2009 | GeoDrops

GeoDrops

O bom velhinho vai usar mapas da Navteq neste Natal

Por MundoGEO | 14h17, 22 de Dezembro de 2009

Segundo um comunicado oficial , o Departamento de Transportes do Polo Norte (NPDOT, na sigla em inglês) obteve a última versão dos mapas digitais da Navteq para assegurar que o Papai Noel tenha dados precisos para realizar as entregas na noite de Natal. De acordo com o anúncio, o NPDOT identificou os mapas da Navteq como fundamentais para o planejamento das rotas.

“Nós atualizamos o trenó do Papai Noel no ano passado, optando por um modelo com navegação, e ficamos surpresos com a economia de tempo e energia na expedição do Natal de 2008", comentou Buddy D. Elf, secretário do NPDOT. "Todos no Departamento, incluindo o Papai Noel, agora entendem perfeitamente o valor da navegação e a importância de mapas altamente precisos e confiáveis".

 

pegadinha do malandro ra O bom velhinho vai usar mapas da Navteq neste Natal
 

Parece brincadeira – e realmente é – mas este foi o assunto de um press release lançado pela Navteq no último dia 17 de dezembro. Alguns portais gringos da área de geotecnologia – que nem se deram o trabalho de checar o conteúdo da informação – acabaram copiando/colando a nota e publicaram o press release na íntegra, como se fosse uma notícia. Parabéns à Navteq pela iniciativa e pelo bom humor.

Primeiro de abril!

A Google também lança, geralmente no dia 1º de abril, algumas informações desse tipo, que acabam sendo publicadas por alguém desavisado. Uma das melhores foi o lançamento do Gmail Paper, que anunciava um serviço no qual o usuário enviava o arquivo de texto ou planilha para a Google e a companhia imprimia e entregava em casa.

Quando anunciaram o Goggles, no início eu achei que fosse uma pegadinha, mas é um projeto que está em desenvolvimento no Google Labs. Na dúvida, primeiro eu duvido e depois vou checar.

share save 171 16 O bom velhinho vai usar mapas da Navteq neste Natal

Galileo Networking Meeting for Industry

Por MundoGEO | 11h55, 19 de Novembro de 2009

Estou ficando um pouco ansioso, já que na semana que vem farei minha primeia palestra em inglês. Vou falar uns 20 a 25 minutos sobre as atividades do Centro de Informação do Galileo e do Latino. Este Latino, não este.

A palestra será na manhã do dia 24 de novembro, como parte do Encontro Galileo para a Indústria (uma tradução que não gostei muito para Galleo Networking Meeting for Industry). Além da minha apresentação, na manhã do primeiro dia haverá as palestras de Stefano Scarda (Comissão Europeia), Daniel Ludwig (Autoridade Supervisora de GNSS da Europa), Santiago Soley (Pildo Labs), Fernando Salla (Atech) e Peter Grognard (Septentrio).

No período da tarde vão falar Eurico de Paula (Inpe), Raimundo Mussi (AEB), João Francisco Galera Monico (Unesp) e Ulrike Daniels (Galileo Masters). Já o dia 25 de novembro terá a manhã reservada para mesas redondas sobre aplicações e perspectivas do GNSS no Brasil, como palestras de sobre agricultura, mapeamento do uso do solo, aviação, marinha, transportes, resposta a emergências, rastreamento de veículos e desenvolvimento de receptores, com especialistas nessas áreas.

O evento vai acontecer no auditório do Laboratório de Integração e Testes (LIT) do Inpe, em São José dos Campos (SP). É no LIT onde são testados os satélites Cbers. Na tarde do dia 25 haverá uma visita guiada ao laboratório para os participantes do Encontro (máximo 60 pessoas).

Para quem tiver interesse em participar do Encontro Galileo para a Indústria, as inscrições são gratuitas mas as vagas são limitadas. É preciso baixar este formulário de inscrição e enviá-lo preenchido para seminario@mundogeo.com, até no máximo amanhã (20 de novembro).

A MundoGEO faz parte do Consórcio Latino e estará presente com uma palestra no primeiro dia e na mediação das mesas redondas do segundo. O idioma oficial do evento é o inglês, mas a maioria das mesas redondas do dia 25 serão em português.

share save 171 16 Galileo Networking Meeting for Industry

As 10 funções dos celulares que serão sucesso em 2012

Por MundoGEO | 11h27, 19 de Novembro de 2009

A Gartner, especializada em pesquisas na área tecnológica, divulgou esta semana uma lista com as dez aplicações móveis que serão mais populares até 2012. Para isso, a consultoria levou em conta seu impacto sobre os consumidores e agentes do setor, considerando receitas, lealdade, modelo de negócio, valor para o usuário e a penetração estimada no mercado.

Reproduzo abaixo a lista com os dez mais de 2012:
1 – Transferência de dinheiro
2 – Serviços Baseados em Localização (LBS)
3 – Busca móvel
4 – Consultas móveis
5 – Saúde
6 – Mobile payment
7 – Near Field Communication (NFC)
8 – Publicidade móvel
9 – Mobile Instant Messaging
10 – Música

Com a entrada do Google no mercado de softwares para celulares, espera-se um crescimento cada vez maior no setor de LBS. Quando 2012 chegar eu volto aqui para colocar um post e ver se a Gartner acertou suas previsões.

Leia a íntegra da matéria sobre as dez funções para celular que farão sucesso em 2012.

share save 171 16 As 10 funções dos celulares que serão sucesso em 2012

Hoje é o Dia do GIS!

Por MundoGEO | 16h17, 18 de Novembro de 2009

O Dia do GIS passou meio despercebido no Brasil. Fora algumas louváveis ações, como por exemplo o I GIS Day Brasil da Universidade Federal de Alfenas e o rali geográfico da Imagem, o evento parece não empolgar muito os brasileiros.

No GIS Day 2008 um grupo de fanáticos por geoprocessamento lançou um vídeo engraçado chamado It’s a Map of the World as We Know It, baseado na música do REM It’s the End of the World as We Know It.

No ano anterior o mesmo grupo lançou a música G-I-Yes! Não conheço o original, mas não parece grande coisa.

Este ano parece que até eles estão meio desanimados, pois ainda não apareceu nada no YouTube. No Brasil, bem que alguém poderia fazer alguma versão de Garota de Ipanema, Aquarela ou Festa no Apê (esta última talvez não seja uma boa ideia).

share save 171 16 Hoje é o Dia do GIS!

Agrimensores têm emprego garantido (!?!)

Por MundoGEO | 15h58, 18 de Novembro de 2009

O tema do Globo Repórter de 30 de outubro foi "Veja como ter uma profissão de sucesso sem passar pela universidade". Dentre as profissões apresentadas estava o curso técnico de agrimensura, com destaque para a Escola Técnica Estadual Vasco Antonio Venchiarutti (Etevav).

Na verdade, não é só o curso de agrimensura que está em alta, mas vários outros como por exemplo o de geomensura, sem falar nos cursos que formam tecnólogos em geoprocessamento.

Na segunda-feira posterior ao Globo Repórter sobre agrimensura, o telefone bombou aqui na MundoGEO com pessoas interessadas em cursos de agrimensura, topografia, etc.. É impressionante como a Globo ainda tem um grande poder de influência na decisão das pessoas (aqui abro parênteses para falar sobre a influência dos meios de comunicação de massa … domingo passado eu estava na feira e um comerciante comentou que se ele tivesse 50 quilos de banana teria vendido, e perguntou se havia passado algo na Globo sobre os benefícios da banana … parece que é assim mesmo que funciona … fecha parênteses).

A área de cartografia e agrimensura parece estar em alta na Globo, pois no programa do dia 13 de novembro, sobre o Cerrado, o pesquisador Nilson Ferreira, do Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento da Universidade Federal de Goiás, foi destaque em um dos blocos do Globo Repórter.

Nos últimos dias, muitas empresas têm entrado em contato conosco para divulgarmos vagas, para topógrafos, agrimensores, cartógrafos, analistas em geoprocessamento, etc., tanto no Brasil como em Portugal e Angola. Parece que a pior fase realmente ficou para trás e a economia voltou a crescer.

share save 171 16 Agrimensores têm emprego garantido (!?!)

Curso técnico de agrimensura no Globo Repórter

Por MundoGEO | 17h55, 30 de Outubro de 2009

Eu não sou fã do Globo Repórter, mas hoje o programa vai apresentar as novas oportunidades de trabalho para os brasileiros.

Dentre as profissões, um dos destaques vai ser o agrimensor, segundo a Globo "um profissional antigo de nome complicado".

Quem assistir, por favor me avise se foi legal.

share save 171 16 Curso técnico de agrimensura no Globo Repórter

Primeiro seminário online MundoGEO. Está chegando a hora

Por MundoGEO | 17h52, 28 de Outubro de 2009

Já está dando um friozinho na barriga pela expectativa da estreia dos seminários online MundoGEO. A primeira edição vai acontecer amanhã (quinta-feira) antes do meio-dia (a partir das 11h), sobre as imagens da constelação de satélites RapidEye, com participação grátis.

Eu conheci a ferramenta GoToWebinar de seminários online (ou webinars, ou ainda webinários … pessoalmente, não gosto muito desses nomes) quando participei de um evento sobre mídias sociais. Aí fiz um teste gratuito e vi que vale muito a pena usá-la, tanto para reuniões entre pessoas de uma mesma empresa que estão em locais diferentes, como para a realização de seminários online para centenas de pessoas ao mesmo tempo.

A empresa Santiago & Cintra Consultoria acreditou no projeto e topou patrocinar nosso primeiro seminário, com o tema "conheça a constelação de satélites com a maior disponibilidade de dados atuais do Brasil". Esse evento vai abordar tanto as características técnicas como as aplicações da constelação de cinco satélites RapidEye. O palestrante do seminário online será Marcos Leandro Kazmierczak (sobrenome difícil .. ainda não aprendi direito a pronúncioa, mas até amanhã vou treinar), engenheiro florestal e mestre em sensoriamento remoto.
 
Os seminários online MundoGEO foram idealizados para fins educacionais e informativos, sobre lançamentos, cases e tendências no setor de geotecnologia. A metodologia é totalmente alinhada aos conceitos de sustentabilidade e às demandas por conteúdo profissional em um rápido espaço de tempo, sem a necessidade de deslocamentos, tanto do palestrante como dos participantes.

As vagas no seminário são limitadas a 1.000 participantes. Garanta seu espaço no seminário Imagens RapidEye.

 

share save 171 16 Primeiro seminário online MundoGEO. Está chegando a hora

Copa + Olimpíadas = 7 anos de obras no Brasil

Por MundoGEO | 7h49, 05 de Outubro de 2009

Com a confirmação do Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, brilhou o olho dos empreendedores de todo o País.

Esses dois eventos vão transformar o Brasil – e o Rio de Janeiro em especial – em um gigantesco canteiro de obras. Com responsabilidade na liberação de recursos por parte do governo, controle nos gastos por parte de toda a sociedade e excelência na gestão por parte dos empresários, o Brasil tem tudo para ser a principal nação da próxima década.

Será uma verdadeira revolução na infraestrutura, não só com grandes obras na região Sudeste – como o trem de alta velocidade entre Campinas, São Paulo e Rio -, mas também com mudanças estruturais nas regiões Norte e Nordeste.

E a geomática?

O setor de geotecnologia tem tudo para ser alavancado por toda essa movimentação, com trabalho nos setores de topografia (locação de obras, implantação de rodovias e ferrovias, etc), monitoramento de estruturas (pontes, viadutos, estádios, etc), GIS (gestão de obras, geomarketing, utilities, etc), sensoriamento remoto (cartografia, imagens para veículos de comunicação e agências de turismo, etc), dentre outros.

Bom trabalho a todos nos próximos sete anos!

share save 171 16 Copa + Olimpíadas = 7 anos de obras no Brasil

As profissões do pré-sal

Por MundoGEO | 12h13, 01 de Outubro de 2009

O Brasil vai precisar de muita mão-de-obra, em todos os níveis, desde soldadores a engenheiros de formação sofisticada, passando por geólogos, especialistas em logística, saúde e meio ambiente.

Só os investimentos aprovados pela Petrobras até 2013, dos quais o pré-sal é um dos carros-chefes, vão exigir a qualificação de 207 mil pessoas em 185 categorias diferentes.

Leia a íntegra da matéria sobre as profissões do pré-sal.

share save 171 16 As profissões do pré sal

Injeção de sensoriamento remoto na veia

Por MundoGEO | 11h01, 01 de Outubro de 2009

Injeção na veia. Foi este o termo usado por um participante do Seminário 1001 Utilidades das Imagens de Satélites para definir o que aconteceu ontem no Hotel Bourbon Ibirapuera, em São Paulo.

Foram vários meses de preparativos, convites a palestrantes de debatedores, divulgação via portal, revistas, assessoria de imprensa, Twitter, Facebook, LinkedIn e email marketing (aqui abro um parênteses para falar sobre o envio de informações sobre o Seminário para a mesma base que recebe o informativo MundoGEO. Infelizmente, ainda não temos uma ferramenta para separar quem só deseja receber o informativo de quem também permite receber informações comerciais da MundoGEO. Isso estará disponível em breve), para condensar tudo em um só dia, com uma "overedose" de geoinformação.

Porém, o Seminário não termina aqui. Dentro de alguns dias vamos disponibilizar os principais momentos no canal da MundoGEO no YouTube, com a possibilidade de postar comentários sobre as palestras/debates. Além disso, alguns trechos serão disponibilizados também em podcast, no formato mp3, para quem esteve presente relembrar alguns pontos e também para quem não teve a possibilidade de assistir ao vivo saber o que rolou.

Durante o evento fizemos uma cobertura em tempo real pelo Twitter do Seminário, com vários posts a cada debate. Nossa intenção era receber perguntas aos palestrantes também pelo Twitter, mas não chegou nenhuma icon smile Injeção de sensoriamento remoto na veia . Talvez por ainda ser novo, com poucos seguidores, o Twitter do Seminário não tenha surtido o efeito esperado. Para o próximo evento, esperamos uma participação maior através dessa ferramenta.

Agenda

A programação do Seminário foi muito dinâmica, com 23 palestrantes/debatedores em um mesmo dia. Destaque para a palestra inicial, do meu ex-colega de faculdade Wilson Holler, hoje na Embrapa, que fez um apanhado geral sobre conceitos de sensoriamento remoto e sobre as diversas opções de sensores orbitais e aerotransportados disponíveis hoje e em um futuro próximo.

Na sequência veio um debate sobre as diferenças e complementaridades entre imagens orbitais e fotos aéreas. Neste painel houve alguns excessos comerciais, já que cada debatedor queria "vender o seu peixe", porém foi o que teve maior número de perguntas, o que mostrou o interesse dos participantes sobre como escolher entre essas tecnologias.

O último debate da manhã teve como foco os sensores radar e laser, que vão além das possibilidades dos sistemas óticos, podendo mapear áreas mesmo em presença de nuvens ou de vegetação densa, tanto de dia como à noite. Três representantes de sensores orbitais e um de sensor aerotransportado mostraram como essa tecnologia tem evoluído no Brasil.

No início da tarde, um dos destaques foi o palestrante do Inpe, José Carlos Epiphanio, que falou sobre a marca de 1 milhão de imagens de satélites distribuídas gratuitamente pelo Instituto. Mateus Batistella, da Embrapa Monitoramento por Satélites, também falou sobre como as geotecnologias podem contribuir para o desenvolvimento sustentável do país.

Na sequência, dois debates parecidos, sobre sensoriamento remoto para áreas urbanas e rurais, mostraram como a tecnologia, tanto orbital como aerotransportada, contribui para o mapeamento dessas áreas. Depois do coffee break e do famoso "networking", veio um debate sobre as possibilidades de atualização cartográfica, mostrando como o mapeamento está ficando cada vez mais fácil e econômico.

Para fechar, dois representantes de grandes empresas fornecedoras de imagens orbitais falaram sobre os novos modelos de negócios que estão surgindo, tanto para a aquisição  – como por exemplo acesso online e quiosques globais de imagens – como para o uso de dados – como por exemplo a migração do 2D para 3D e novos segmentos que utilizam informação geoespacial.

Sorteio

Ao final do dia, com o auditório ainda cheio, foram sorteados os seguintes brindes: um kit MundoGEO, com assinatura das três revistas, um livro e uma camiseta; uma entrada para o próximo seminário, a ser realizado em dezembro; uma imagens de acervo dos satélites GeoEye ou Ikonos, com 49 quilômetros quadrados, cortesia da Space Imaging; e um Ipod Shuffle com 4Gb de memória, cortesia da Santiago & Cintra Consultoria.

Pena que ninguém da equipe MundoGEO podia concorrer icon smile Injeção de sensoriamento remoto na veia

Próximo seminário

O terceiro Seminário MundoGEO será realizado no início de dezembro (provavelmente no dia 3), novamente em São Paulo, com o título e tema (preliminares): Google Maps e Earth para Empresas – Descubra como as ferramentas enterprise do Google podem impulsionar o seu negócio.

Fique ligado!

share save 171 16 Injeção de sensoriamento remoto na veia
  • Eduardo Freitas
    @eduardo
    Diretor de Operações do MundoGEO. Engenheiro Cartógrafo, Técnico em Edificações, Especialização em Gestão Estratégica de EAD. Tradutor dos informativos GeoSur e OGC Iberoamérica. Nas horas vagas: pão caseiro, comida japonesa e meia-maratona

    Diretor de Operações do MundoGEO. Engenheiro Cartógrafo, Técnico em Edificações, Especialização em Gestão Estratégica de EAD. Tradutor dos informativos GeoSur e OGC Iberoamérica. Nas horas vagas: pão caseiro, comida japonesa e meia-maratona

  •