Exame mobilizou cerca de 4,1 milhões de estudantes no último fim de semana

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foi citado como fonte para a elaboração da redação e de três questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, que mobilizou cerca de 4,1 milhões de estudantes no último fim de semana.

Para a redação, que teve como tema a “manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”, a prova trouxe como motivação aos candidatos informações sobre acesso à internet, à televisão e posse de celular, que foram divulgadas este ano pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua.

mapa com imagem do enem 300x166 Informações do IBGE em destaque na redação e questões do EnemO Instituto também foi citado nas seções de Linguagem e de Ciências Humanas do Enem. A questão número 21 (prova amarela) citava a reportagem “Quando rotas se tornam arte”, publicada na Retratos, a revista do IBGE, sobre um artista canadense que utiliza o GPS (Global Positioning System) para criar suas obras.

Ainda na temática geográfica, a questão 50 (prova amarela) fez referência ao artigo “Vegetação e o uso da terra no planalto central”, publicado na Revista Brasileira de Geografia, do IBGE, que está disponível, gratuitamente, na Biblioteca virtual do Instituto.

O editor da Retratos, Marcelo Benedicto, lembrou que o conteúdo da revista já vinha sendo utilizado por vários professores, em sala de aula. Para ele, a presença do IBGE no Enem é motivo de orgulho, pois está de acordo com nossa missão institucional, de oferecer informações para o conhecimento da realidade brasileira e para o exercício da cidadania: “valorizo muito a qualidade das provas do Enem. A Retratos lá é sinal de que estamos chegando perto desse público, de que estamos com um material adequado e no caminho certo”.

Já na questão 73 (prova amarela), foi apresentada uma série histórica de 1996 a 2014 com a participação percentual do extrativismo vegetal e da silvicultura no país, proveniente da pesquisa da Produção da Extração Vegetal e Silvicultura, cuja última versão, com informações de 2017, foi divulgada em setembro deste ano.

Com informações e imagens do IBGE

Geotecnologias na Indústria 4.0

Você já pode marcar na sua agenda: de 25 a 27 de junho acontecem em São Paulo (SP) os eventos MundoGEO Connect e DroneShow 2019, os maiores da América Latina e entre os cinco maiores do mundo no setor.

Alinhados às tendências globais e com foco na realidade regional, o tema geral do MundoGEO Connect e DroneShow em 2019 será “Geotecnologias e Drones na Indústria 4.0”.

Os conteúdos dos cursos, palestras e debates estão sendo formatados por um time de 32 curadores para atender as demandas de empresas, profissionais e usuários principalmente nos setores de Agricultura, Cidades Inteligentes, Governança Digital, Infraestrutura, Meio Ambiente, Recursos Naturais, Segurança e Defesa.

Dentre as tecnologias disruptivas que estarão em destaque, estão Big Data, Inteligência Artificial / Machine Learning, Internet das Coisas, Realidade Virtual e Aumentada, BIM, Tecnologia Autônoma, entre outras, tudo isso cada vez mais integrado às Geotecnologias (Mapeamento, Cadastro, Imagens de Satélites, Inteligência Geográfica, GIS).

Os sites do MundoGEO Connect e DroneShow 2019 apresentam o time de curadores que está ajudando a desenhar de forma inovadora os conteúdos dos eventos. Ainda este ano será divulgado o formato e prazos para submissão de trabalhos, as formas de participação de startups e a lista completa de cursos inéditos e atividades paralelas da feira.

Confira como foi a última edição dos eventos MundoGEO Connect e DroneShow: