Geografia de Bolso

Sonho de consumo

Por Luiz Amadeu Coutinho | 18h36, 31 de Outubro de 2010

Para quem adora tecnologia e tem 79 mil dolares para gastar (preço nos EUA) recomendo o brinquedinho abaixo.

portatilServer Sonho de consumoportatilServer mala Sonho de consumo

A imagem acima é de um computador "portátil", vendido nos EUA pela ESRI em parceria com IceWeb, que contém nada mesmo que 3 telas, ArcGIS Server 10 Enterprise, ArcInfo e tudo mais que tiver direito.

Só não faz pipoca…ou faz?

Veja as especificações:

MLP Portable Solution with:
Dual Intel Xeon E5450A 3.0 GHz Quad Core, 2 x 6 MB L2 Cache Processors,
12 GB of Memory (6 x 2 GB), 3 x 17-inch SXGA Displays, and NVIDIA Quadro FX3500, 256 MB GDDR3 Graphics Card
Microsoft SQL Server 2008 Installed and Configured
Microsoft SQL Server 2008 Service Packs and Updates Installed and Configured
Microsoft Windows Server 2008 64-Bit Installed and Configured
Microsoft Windows Server 2008 Service Packs and Updates Installed and Configured
Single Image Disk for Rapid Recovery or Reinstallation
One-Year Overnight Replacement Warranty
ArcGIS Server 10 Advanced Enterprise License
(Includes First Year of Software Maintenance)
ArcInfo License
(Includes First Year of Software Maintenance)

Para comprar o brinquedo vá no link

http://www.esri.com/partners/hardware/inlinemspadvanced.pdf

ou numa loja "perto de você". icon smile Sonho de consumo

share save 171 16 Sonho de consumo

BD Mundial de Áreas Protegidas

Por Luiz Amadeu Coutinho | 17h41, 21 de Setembro de 2010

Olá pessoal.

De volta com uma dica útil.

O Banco de Dados Mundial sobre Áreas Protegidas ou em inglês The World Database on Protected Areas (WDPA), contém informações cruciais de governos nacionais, organizações não-governamentais, instituições acadêmicas, secretarias de convenção internacional da biodiversidade e muitos outros. É utilizado para análise de lacunas ecológica, análise de impacto ambiental e é cada vez mais utilizada no sector privado para a tomada de decisões.

Você pode obter toda a informação de duas formas.

Por meio de download em formato Shapefile aqui

Ou

Explorar o mapa das áreas protegidas através de um visualizador.

map BD Mundial de Áreas Protegidas
Mapas 2D

share save 171 16 BD Mundial de Áreas Protegidas

Geografia Digital o Livro

Por Luiz Amadeu Coutinho | 18h33, 06 de Julho de 2010

Bookletsm Geografia Digital o LivroDigital Geography – Geographic Visualisation for Urban Environment

Esse livro (e-book) que já foi vendido em formato impresso por £9.99, contém belíssimas imagens e muitos tutoriais sobre o Virtual Earth , Google Earth, Google Maps, Panoramas e Second Life.

Escrito por Andrew Hudson-Smith, do CASA (Centre for Advanced Spatial Analysis da UCL) , o livro explora os novos conceitos de Mundos Virtuais, Neogeografia e muito mais. O autor escreve no Digital Urban blog

O Livro pode ser lido abaixo via Issuu ou você também pode fazer o download direto em um arquivo pdf ( 74MB ) .

share save 171 16 Geografia Digital o Livro

Cartografia Histórica de Portugal

Por Luiz Amadeu Coutinho | 20h01, 28 de Junho de 2010

Para quem é, como eu, apaixonado por Cartografia Histórica. Deixo um link na imagem abaixo.

Vale a pena ver. icon smile Cartografia Histórica de Portugal

Carto Histo PT Cartografia Histórica de Portugal

share save 171 16 Cartografia Histórica de Portugal

Mapas e Realidade Aumentada

Por Luiz Amadeu Coutinho | 18h42, 20 de Junho de 2010

 Mapas e Realidade Aumentada

Na onda da Realidade Aumentada(não sabe o que é isso, clique aqui) a ESRI criou um protótipo que combina ESRI’s ArcGIS API for Silverlight com o código opensource do Silverlight Augmented Reality Toolkit.

Conforme mostrado no vídeo abaixo, o mapa é totalmente funcional, mesmo com a distorção de perspectiva. A demonstração começa com o usuário navegando em um mapa básico do padrão da ESRI’s resource center e em seguida, realiza uma pesquisa de imagens GeoEye na  Nova Zelândia.

E agora a melhor parte. Você pode ter sua primeira experiência com Mapas e Realidade Aumentada. É muito simples. Você vai precisar:

  • De um computador com uma webcam.
  • Imprimir o simbolo no pdf que está  aqui .
  • Depois clique aqui para iniciar a aplicação web (instale o Silverlight caso ainda não tenha feito)
  • E aponte o papel com o simbolo impresso na frente da webcam.

 

O mapa vai se ajustar ao papel logo em seguida.

Fiz o teste aqui e funcionou muito bem.

Veja o video demonstrativo.

share save 171 16 Mapas e Realidade Aumentada

Como será a indústria GEO daqui a 5 anos?

Por Luiz Amadeu Coutinho | 8h47, 01 de Junho de 2010

Climate%20Change Como será a indústria GEO daqui a 5 anos?A Informação Geográfica e a indústria estão passando por mudanças radicais.  O SIG evoluiu junto com as mudanças no mundo da informática e saiu de ambientes UNIX para o Desktop, depois para WebSIG e agora já falamos em Computação nas Nuvens, Realidade Aumentada, Cartografia produzida com ajuda de milhares de anónimos (veja o sucesso do OpenStreetMap).

Como será a indústria geoespacial daqui a 5 anos?

Essa é uma pergunta que deve ser feita e respondida por governos, industria e também pelas organizações de profissionais dá área GEO,  também nós profissionais desse setor temos que estar atentos às mudanças, pois somos afetados diretamente por isso tudo, do ponto de vista da empregabilidade e capacitação.

Certamente daqui a 5 anos as coisas vão ser bem diferentes, talvez os players que hoje são responsáveis por  produzir informação geográfica, software e equipamentos localização, no futuro não sejam os mesmos. O surgimento de novos satélites e  respectivas políticas de distribuição, novas formas de coleta de dados e também a própria evolução da internet como ferramenta de compartilhamento de dados, serão responsáveis por influênciar essas mudanças.

No Reino Unido, a Associação para a Informação Geográfica – AGI, tenta encontrar respostas para esse futuro, e numa iniciativa importantissima publicou um extenso estudo acerca do mercado geoespacial em 2015.

Mais do que um exercício de adivinhação a AGI convidou diversos formadores de opinião da industria geoespacial para contribuir com artigos na área em que são experts, abrangendo, dados e tecnologia, mercados verticais e estratégias no setor político.

Você pode ler o resumo (4Mb pdf), bem como 10 artigos sobre política, 13 trabalhos sobre os mercados e 12 artigos  acerca dos dados e tecnologia.

E como será o mercado geoespacial no Brasil daqui a 5 anos? Estamos preparados para tanta mudanças? Nossas empresas estão atentas aos movimentos dos mercados globais? As políticas governamentais vão acompanhar a tendência geral?

Deixo o desafio de pensarmos no assunto. E quem sabe um estímulo para a produção de um estudo na mesma linha.
 

share save 171 16 Como será a indústria GEO daqui a 5 anos?

Novidades da ESRI

Por Luiz Amadeu Coutinho | 19h36, 25 de Maio de 2010

ESRI surpreendeu-me com essas duas novidades.

Publiquei a pouco no meu outro blog (ou site) os novos recursos online da ESRI, são dois links que merecem a visita.

Visitem o http://geoinformacaonline.com e vejam as novidades ou cliquem na imagem abaixo.

arcgisonline Novidades da ESRI

 

share save 171 16 Novidades da ESRI

Em novo território…novos desafios

Por Luiz Amadeu Coutinho | 21h11, 08 de Maio de 2010

mapa de luanda Em novo território...novos desafios

Olá pessoal.

Um longo tempo passou, dissertação entregue. Mas estou de volta. Após algumas mudanças, recomeço minhas atividades aqui.

Quanto ao titulo do post, refere-se ao fato de que agora estou em Angola em novos desafios profissionais. Quero aproveitar essa oportunidade para tentar mostrar o que o mercado de Geotecnologias anda a fazer por aqui. Meu tempo em Portugal não acabou e também no Brasil menos ainda. O mundo da muitas voltas.

Para quem não sabe Angola e em especial Luanda, estão numa verdadeira fase de reconstrução. Foram 30 anos de guerra civil que terminaram a pouco tempo, 2001. Os desafios de criar um novo país, passam também pelo uso das geotecnologias e sem dúvida que tem desempenhado um papel importante aqui. Imaginem o que é criar uma nova cidade sem cartografia de base, sem imagens de satélite, sem o apoio essêncial da topografia e de todos os outros conhecimentos geográficos. Enfim…tudo aqui é necessário e ainda bem que todo esse conhecimento está a ser utilizado.

Luanda, conta com uma faculdade de Engenharia Geográfica( ou Eng. Cartográfica como falamos ai no Brasil) e existe ainda uma carencia grande de profissionais do setor GEO. E incrivelmente ainda não existe nenhum curso de Geografia no país (ao menos até o momento não encontrei nada a respeito), o que me assustou um bocado.

Aproveito para falar do evento que estamos organizando aqui. O Encontro de Utilizadores ESRI Angola ou EUE Angola 2010 que vai acontecer entre os dias 17 e 19 de Maio. Podem ver mais informações na noticia publicada aqui no Portal Mundogeo.

E por falar em Mundogeo em breve, sei que terá novidades, que tem relação direta com Angola e com o mercado de Geotecnologias. Aguardo ansioso.

Espero publicar mais conteúdo, não só sobre Angola, mas tudo o que seja interessante para nós profissionais interessados nas Geotecnologias e no seu poder de resposta.

Até breve.

 

share save 171 16 Em novo território...novos desafios

ESRI agora é "EZREE"

Por Luiz Amadeu Coutinho | 20h00, 23 de Março de 2010

trava lingua ESRI agora é "EZREE"

Não entendeu? Se você fala português o titulo acima pode não fazer nenhum sentido. Afinal quando fazemos referência a empresa ESRI lemos e pronunciamos "EZREE".

Assim como pronunciamos "GIS" ou "GEZZ", como uma sigla.

 

Mas os americanos não falam assim, não costumam agrupar as letras de forma a criar uma única palavra ou sigla, e sempre disseram E – S – R – I ou " Í " "ÉSS" "ÁR" "ÁI", tudo separado e claro na pronuncia das letras em inglês.

Enfim. pensando na globalização ou por outra razão mais obscura. A ESRI publicou um memorando interno onde todos os funcionários agora tem que falar "ESRI" como uma palavra única, ou seja "EZREE".

Isso da pronuncia me lembrou de um "causo" que aconteceu comigo e um grande amigo.

Há alguns anos, trabalhava ainda ai no Brasil e a cada novo colaborador GIS da empresa que atuava, eu apresentava uma rápida visão do que fazíamos, parceiros e tal. E claro a "EZREE" era uma das empresas parceiras.

Um dia ao apresentar a tecnologia "EZREE" para esse novo colaborador, caí no erro de pronunciar como os americanos fazem ou seja " Í " "ÉSS" "ÁR" "ÁI ".

Advinha o que ele entendeu?  " Yes Alright " e saiu da sala pensando: "Que raio de empresa é essa com esse nome esquisito e que ainda por cima trabalha com GIS…" .

Certamente a culpa foi da minha pronuncia, mas a história rendeu boas piadas depois.

Enfim, pensando em mim e no meu amigo a "EZREE" finalmente encontrou a solução. Globalização já.

Veja mais sobre o assunto que já rendeu alguns bons comentários na WEB nos links abaixo.

 

 

 

share save 171 16 ESRI agora é "EZREE"

O Fim do GIS? ou não…

Por Luiz Amadeu Coutinho | 18h23, 17 de Fevereiro de 2010

bomba nuclear O Fim do GIS? ou não...

Como meus dois leitores sabem (tounge smile O Fim do GIS? ou não...), ando na reta final para entrega da dissertação e por isso o ritmo de posts está bem lento. Em breve tudo volta ao normal.

O titulo do post é mais para chamar a atenção do que assustar. Calma, o GIS como conhecemos ainda tem muito a oferecer.

Por isso, passei aqui rapidamente para indicar a leitura de dois textos , que fazem-nos pensar sobre qual será o futuro do GIS e se nós como profissionais teremos espaço e emprego, pois a cada dia vemos muitas atividades sendo feitas de forma automática.

Então, vamos direto ao assunto. Recomendo a leitura dos dois textos, clique nos títulos.

O primeiro texto foi publicado pelo Ed Parsons (um conhecido blogueiro que foi contratado pela Google).

O titulo é The creative destruction of GISe claro tem forte influência no modo de pensar da empresa e dá indicações sobre quais são seus planos a respeito do GIS  tradicional.

E o segundo é um texto "resposta" ao primeiro texto, escrito por Eric Gakstatter , que tem um pensamento independente, pois escreve para a revista GPS World. 

O título é Google Geospatial Technologist: "The End of GIS?" e nos apresenta uma visão menos apocalipca sobre o futuro do GIS.

E você concorda com qual autor? Queremos saber sua opinião.

 

share save 171 16 O Fim do GIS? ou não...
  • Luiz Amadeu Coutinho
    @amadeu.vix

  •