Coordenador do programa GeoSur

Formado em Ciências da Computação pela Universidade Simón Bolívar (Venezuela), com mestrado em Ciências Ambientais pela Salford University (Reino Unido), Eric van Praag hoje coordena o Programa GeoSur, uma iniciativa de Infraestrutura de Dados Espaciais Latinoamericana, liderada pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) e Instituto Panamericano de Geografia e Estatística (IPGH). O GeoSur estabeleceu a primeira rede latinoamericana de provedores de dados geoespaciais, em apoio ao melhor planejamento de projetos e tomada de decisão na região.

MundoGEO: Como é a estrutura do GeoSur e quais são as ações do Programa para promover as tecnologias geoespaciais na América Latina e Caribe?

Eric Van Praag: A missão do Programa GeoSur é facilitar o acesso a dados e informação espaciais e promover o desenvolvimento de conjuntos de dados regionais. Desde seu início, em 2007, o Programa GeoSur tem crescido para atender a um público interessado em usar informação confiável, a fim de apoiar processos de desenvolvimento. Hoje, mais de 23 países e ao redor de 60 instituições nacionais participam no GeoSur.

O GeoSur tem três componentes principais: 1) um geoportal; 2) uma rede de serviços de mapas; e 3) um serviço regional de processamento topográfico. Estes serviços permitem que o usuário busque, encontre, veja, analise e processe dados espaciais locais, nacionais e regionais com métodos que eram inimagináveis há uns poucos anos.

O GeoSur é coordenado pelo CAF e o IPGH, com assistência técnica proporcionada pelo Centro Eros do U.S. Geological Survey (USGS) e os institutos geográficos do Chile, Colômbia, Equador e Espanha. A participação no GeoSur está aberta a qualquer produtor de dados espaciais, com ênfase em organismos governamentais que produzem dados oficiais que podem utilizar-se no processo de tomada de decisões. Hoje, mais de 60 instituições participam do GeoSur.

O GeoSur proporciona capacitação e assistência técnica a todas as instituições participantes, enquanto desenvolvem os serviços de mapas e os catálogos de metadados necessários para conectar-se ao Geoportal e ao Serviço Regional de Mapas do GeoSur. Da mesma forma, o GeoSur promove as comunicações entre especialistas participantes e conduz periodicamente seminários na web sobre temas relativos ao GeoSur e reuniões anuais do Programa, onde se analisam e desenvolvem as políticas e os componentes de seus planos de ação anual.

O GeoSur já capacitou mais de 180 especialistas da região em cinco oficinas que tiveram lugar nos Estados Unidos e Colômbia (um deles se realizou online). Também oferece ensino virtual pontual em temas geoespaciais e mantém uma programação ativa de seminários pela web, centrado em temas de interesse para seus participantes. Além disso, mantém uma ativa lista de correios que conta com mais de 300 membros, a maioria deles especialistas geoespaciais da região.

MG: Como foi desenvolvido o visor regional do GeoSur? Que tipo de informação está disponível no Geoportal? Quais são os desafios para novos desenvolvimentos?

EVP: O GeoSur apoia o estabelecimento de serviços de mapas em suas instituições associadas. A grande maioria destas instituições possui informação de caráter nacional, municipal e/ou urbano. O CAF e o IPGH, ao iniciar o Programa, concordaram sobre a necessidade de estabelecer um serviço de mapas de alcance regional, com o fim de disseminar informação transnacional que estivesse fora do âmbito de ação de suas instituições participantes e que fosse de grande utilidade para planejar projetos de desenvolvimento que envolvessem dois ou mais países.

Eric Van Praag Eric Van PraagO Programa GeoSur concebeu, como mecanismo idôneo para colocar esta informação regional à disposição do público, o desenvolvimento de um visor regional de mapas. O visor tem sido desenvolvido com a tecnologia ArcGIS Server da empresa Esri e contém mais de 80 camadas de informação regional, entre as que se destacam mapas de relevo da América Latina (30 metros de resolução), mapas de ecossistemas, mapas de projetos de infraestrutura, mapas de áreas protegidas e mapas de territórios indígenas, entre muitos outros. O uso do visor é gratuito e não se requer software especializado para seu uso.

O GeoPortal do GeoSur tem sido desenvolvido com o apoio do Centro Eros do USGS, e é o primeiro portal regional que proporciona acesso a dados e serviços geográficos dos países da América Latina e Caribe. Lançado em março de 2007, o Portal foi desenvolvido com tecnologia Geoportal Server, uma plataforma de código aberto da empresa Esri. O Portal mantém atualizada uma base central de metadados que se atualiza periodicamente, mediante um mecanismo automático que coleta metadados dos geo-
catálogos das instituições participantes. Hoje em dia, existem mais de 130 serviços Web Map Service (WMS) conectados ao Portal e mais de 11 mil registros de metadados disponíveis em sua base de dados (com mais de 160 mil registros de metadados associados que podem consultar-se). Este é o primeiro portal que oferece acesso a informação espacial de todos os países da região em um só lugar.

Nosso principal desafio, hoje, é a ampliação da rede GeoSur com a finalidade de incorporar um maior número de instituições, com ênfase na incorporação de instituições de áreas temáticas sub-representadas atualmente no GeoSur, como instituições do setor de saúde ou do setor educacional.

MG: Como você avalia o desenvolvimento das Infraestruturas de Dados Espaciais (IDE) na América Latina e Caribe, com relação a outras regiões do mundo?

EVP: Considero que se tem alcançado importantes avanços nos últimos anos na região, especialmente no estabelecimento de IDEs em vários países pela via de decretos ou diversos tipos de mandatos legais. Porém, em aspectos técnicos e no desenvolvimento de aplicações práticas que tenham utilidade para um número amplo de usuários, considero que ainda falta muito caminho a percorrer.

Países como Estados Unidos, Canadá ou Espanha, por mencionar uns poucos, apresentam avanços importantes e nos mostram modelos interessantes a seguir na região. Outros países com um desenvolvimento mais consonante com os países de nossa região, como Coréia, Taiwan e África do Sul, nos demonstram que se podem alcançar importantes avanços na formação de IDEs nacionais sem a necessidade de contar com fortes recursos finaceiros.

MG: Qual é a importância do Prêmio GeoSur para o desenvolvimento das tecnologias geoespaciais e as IDEs na região?

EVP: As instituições que outorgam este prêmio – o IPGH e o CAF – esperam que a premiação se consolide como um importante reconhecimento à aplicação dos dados espaciais ou o desenvolvimento de geoserviços na América Latina e Caribe, com ênfase em iniciativas que se tem desenvolvido no marco do Programa GeoSur ou colaboração próxima com o mesmo. Afinal de contas, se busca promover o uso da informação geográfica em aplicações práticas que contribuam ao desenvolvimento de nossos países e de nossa região.

MG: Como diferentes instituições podem participar do GeoSur?

EVP: A participação no Programa está aberta a instituições que produzam informação geográfica e que desejem estabelecer mecanismos práticos para sua disseminação a todo tipo de público. O mecanismo para participar é simples, pois as instituições interessadas somente têm que enviar uma carta de intenção ao CAF, expressando seu interesse em ser membros do GeoSur.


Endereço do CAF

Ave. Luis Roche, Torre CAF, Altamira,
Caracas – Venezuela

Telefone +58 (212) 209-2111

Email infocaf@caf.com