Edição atual tem ênfase no software livre QGIS. Apesar do enfoque das aplicações descritas serem direcionadas para usuários do Exército, seu conteúdo pode facilmente ser adaptado e extrapolado para outros campos do conhecimento

caderno de instrucao de geo Exército Brasileiro publica caderno de instruções de GeoinformaçãoNo ano de 2014, o Exército Brasileiro (EB) iniciou o seu processo interno de formalização dos conhecimentos acumulados, em decorrência da constante evolução na área das geotecnologias, com a publicação do Manual de Campanha de Geoinformação, com o propósito de difundir e ampliar no âmbito do EB os fundamentos, produtos, potencialidades e conhecimentos relacionados ao uso da geoinformação digital nas atividades desenvolvidas na Força Terrestre (operacionais, logísticas e administrativas).

Dando continuidade a esse processo, baseado em tecnologias livres, e cumprindo a sua atribuição legal de normatizar e produzir o conhecimento cartográfico do território nacional em prol da sociedade, no final do ano de 2018, a Diretoria de Serviço Geográfico (DSG), do Exército Brasileiro, elaborou e publicou o Caderno de Instrução de Geoinformação (CI Geoinfo), que apresenta uma série de conhecimentos teóricos e práticos no uso da Geoinformação.

O documento vem sendo empregado como material didático nos Estágios de Geoinformação para Corpo de Tropa, ministrados pelos Centros de Geoinformação, subordinados à DSG.

A edição atual tem ênfase no software QGIS 2.18, acompanhando o desenvolvimento dos plugins DSGTools e DSGTools Op. Nesse sentido, à medida que os referidos plugins migrarem para as novas versões do QGIS, o CI Geoinfo será atualizado.

Com o objetivo de distribuir o conteúdo de forma didática e sequencial, o CI Geoinfo foi dividido em três partes:

Parte I – Teoria da Geoinformação Básica e Configurações do QGIS
Parte II – Prática Básica com QGIS
Parte III – Prática Avançada com QGIS – Análises Espaciais e Emprego Militar

Na Parte I são abordados conceitos fundamentais relacionados à geoinformação como sistemas de referência, projeções cartográficas, escalas de representação, além de apresentar os principais conceitos referentes aos Sistemas de Informações Geográficas (SIG).

Já na Parte II, já com enfoque na parte prática, são apresentadas algumas fontes de dados geoespaciais, em especial o Banco de Dados Geográficos do Exército (BDGEx). Também são apresentadas ferramentas para manipulação de arquivos de formato vetorial e para confecção de mapas temáticos por meio do compositor de impressão do QGIS.

Por sua vez, na Parte III são abordados os seguintes tópicos: a execução de análises espaciais, a geração de produtos a partir de MDE e o esclarecimentos sobre possibilidades de emprego militar da geoinformação.

Apesar do enfoque das aplicações descritas no CI Geoinfo serem direcionadas para usuários do Exército, o seu conteúdo pode facilmente ser adaptado e extrapolado para outros campos do conhecimento e aplicações, de modo a ser extremamente útil tanto para civis quanto para militares de outras Forças e também de Forças Auxiliares, principalmente nas áreas de segurança pública, defesa civil, mapeamento de recursos naturais, inteligência, engenharia, planejamento urbano, cadastro ambiental rural, dentre outros.

A seguir seguem alguns exemplos de ferramentas apresentadas que podem ter aplicação dual em outras áreas, além da militar:

• Análise de visibilidade: aplicação em instalação de antenas de comunicação;
• Mapa de declividade: utilização em estudos e delimitação de bacias hidrográficas, definição de regiões de cultivo, entre outras;
• Áreas de influência: definição de áreas de responsabilidade de unidades de saúde, delegacias e escolas, por exemplo;
• Mapas de calor: análise da concentração de eventos de qualquer natureza; etc.

Para mais informações, acesse o Geoportal do Exército e confira na íntegra o Caderno de Instrução de Geoinformação (CI Geoinfo).

Com informações da DSG

Geo e Drones na Indústria 4.0

Você já pode marcar na sua agenda: de 25 a 27 de junho acontecem em São Paulo (SP) os eventos MundoGEO Connect e DroneShow 2019, os maiores da América Latina e entre os cinco maiores do mundo no setor. Alinhados às tendências globais e com foco na realidade regional, o tema geral do MundoGEO Connect e DroneShow em 2019 será “Drones e Geotecnologia na Indústria 4.0”.

Instagram Imagem Post B2 300x300 Exército Brasileiro publica caderno de instruções de GeoinformaçãoOs conteúdos dos cursos, palestras e debates estão sendo formatados por um time de 32 curadores para atender as demandas de empresas, profissionais e usuários principalmente nos setores de Agricultura, Cidades Inteligentes, Governança Digital, Infraestrutura, Meio Ambiente, Recursos Naturais, Segurança e Defesa.

Dentre as tecnologias disruptivas que estarão em destaque, estão Big Data, Inteligência Artificial / Machine Learning, Internet das Coisas, Realidade Virtual e Aumentada, BIM, Tecnologia Autônoma, entre outras, tudo isso cada vez mais integrado às Geotecnologias (Mapeamento, Cadastro, Imagens de Satélites, Inteligência Geográfica, GIS).

Os sites do MundoGEO Connect e DroneShow 2019 apresentam o time de curadores que está ajudando a desenhar de forma inovadora os conteúdos dos eventos. Ainda este ano será divulgado o formato e prazos para submissão de trabalhos, as formas de participação de startups e a lista completa de cursos inéditos e atividades paralelas da feira. Confira um resumo de como foi a última edição: