IDE IDE#Connect

Instituída em novembro de 2008 por meio do decreto 6.666, a Inde tem o intuito de nortear os padrões a serem adotados pelas instituições para a publicação de dados espaciais na web, tornando-os interoperáveis e acessíveis a toda sociedade. Permite catalogar e integrar dados geoespaciais de diversas instituições do governo brasileiro, produtoras e mantenedoras de dados, fazendo com que estes sejam facilmente localizados, explorados e acessados para os mais diversos usos. O objetivo é promover o compartilhamento e a disseminação desses dados por meio da catalogação de seus metadados.

Além do lançamento da publicação, a Embrapa Gestão Territorial participou, recentemente, do treinamento promovido pela Comissão Nacional de Cartografia (Concar) sobre a Inde. A participação no treinamento, realizado na Escola Nacional de Administração Pública (Enap – Brasília) em junho, faz parte de uma série de ações da unidade, que buscam constituir uma base sólida de conhecimento para sua colaboração com a Inde.

O treinamento focou a apresentação dos principais conceitos , princípios, processos decisórios e aspectos fundamentais correlacionados para a adoção da Inde, em níveis estratégico, gerencial, tático e operacional. Foram abordadas questões sobre as ferramentas necessárias para o desenvolvimento, a implantação, o gerenciamento, a manutenção e a operacionalização do Diretório Brasileiro de Dados Geoespaciais (DBDG), nome dado à rede de servidores integrados que reúne os produtores, gestores e usuários de informações geoespaciais da Inde.


IBGE divulga Divisão Urbano-Regional do Brasil

IDE 2 IDE#ConnectO Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou recentemente a Divisão Urbano-Regional do Brasil, que integra e conclui o Projeto de Regiões de Influência das Cidades (Regic) 2008. O estudo inédito delimitou 14 regiões ampliadas de articulação urbana, identificando as principais cidades que exercem influência em termos macrorregionais. A subdivisão das regiões ampliadas resultou em 161 regiões intermediárias cuja articulação interna baseia-se no oferecimento e busca de bens e serviços de alta complexidade. Já as 482 regiões imediatas de articulação urbana refletem a área vivida pela população e seu deslocamento mais cotidiano.

O banco de dados completo do trabalho disponibiliza arquivos com os limites e polos das regiões, além de tabelas e shapes com a composição das regiões por municípios, mostrando as etapas de formação de cada uma.


Chile lança mapa digital com informações territoriais

O Ministério de Recursos Nacionais do Chile lançou recentemente um mapa digital que visa melhorar os investimentos e tomada de decisões para o desenvolvimento de políticas públicas no país. O Map Viewer IDE é a primeira plataforma web com informações territoriais do Chile, que permitirá fácil acesso para um melhor planejamento de projetos em território chileno.

Este mapa é resultado do trabalho coordenado entre diversas instituições públicas envolvidas com a Infraestrutura de Dados Geoespaciais do Chile. Liderado pelo Projeto de Caracterização Territorial e pelo Sistema Nacional de Informação Territorial (Snit), o novo visualizador oferece apoio à tomada de decisão.

O mapa já está disponível no site www.ide.cl e, até o momento, conta com dados e informações de quatro regiões do norte do Chile (Arica e Parinacota, Tarapacá, Antofagasta e Atacama). O objetivo do projeto é adicionar uma região por mês, além de incorporar os dados do último Censo, protocolos de emergência, entre outros.


GSDI 14 será realizado na África

A 14ª edição da Conferência da Associação para a Infraestrutura Global de Dados Espaciais (GSDI, na sigla em inglês) se realizará de 4 a 8 de novembro em Addis Abeba, no continente africano.

O evento acontecerá em paralelo à conferência AfricaGIS 2013 e será uma oportunidade única para o debate sobre a implementação de Infraestruturas de Dados Espaciais (IDEs) em países com diferentes culturas.

Consulte a página da Conferência, em http://gsdi.org/gsdi14, para informações recentes e detalhes sobre o programa, serviços e oportunidades de patrocínio.


GIS no combate a desastres naturais será destaque no Intergeo

A 19ª edição do evento irá acontecer de 8 a 10 de outubro de 2013 na cidade de Essen, Alemanha, e vai contar com um espaço de debates sobre o uso de geotecnologias para o combate a desastres naturais.

Proteção contra desastres naturais é considerada uma das mais importantes áreas de aplicações de dados geográficos, tanto em nível nacional como internacional, que ajudam nos serviços de resgates. Quando ocorre uma catástrofe é importante, em primeiro lugar, identificar a localização exata do incidente e das pessoas afetadas, o que permite uma análise ágil dos dados, essencial para as esquipes de gestão de incidentes.

Em longo prazo, no entanto, dados geográficos fazem mais do que apenas oferecer uma base confiável de dados para avaliar pontos de risco. Para as áreas afetadas por enchentes, por exemplo, informações sobre a propagação de inundação é de extrema importância. Os dados coletados pelo satélite ou por levantamentos aéreos criam modelos tridimensionais com o objetivo de simular enchentes, fornecendo pontos de referência importantes em caso de crise.

O Intergeo é o maior evento do mundo sobre geoinformação, geodésia e gestão territorial. Mais de 16 mil visitantes de 80 países participaram da versão mais recente do evento, em 2012.

+Info
www.intergeo.de


Disponível o GeoBolivia-Live Versão 1.0

O GeoBolivia-Live Versão 1.0 é um DVD, pendrive ou máquina virtual, baseada em software livre, que permite o uso de ferramentas livres para a gestão de informação geográfica publicada na Infraestrutura de Dados Espaciais do Estado Plurinacional da Bolívia (IDE-EPB). GeoBolivia-Live Versão 1.0 é composto completamente por software de código aberto, o qual permite sua livre distribuição, difusão e acesso; utiliza Gnome Classic e Gnome Shol – o Gnome é carregado automaticamente em função da capacidade da placa gráfica – e proporciona um conjunto de aplicações pré-configuradas para a gestão de informação geográfica cuja funcionalidade permite o armazenamento, publicação, visualização, análise e manipulação de dados. Também são disponibilizados alguns dados geográficos acompanhados por seus respectivos metadados, além de manuais de uso empregando as ferramentas disponíveis.

+Info
http://geo.gob.bo