Mr. Obama tem afirmado que vai investir cada vez mais em tecnologia e que a área ambiental terá maior atenção nos próximos anos, com compromisso de cortes nas emissões de carbono. Em um discurso, durante a eleição, afirmou que "dados científicos – resultado da pesquisa de profissionais competentes – não se prestam à manipulação política que serve a grupos de interesse".

Enquanto isso, no Brasil o governo federal vai de encontro a instituições científicas como o Inpe, quando este publica dados que mostram piora no desmatamento. Pior: em época de alta competição tecnológica e aquecimento global, anuncia um corte de quase 20% no orçamento para ciência e tecnologia, justamente o dinheiro destinado aos programas bem sucedidos, como o satélite Cbers por exemplo.

Desse jeito, o Amazônia-1 – satélite de observação da Terra com tecnologia 100% nacional – vai ser lançado lá por 2020.

share save 171 16 Ciência e tecnologia: investir ou cortar?