Mapa é a representação cartográfica que traz informações sobre a altimetria e elementos fisiográficos do país, possibilitando a identificação de macrobacias hidrográficas e grandes estruturas de relevo

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) disponibilizou na última quinta-feira (6/12) o Mapa Físico do Brasil na escala 1:5 000 000.

Abrangendo aspectos físicos da superfície terrestre do território brasileiro, o mapa é uma representação cartográfica mural que traz informações sobre a altimetria e elementos fisiográficos do país, como montes, morros, picos, serras e corpos d’água.

O mapa ainda apresenta a organização político-administrativa do território nacional, com os 26 estados e respectivas capitais, além do Distrito Federal. A versão em PDF pode ser acessada aqui.

O Mapa Físico do Brasil na escala 1:5.000.000 fornece uma visão do conjunto das características fisiográficas do território, possibilitando a identificação de macrobacias hidrográficas e grandes estruturas de relevo.

novo mapa físico do brasil 600x453 Após 10 anos, IBGE lança nova versão do Mapa Físico do Brasil

O mapa foi elaborado a partir da versão 2016 da Base Cartográfica Contínua do Brasil ao Milionésimo (BCIM). Para a representação das altitudes, foi utilizado um sistema de graduação de cores hipsométricas que se inicia na cor verde, representando as altitudes mais baixas, e termina na cor magenta, que representa as maiores altitudes.

Disponível nas versões impressa e digital, o mapa tem como usuários potenciais estudantes e profissionais da educação. A última versão desse produto havia sido produzida em 2007.

Base Cartográfica Vetorial Contínua do Espírito Santo

base cartografica do espirito santo 215x300 Após 10 anos, IBGE lança nova versão do Mapa Físico do BrasilO IBGE também disponibilizou a base cartográfica vetorial contínua do Espírito Santo (BC100_ES), na escala 1:100.000 (1cm = 1.000m), que pode ser gratuitamente acessada aqui.

Esse é o segundo conjunto de dados geoespaciais vetoriais do Projeto BC100. Em formato digital para utilização em Sistemas de Informação Geográfica, a base cartográfica informa o posicionamento espacial, os nomes geográficos e a classificação dos elementos representados.

O projeto BC100 irá mapear todas as 27 unidades da federação na escala 1:100.0000, dando origem a um produto cartográfico ainda mais detalhado do que os atualmente disponíveis. Em 2016, o IBGE lançou as bases cartográficas de Goiás e do Distrito Federal. Com este lançamento, o projeto passa a contar com o mapeamento de três unidades da Federação.

As bases cartográficas vetoriais contínuas desse projeto são geradas a partir de interpretação de imagens do satélite RapidEye obtidas em 2013 e 2014, e complementadas com informações produzidas por instituições e órgãos governamentais parceiros.

Os arquivos digitais que compõem a BC100_ES estão em formato livre (Shape File, GeoPackage e Dump do banco PostGIS), para utilização em Sistemas de Informação Geográfica (SIG), compatíveis com diversos softwares para leitura desse tipo de dado.

A BC100_ES traz informações sobre as categorias Hidrografia, Sistema de Transporte, Energia e Comunicações, Abastecimento de Água e Saneamento Básico, Educação e Cultura, Estrutura Econômica, Relevo, Localidades e Limites da área representada. O sistema de referência geodésico é o SIRGAS2000, com sistema de coordenadas geográficas.

O produto apresenta ainda a lista dos nomes geográficos no formato CSV, para serem visualizados em ambiente SIG, onde é possível especializar, através de suas coordenadas geográficas, todos os nomes geográficos que integram a base, representados por pontos. Os nomes geográficos presentes nas listas estão associados, além de suas latitude e longitude, às respectivas categorias e classes dos elementos representados.

As principais aplicações da base envolvem programas de governo com enfoque territorial, propiciando análises que demandem uma visão de conjunto das unidades da federação e dá subsídio para representações temáticas – sociais, econômicas e ambientais – do território. A BC100_ES também pode ser acessada através do geoportal da INDE e seus metadados podem ser encontrados no catálogo de metadados do IBGE.

Geo e Drones na Indústria 4.0

Você já pode marcar na sua agenda: de 25 a 27 de junho acontecem em São Paulo (SP) os eventos MundoGEO Connect e DroneShow 2019, os maiores da América Latina e entre os cinco maiores do mundo no setor. Alinhados às tendências globais e com foco na realidade regional, o tema geral do MundoGEO Connect e DroneShow em 2019 será “Drones e Geotecnologia na Indústria 4.0”.

Os conteúdos dos cursos, palestras e debates estão sendo formatados por um time de 32 curadores para atender as demandas de empresas, profissionais e usuários principalmente nos setores de Agricultura, Cidades Inteligentes, Governança Digital, Infraestrutura, Meio Ambiente, Recursos Naturais, Segurança e Defesa.

Dentre as tecnologias disruptivas que estarão em destaque, estão Big Data, Inteligência Artificial / Machine Learning, Internet das Coisas, Realidade Virtual e Aumentada, BIM, Tecnologia Autônoma, entre outras, tudo isso cada vez mais integrado às Geotecnologias (Mapeamento, Cadastro, Imagens de Satélites, Inteligência Geográfica, GIS).

Os sites do MundoGEO Connect e DroneShow 2019 apresentam o time de curadores que está ajudando a desenhar de forma inovadora os conteúdos dos eventos. Ainda este ano será divulgado o formato e prazos para submissão de trabalhos, as formas de participação de startups e a lista completa de cursos inéditos e atividades paralelas da feira. Confira um resumo de como foi a última edição: