificial e a observação da Terra, serviços automatizados de localização, big data e análises geográficas em tempo real.

No seminário Geoinformação & Disrupção, que vai acontecer no dia 15 de maio na abertura do MundoGEO#Connect 2018, especialistas estarão reunidos para debater estas tendências e desvendar os melhores caminhos para as empresas do setor continuarem a prover soluções para uma cadeia consumidora corporativa da análise geográfica cada vez mais ampla e exigente.

Veja a programação completa e confira como foi a última edição, que contou com mais de 3 mil participantes: