GeoDrops

DigitalGlobe apresenta novidades

Por MundoGEO | 10h00, 26 de Maio de 2009

A convite da DigitalGlobe, estou em São Paulo para participar do evento da companhia, no qual serão apresentadas novidades como o iminente lançamento do satélite WorldView-2, o serviço online de acesso a imagens ImageConnect, a modelagem 3D a partir de dados satelitais, entre outras.

Em breve envio mais detalhes.

Atualização às 16hs – A DigitalGlobe está com muita coisa nova para o mercado brasileiro: ImageConnect, ImageBuilder, geração de modelos 3D. O vídeo com uma simulação do satélite WorldView imageando a Terra e mudando a sua posição para captar imagens é impressionante. Vou ver se consigo pelo menos uma parte do vídeo para colocar aqui. Em breve mais, aqui e também amanhã na seção de notícias do portal e na próxima edição da InfoGEO. Daqui a pouco, de volta para Curitiba, esperando não pegar uma turbulência como a do avião da TAM de ontem icon smile DigitalGlobe apresenta novidades

share save 171 16 DigitalGlobe apresenta novidades

Bombeiros usam Twitter durante terremoto em Los Angeles

Por MundoGEO | 11h32, 19 de Maio de 2009

Durante o tremor de terra que atingiu a cidade de Los Angeles, no domingo passado (17), o Twitter serviu como ferramenta para o Corpo de Bombeiros se comunicar com a população. No total, foram seis postagens com informações referentes ao terremoto.

De acordo com informações do TwitterCounter, durante o dia do tremor mais de cem novos followers passaram a seguir o Twitter do Corpo de Bombeiros de Los Angeles. Em média, são 19 novos cadastros por dia.

Fonte: Comunique-se

Acompanhe o blog GeoDrops no Twitter.

share save 171 16 Bombeiros usam Twitter durante terremoto em Los Angeles

Geoprocessamento conquista mercado de trabalho

Por MundoGEO | 16h18, 18 de Maio de 2009

Um vídeo recém postado no YouTube mostra uma matéria sobre como o geoprocessamento está conquistando o mercado de trabalho.

Durante o vídeo, mais ou menos entre 2min53s e 2min59s, aparece uma revista aberta sobre a mesa do entrevistado.

O primeiro que descobrir que revista e que edição é essa ganha uma assinatura de 1 ano das revistas InfoGEO, InfoGNSS Geomática e InfoGPS (hoje no valor de 114 reais).

Até que alguém consiga descobrir, eu vou colocando uma dica por dia neste mesmo post.

 Atualização em 19 de maio – Primeira dica: o anúncio na página do lado direito é da empresa SightGPS, no qual aparece o receptor GNSS da TechGeo, o GTR-G2.

Atualização em 20 de maio – Segunda dica: o que aparece na página do lado esquerdo é uma entrevista.

Atualização em 21 de maio – Terceira dica: a entrevista foi feita com o parceiro do ex vice-presidente norte-americano Al Gore no projeto Terra Digital (Digital Earth).

Atualização em 22 de maio – Quarta dica (tá difícil …): o entrevistado é Mike F. Goodchild.

Atualização em 25 de maio – Já temos um ganhador: George Serra, que descobriu qual é a revista (InfoGEO) e edição (53, páginas 48 e 49). Parabéns George!

Abaixo as páginas:

geo43 pag48 49 low Geoprocessamento conquista mercado de trabalho

share save 171 16 Geoprocessamento conquista mercado de trabalho

50 Líderes em GNSS para serem ouvidos

Por MundoGEO | 11h33, 18 de Maio de 2009

Segundo um artigo da revista GPS World, o professor João Francisco Galera Monico, da Unesp de Presidente Prudente, está entre os 50 líderes mundiais em Sistemas Globais de Navegação por Satélites (GNSS) a serem ouvidos.

Parabéns professor Galera!

Uma sugestão de bibliografia é o ótimo livro Posicionamento pelo GNSS, do prof. Galera, que já está em sua segunda edição.

share save 171 16 50 Líderes em GNSS para serem ouvidos

Dica de Site: O Cartógrafo

Por MundoGEO | 11h14, 18 de Maio de 2009

Cartografo Dica de Site: O CartógrafoO site Ocartografo.com tem por objetivo colaborar para o meio profissional e estudantil.

A principal ferramenta do site é um fórum online voltado para a discussão de assuntos voltados à cartografia.

Se você tem uma sugestão de site ou blog, envie para eduardo at mundogeo dot com.

share save 171 16 Dica de Site: O Cartógrafo

Tráfego Aéreo em 24 Horas

Por MundoGEO | 11h28, 15 de Maio de 2009

Mais uma vez vou usar algo que saiu primeiro no Blog do Tas, mas vale a pena conferir.

O vídeo abaixo, de 1min12s, representa 24 horas de viagens aéreas, internas e entre continentes.

Cada segundo de filme representa em torno de 20 minutos reais.

Cada ponto amarelo é um voo com aproximadamente 250 passageiros. 

 

share save 171 16 Tráfego Aéreo em 24 Horas

Dica de Blog: Rascunho Geo

Por MundoGEO | 11h19, 15 de Maio de 2009

O Rascunho Geo, mantido por José Carlos Jr., é um blog sobre assuntos correlatos às geociências e áreas afins. Lá você vai encontrar vários textos e imagens bacanas sobre astronomia, Observação da Terra, etc..

RascunhoGeo Dica de Blog: Rascunho GeoSe você tem uma sugestão de blog, envie para eduardo at mundogeo dot com.

share save 171 16 Dica de Blog: Rascunho Geo

Revisão: do papel para as telas

Por MundoGEO | 16h55, 14 de Maio de 2009

Esta é para quem ainda prefere revisar projetos em papel. Quando estive em São Paulo para o lançamento da linha 2010 da Autodesk, a especialista em geotecnologias Cristina Randazzo me mostrou uma novidade que eu só tinha visto em fase de testes.

Trata-se de uma caneta que "enxerga" o que está sendo desenhado no papel e envia as informações direto para um arquivo digital. Eu algo parecido pela primeira vez em San Francisco, no início de 2008, quando conheci algumas novidades que faziam parte do laboratório de novos projetos da Autodesk.

Vou tentar explicar como funciona: a caneta Capturx  é usada em conjunto com o software Design Review e duas folhas especiais, sendo que uma tem a impressão do projeto – que será revisado – e outra a legenda para revisão.

Após abrir um projeto no Design Review e imprimir uma parte do desenho em uma das folhas, o próximo passo é usar a caneta para indicar – com um X – qual o tipo de revisão (texto, indicação de correção, etc) na folha com a legenda. Depois disso, deve-se fazer a revisão na folha impressa com o projeto.

Esse processo deve ser repetido até que todas as revisões tenham sido indicadas no papel. Depois disso, basta colocar a caneta em seu suporte, que ela lê as informações e as insere no arquivo digital. Dá para ver na hora o desenho com as indicações de revisão.

Caneta Capturx Revisão: do papel para as telasDesign Review

O Autodesk Design Review 2010 é o software gratuito para visualização, revisão e anotações em arquivos CAD 2D e 3D da Autodesk. Com mais de 10 milhões de downloads em todo o mundo, o Design Review usa o formato DWF para troca de projetos por e-mail e internet.

Além da visualização de projetos 2D e 3D, o Design Review oferece proteção aos dados estratégicos de desenvolvimento e permite a inserção de comentários, medição, rotação, zoom, isolamento de elementos, corte dinâmico e suporte a georreferenciamento.

Ou seja, oferece ao usuário a possibilidade de revisar, ressaltar e rastrear alterações em projetos 2D e 3D mesmo sem o programa de criação original. Essa ferramenta gratuita integra-se a outros softwares de design e permite que equipes adotem processos de revisão e aprovação de projetos.

O Autodesk Design Review – com 42,9 MB – passou a ser gratuito em 2007 e está disponível para download em www.autodesk.com.br/designreview.

share save 171 16 Revisão: do papel para as telas

O mundo na palma da mão

Por MundoGEO | 13h28, 07 de Maio de 2009

Este foi o assunto da palestra que apresentei ontem na abertura do II Conbrageo – Congresso Brasileiro de Georreferenciamento e Geoprocessamento – que acontece entre 6 a 8 de maio em Cuiabá.

Sempre estive em Cuiabá de passagem, e pela primeira vez estou conhecendo melhor a cidade. Confesso que é muito calor aqui, ainda mais para quem saiu de Curitiba com aproximadamente 15 graus e chegou aqui com 35, mas o pessoal é bastante hospitaleiro e a comida também é ótima icon smile O mundo na palma da mão

Sobre a palestra, na verdade era para ser apresentada pelo Gustavo Ribeiro, mas como ele não pode vir eu assumi o desafio de fazer a abertura do evento.

A idéia da palestra foi mostrar como a popularização das ferramentas de mapas online e globos virtuais, dos navegadores, das redes sociais e do GPS em celulares está levando um mundo de geoinformação para a mão do cidadão comum:
Mapas Online + Redes Sociais + Sistemas de Posicionamento + Celulares + Banda Larga = O mundo na palma a mão

Em breve coloco aqui o link para baixar o pdf com a apresentação.

share save 171 16 O mundo na palma da mão

Manifesto pelo Shapefile 2.0

Por MundoGEO | 17h13, 04 de Maio de 2009

O Manifesto Shapefile 2.0 tomou corpo na geoblogosfera nos últimos tempos. Segundo ele, os sistemas de informação geográficos são direcionados pelos dados, por natureza. Os dados vêm das mais variadas fontes, vetoriais e raster, sendo os primeiros ideais para entidades bem definidas, e o segundo para fenômenos que variam continuamente.

Três dos principais formatos de arquivos vetoriais em GIS são AutoCAD DXF, MapInfo TAB e ArcGIS Personal Geodatabase. Porém, um formato é único, por ser tanto um formato aberto como ser de uso extensivo, o Shapefile.

O formato Shapefile está publicamente documentado pela Esri, sua criadora. Praticamente todo software de GIS pode ler e gerar dados nesse formato, o que o tornou um denominador comum, segundo as palavras do manifesto. O Shape acabou se tornando o formato para compartilhamento de dados vetoriais entre equipes, departamentos, empresas e agências governamentais.

Ainda segundo o manifesto, o Shapefile tem alguns entraves sérios, como por exemplo a limitação de 4 GB ou 4 bilhões de registros, enquanto nomes de arquivos são limitados a 10 caracteres.

Hoje, uma alternativa para o compartilhamento de dados é o formato de Geography Markup Language (GML), definido pelo Consórcio Geoespacial Aberto (OGC). O uso do GML vem crescendo, mas não pode-se afirmar que é um padrão global.

Sucessor

O Manifesto Shapefile 2.0 afirma que uma base de dados espaciais portável e autosuficiente (standalone) seria um bom sucessor do shapefile atual. Tal formato elevaria o mercado de GIS a um novo patamar, aumentando o uso de geoprocessamento e facilitando a edição, publicação e compartilhamento de dados geoespaciais. A ideia seria evitar o ciclo de importar, visualizar, editar e exportar dados.

Para o autor do manifesto, existem hoje três candidatos a suceder o shapefile:
1 – Geodatabase, da Esri;
2 – Spatial Data Format (SDF), da Autodesk; e
3 – Spatialite.

Leia a íntegra do Manifesto Shapefile 2.0 (em inglês)
 

share save 171 16 Manifesto pelo Shapefile 2.0
  • Eduardo Freitas
    @eduardo
    Coordenador de cursos e pesquisas do Instituto GEOeduc, Consultor da MundoGEO, Diretor Financeiro da ABEC-PR. Engenheiro Cartógrafo, Técnico em Edificações, cursando Especialização em Gestão Estratégica de EAD. Pai do Rafael e da Julia, Marido da Luciana, sushiman e corredor (quando dá tempo)

    Coordenador de cursos e pesquisas do Instituto GEOeduc, Consultor da MundoGEO, Diretor Financeiro da ABEC-PR. Engenheiro Cartógrafo, Técnico em Edificações, cursando Especialização em Gestão Estratégica de EAD. Pai do Rafael e da Julia, Marido da Luciana, sushiman e corredor (quando dá tempo)

  •