Produtos indicam aos gestores municipais áreas com propensão à ocorrência de fenômenos naturais como inundações, deslizamentos de terra, corridas de massa e enxurradas

Após um ano de mapeamento e estudo, o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) irá entregar ao Governo do Estado de São Paulo, amanhã (30/11), dez cartas de suscetibilidade a movimentos de massa e inundação referentes aos municípios de Caçapava, Joanópolis, Potim, Pindamonhangaba, Piracaia, Santo Antônio do Pinhal, São Bento do Sapucaí, São Caetano do Sul, Taubaté e Tremembé (SP).

Os produtos indicam aos gestores municipais áreas classificadas em alta, média e baixa propensão à ocorrência de fenômenos naturais, entre eles inundações, deslizamentos de terra, corridas de massa e enxurradas. Dessa forma, é possível nortear o crescimento urbano de forma adequada e segura, evitando vítimas, perdas e danos nos setores sociais, econômicos e de infraestrutura, como habitação, energia, saneamento, comércio, agricultura e serviços.

O documento também apresenta informações sobre a elevação do terreno analisado, precipitações médias anuais e mensais da chuva, declividade, padrões de relevo e, ocasionalmente, a descrição dos tipos de rochas presentes na região.

“O interior do Estado de São Paulo possui muitas feições erosivas (ravinas e voçorocas). Ou seja, grandes buracos de erosão causados pela chuva que foram catalogados no trabalho e permitem que o município tenha ciência e possibilidade de controle desses problemas”, explica Tiago Antonelli, pesquisador em Geociências e coordenador executivo do projeto das cartas de suscetibilidade na CPRM.

40 pesquisadores e analistas em Geociências do Serviço Geológico do Brasil atuaram no mapeamento, que contou com a parceria do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) durante o início do projeto na concepção metodológica.

A metodologia utilizada para elaboração das cartas conta com aquisição de imagens, modelos digitais do terreno/superfície, modelagem matemática, validação no campo e a etapa pós-campo que envolve o processamento dos dados até a publicação dos estudos no site da CPRM (www.cprm.gov.br).

Ações humanas, a exemplo da ocupação irregular do solo, podem modificar a dinâmica das áreas, sejam elas classificadas de alta, média ou baixa suscetibilidade. A incidência de propensão alta em áreas urbanizadas pressupõe condições com potencial de risco maior e requer estudos específicos.

area com risco de inundacao 300x200 Serviço Geológico identifica áreas suscetíveis a riscos de desastres naturaisEm 2012, a partir do Programa de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais do Governo Federal, o Serviço Geológico do Brasil deu início à elaboração desses produtos no país. 97 cartas já foram entregues ao Estado de São Paulo pela CPRM e IPT ao longo desses anos. Ao todo, 414 municípios de 22 estados brasileiros já foram mapeados.

A entrega das 10 cartas de suscetibilidade será realizada na Associação Comercial de Santos, amanhã (30), às 9h, durante a solenidade alusiva aos 30 anos de criação do Plano Preventivo da Defesa Civil e Lançamento da Operação Chuvas de Verão 2018/2019. Os arquivos serão entregues em um pen drive, em meio digital, com um QRCode junto ao produto, permitindo assim o acesso às cartas, no formato PDF, por meio de qualquer Smartphone ou Tablet.

Confira todos os municípios mapeados no Estado de São Paulo.

Geo e Drones na Indústria 4.0

Você já pode marcar na sua agenda: de 25 a 27 de junho acontecem em São Paulo (SP) os eventos MundoGEO Connect e DroneShow 2019, os maiores da América Latina e entre os cinco maiores do mundo no setor. Alinhados às tendências globais e com foco na realidade regional, o tema geral do MundoGEO Connect e DroneShow em 2019 será “Drones e Geotecnologia na Indústria 4.0”.

Os conteúdos dos cursos, palestras e debates estão sendo formatados por um time de 32 curadores para atender as demandas de empresas, profissionais e usuários principalmente nos setores de Agricultura, Cidades Inteligentes, Governança Digital, Infraestrutura, Meio Ambiente, Recursos Naturais, Segurança e Defesa.

Dentre as tecnologias disruptivas que estarão em destaque, estão Big Data, Inteligência Artificial / Machine Learning, Internet das Coisas, Realidade Virtual e Aumentada, BIM, Tecnologia Autônoma, entre outras, tudo isso cada vez mais integrado às Geotecnologias (Mapeamento, Cadastro, Imagens de Satélites, Inteligência Geográfica, GIS).

Os sites do MundoGEO Connect e DroneShow 2019 apresentam o time de curadores que está ajudando a desenhar de forma inovadora os conteúdos dos eventos. Ainda este ano será divulgado o formato e prazos para submissão de trabalhos, as formas de participação de startups e a lista completa de cursos inéditos e atividades paralelas da feira. Confira um resumo de como foi a última edição:

Imagem: Pixabay