2015 | Google Earth na Sala de Aula

Google Earth na Sala de Aula

Mapeamento de cartografia histórica

Por Luis Correia Antunes | 0h06, 06 de Dezembro de 2015

Captura de tela 2015 12 04 16.14.55 300x194 Mapeamento de cartografia histórica

Georreferenciamento de Cartografia Histórica (Carta digital da biblioteca da USP)

Para mim, uma das tarefas mais fascinantes que existem no Google Earth é poder realizar o georreferenciamento de mapas antigos. Estas cartografias históricas mostram não só como evoluiu a arte de cartografar como ainda têm uma grande componente histórica quer dos países quer do conhecimento que tínhamos do mundo. Se aliarmos a esta componente histórica da cartografia um globo virtual como o do Google Earth, temos uma impressionante apresentação destas peças de arte. Conseguimos sobrepor várias cartas antigas e imagens de satélite sobre a mesma localidade para, com esta composição cartográfica, mostrar a evolução territorial desses locais. O acesso a estas cartas está hoje em dia mais facilitado com as bibliotecas digitais. Existem muitas bibliotecas nacionais governamentais ou privadas (quer públicas ou particulares) que partilham nos seus sites de Internet as imagens rasterizadas das cartas históricas existentes no seu espólio. Existem ainda outras bibliotecas que partilham as suas cartas já georreferenciadas, como é o exemplo da Rumsey e da Biblioteca Nacional da Colômbia.

Tendo a consciência da importância destas novas tecnologias geográficas na reutilização do seu espólio digital e fruto deste meu gosto pelas cartas históricas, a Biblioteca Nacional de Portugal (BNP) assinou um protocolo de colaboração com o projeto Google Earth na Sala de Aula. Desde o primeiro contacto que a biblioteca recebeu com enorme entusiasmo este desafio, demonstrando uma enorme paixão no trabalho que fazem. Este protocolo contempla formação para os técnicos da BNP, assessoria técnica em geotecnologias, apoio na disseminação da reutilização dos seus mapas e participação ativa na partilha dos conteúdos cartográficos georreferenciados no Google Earth. Assim, a comunidade educativa (principalmente a rede de bibliotecas escolares) e os apaixonados por estas geotecnologias, passaram a ter acesso a mais conteúdos cartográficos históricos georreferenciados e ainda a documentação de apoio ao processo de georreferenciamento. Na página oficial do projeto (www.mapasnasaladeaula.org) passou a haver um repositório exclusivo para este tema chamado Cartografia Histórica, onde já existem três mapas elaborados no âmbito deste protocolo. Existe ainda um filme no canal do Youtube do projeto que explica como realizar o georreferenciamento das cartas no Google Earth. Para os mapas publicados no projeto uso o software opensource QGis para georreferenciar as cartas e, posteriormente, faço a importação do Geotiff resultante deste processo no Google Earth Pro (veja como instalar gratuitamente). Desta maneira consigo melhor precisão. Mas para a generalidade das utilizações, o georreferenciamento na versão tradicional do Google Earth é bem eficaz e mais fácil. Saiba mais sobre esta parceria em www.mapasnasaladeaula.org e veja o filme que explica como realizar esta tarefa. Experimente você também a georreferenciar estes documentos digitais, dando-lhes uma nova vida e (ainda) mais utilidade.

Deixo aqui uma lista de bibliotecas e repositórios digitais onde podem aceder a cartas em formato imagem para realizar este trabalho de georreferenciamento. Se souber de mais e quiser partilhar com os restantes leitores deste blog, envie mensagem com sites para adicionar a esta lista.

Biblioteca Nacional de Portugal:
http://purl.pt/index/cart/PT/index.html

Biblioteca Digital de Cartografia Histórica da USP:
http://www.cartografiahistorica.usp.br/

Atlas de São Tomé e Príncipe (imagens com baixa resolução):
http://atlas.saotomeprincipe.eu/6_atlasstp_cartografiaantiga.htm

Biblioteca Nacional do Brasil (poucas cartas em formato imagem):
http://acervo.bn.br/sophia_web/index.html

Biblioteca Nacional de Colombia (já com mapas em KML):
http://www.bibliotecanacional.gov.co/content/mapoteca

Atlas do Patrimônio Cultural da Lapa, Ministério da Cultura (Obrigado Prof. Dra. Naomi):
http://www.atlaspatrimoniolapa.com.br/

share save 171 16 Mapeamento de cartografia histórica

Novo curso online Google Earth Pro com ferramentas avançadas

Por Luis Correia Antunes | 23h26, 24 de Junho de 2015

Google Earth Pro is now Free 300x168 Novo curso online Google Earth Pro com ferramentas avançadas

Sabia que o Google Earth serve para mais do que ver imagens de satélite e localizar a sua casa? Sabia que agora o Google Earth Pro é gratuito? Já precisou de usar as tecnologias geoespaciais e não sabia como? Sabia que agora já pode importar arquivos SHP para o Google Earth? Estas e outras questões são frequentes para quem, como eu, ministra formação e divulga tecnologia geoespacial há mais de 10 anos e trabalha com o Google Earth desde o seu lançamento em 2005.

O que era de acesso limitado e quase exclusivo a institutos públicos, a especialistas e a empresas com capital para adquirir os dados geográficos, a partir de 2005 com o surgimento das várias ferramentas Google Geo (Google Earth, Google Maps, Google StreetView, … ) houve uma nova abordagem que fez mudar o paradigma do acesso a dados. Estas novas ferramentas vieram abrir novos horizontes e possibilitaram a criação de muitas áreas de negócios para os profissionais na área das Geotecnologias. Este ano, a empresa Google veio revolucionar novamente o mundo da geotecnologia disponibilizando gratuitamente a versão profissional do Google Earth. Basta fazer o download do Google Earth Pro e seguir as indicações de instalação. Agora, depende de cada um de nós saber tirar partido desta ferramenta para proveito lúdico e/ou profissional, gratuitamente.

A parceria com o Instituto GEOeduc traduziu-se no novo curso online do software Google Earth Pro, lançado a 19 de junho de 2015. Este curso pretende ajudar os interessados no potenciamento deste software, aumentando a produtividade e melhorando a apresentação de conteúdos cartográficos, elevando os seus níveis de trabalho para níveis de um verdadeiro profissional de geoprocessamento. Assim, o “Curso prático online Google Earth Pro com ferramentas avançadas” vem colmatar uma lacuna no mercado de educação à distância, totalmente em português. Com exercícios práticos e vídeos demonstrativos da aplicação das diversas ferramentas e acesso exclusivo a arquivos de Portugal e Brasil de apoio à sua execução. Este é o curso indicado para quem gosta e precisa de usar tecnologias geoespaciais. E atenção!!! Acaba hoje, dia 25, a campanha especial de lançamento que inclui desconto no preço de inscrição e ainda o acesso a dois cursos de curta duração: “Criação de mapas temáticos” e “Iniciação ao geoprocessamento”, entre outros bônus. Veja quais os bônus e benefícios clicando aqui.

Para o lançamento do curso, o MundoGEO realizou um Webinar em que participaram 1750 pessoas que assistiram à apresentação “Google Earth Pro grátis: como tirar o máximo proveito?”. Um record nos mais de 300 webinars organizados pela MundoGEO e pelo Instituto GEOeduc. Foram apresentados alguns dos conteúdos do curso, bem como as ferramentas avançadas que se passou a dispor com o acesso gratuito do Google Earth Pro. Se não conseguiu assistir, veja na integra o replay da apresentação. Pode ainda visualizar a apresentação deste webinar em Google Slide, com a possibilidade de comentar e colocar qualquer dúvida.

Este curso vai permitir adquirir conhecimentos no manuseamento do Google Earth e nos comandos tradicionais como a adição e caracterização de elementos cartográficos em mapas e a sua apresentação dinâmica, bem como trabalhar com dados GPS. O curso também irá focar as novas opções da versão Pro, tais como: o acesso a mais opções de interoperabilidade de dados (importação de SHP, GeoTIFF, CSV, etc), ferramentas avançadas (cálculo de áreas em 2D e 3D, altura de elementos, circunferências, áreas de visibilidade), geocodificação automática de lista de endereços, regionalização de mapas vectoriais e imagens, entre outras opções avançadas. O curso não se vai restringir ao uso do Google Earth para criar arquivos KML. Como o formato nativo do Google Earth (KML) é de código aberto e facilmente reconhecido por outras plataformas, desafia-se os formandos a aproveitarem vários sites de internet e ferramentas gratuitas que geoprocessam arquivos KML: cálculo de buffers, identificação de pontos dentro ou fora de um determinado polígono, georreferenciamento de imagens, criação automática de listagem de cálculo de áreas de polígonos existentes num KML, são alguns desses geoprocessamentos. Veja alguns vídeos-exemplos com exercícios práticos da aplicação das ferramentas do Google Earth Pro e comece hoje mesmo a tirar partido das ferramentas avançadas.

share save 171 16 Novo curso online Google Earth Pro com ferramentas avançadas

Demografia Populacional Brasileira de 1872 a 2010 em Google Earth

Por Luis Correia Antunes | 16h27, 09 de Abril de 2015

jm2o0 Demografia Populacional Brasileira de 1872 a 2010 em Google Earth

10629834 391622827665184 1162299457817500896 n 150x150 Demografia Populacional Brasileira de 1872 a 2010 em Google Earth

Demografia Populacional do Brasil 1872 - 2010

Em março de 2015 foi lançado mais um mapa para o projeto Google Earth na Sala de Aula, desta vez direcionado para o público brasileiro. Tirando partido da componente espaciotemporal 3D do Google Earth combinou-se a evolução demográfica populacional do Brasil, com os dados dos Censos Demográficos desde 1872 a 2010, com a evolução territorial dos Estados brasileiros correspondentes a cada ano de recenseamento. O resultado é um arquivo KML com 11 camadas de dados, um por cada ano de Censo Demográfico populacional do Brasil, com a componente temporal (elemento TimeSpan do código KML), e a altura do polígono do Estado de acordo com a população residente. Este mapa foi criado com base na informação disponibilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, sem o qual este trabalho não era possivel. O meu sincero obrigado ao IBGE.

MapaBrasil 300x162 Demografia Populacional Brasileira de 1872 a 2010 em Google Earth

QGis com os dados dos Censos Demográficos Brasileiros 1872 a 2010

As ferramentas usadas para a realização deste recurso cartográfico foram o software opensource QGis, a aplicação Google Sheets na Drive para trabalhar as planilhas de dados e o Notepad++ para edição do ficheiro KML resultante da exportação dos dados geográficos. Deu-se início ao trabalho com edição cartográfica no QGis onde se realizou a junção (comando join) da componente espacial dos limites dos Estados com os dados alfanuméricos dos censos do IBGE, tendo em consideração campos comuns entre os dois conjuntos de dados. Realizou-se uma generalização cartográfica com a eliminação de pequenos polígonos e eliminação de vertíces próximos (para reduzir o tamanho do arquivo). Normalizou-se o nome dos campos da planilha e dos registos para os 11 mapas. Apesar do atual licenceamento gratuito da versão do Google Earth PRO, onde já é possivel importar arquivos ShapeFile para o Google Earth, usou-se o QGis para exportar cada um dos 11 arquivos ShapeFiles (por cada ano) para KML. De seguida, usou-se a aplicação GEGraph para atribuir as alturas dos Estados, em forma de gráficos, de modo a representar os dados da população. Para finalizar e para o mapa ficar mais “bonito”, usou-se o NotePad++ para colocar o título e as legendas no KML, com recurso ao código Screen Overlay das imagens, e para a edição do código do KML, criando as hiperligações e uniformização do texto.

Este filme mostra o resultado obtivo e exemplifica a sua utilização. Deste mapa sobressai as alterações das divisões dos Estados ao longo dos anos, o aumento demográfico exponencial de Estados do litoral como o Estado de São Paulo, ultrapassando o de Minas Gerais na década 40′s do século passado. Exemplifica ainda como pode cruzar este mapa com outros recursos do projeto como os Países do Continente Americano ou o mapa com Alterações Climáticas entre 1900-2100 (classificação KÖPPEN-GEIGER). Aproveite e baixe gratuitamente o mapa para o seu computador através da ligação existente na descrição do filme do Youtube ou através desta ligação. Este mapa vai ter continuação com outro recurso cartográfico que tenho planeado. Será sobre a evolução territorial do Brasil desde o século XIV até à atualidade. Quem quiser participar colaborativamente neste trabalho, pode entrar em contato comigo (pode ser através de comentários deste Post) para participar e realizar mais um recurso gratuito para ser aproveitado por toda a comunidade. Basta ter mapas ou informações úteis para a sua realização e será bem vindo para este trabalho e ser co-autor de um mapa KML do projeto.

Foi com grande satisfação que recebi a notícia de que o projeto Google Earth na Sala de Aula tinha sido um dos premiados nos Premios MundoGEO#Connect LatinAmerica 2015, na categoria de Projectos de Educação. A todos os que acompanham o meu trabalho e fazem deste projeto, sens fins lucrativos, ainda mais especial, o meu obrigado. Juntos fazemos mais e melhor.

Acompanhe a publicação de novos recursos e mapas do projeto subscrevendo o canal Youtube com os filmes demonstrativos da sua aplicação e fazendo “Gosto” na página do facebook do livro. Desfrute de mais este recurso, partilhando o conhecimento com os seus alunos e colegas com criatividade e originalidade. Entretanto, o curso Google Earth Pro, no instituto GeoEduc, foi atualizado para a versão Pro deste software (agora gratuito). Fica aqui um filme demonstrativo do que se pode aprender neste curso.

Luis Correia Antunes

share save 171 16 Demografia Populacional Brasileira de 1872 a 2010 em Google Earth

Perfil Topográfico do edificado urbano com Google Earth Pro

Por Luis Correia Antunes | 17h03, 12 de Março de 2015
ReguaPro 300x171 Perfil Topográfico do edificado urbano com Google Earth Pro

Opções novas na ferramenta Régua com o Google Earth Pro

Com acesso gratuito à versão Google Earth Pro (consulte o post anterior para saber como descarregar e instalar esta versão gratuitamente), passámos a dispor de ferramentas avançadas e mais poderosas como Impressão de composições cartográficas as em formato imagem, gravação de filmes, determinação de áreas de visibilidade, a importação de outros formatos de dados (Shapefile, CSV, entre outros), a geocodificação de endereços. Umas das ferramentas que passou a ter (ainda) mais utilidade é a Régua, onde passámos a ter novas opções de medições que nos podem ser bastante úteis e que vos vão surpreender. Para além da medição de Linha ou Caminho do Google Earth tradicional, temos agora o cálculo de área de Polígono, Círculo e Polígono 3D e cálculo de distâncias com Caminho 3D.

Edificado 300x163 Perfil Topográfico do edificado urbano com Google Earth Pro

Perfil Topográfico do edificado urbano

Uma das novas opções mais interessante é o cálculo de distâncias através do Caminho 3D uma vez que tem a particularidade de calcular o Perfil Topográfico não só através do Modelo Digital do Terreno (DEM), como no Google Earth tradicional, mas também com o Modelo Digital de Superfícies (DSM), uma vez que pode incluir elementos 3D como os edifícios, monumentos, entre outros elementos existente sobre a superfície. Hoje em dia, as grandes cidades já têm toda a área de malha urbana coberta com edifícios 3D, maioritariamente a partir de dados adquiridos por LiDAR, o que nos dá alguma precisão nos resultados apresentados. Desta maneira, pode calcular o Perfil Topográfico dos edifiícios da malha urbana, altura de edifícios, espaçamento entre edificios, etc. Basta desenhar uma linha e acrescentar vértices na base e no topo dos edifícios, tal como esta exemplificado neste filme.

Este foi um dos comandos incluídos no curso online “Google Earth Pro para Professores e Pesquisadores“, já adaptado para a versão profissional deste Software fantásticos. Veja o exemplo de aula demonstrativa incluida neste curso onde são referidas estas novas opções da ferramenta Régua, como o cálculo de áreas e raio de Círculo e Polígonos 2D e 3D. Saiba mais no síte da GeoEDUC.

Acompanhe a publicação de novos recursos e mapas do livro subscrevendo o canal Youtube com os filmes demonstrativos da sua aplicação e fazendo “Gosto” na página do facebook do livro. Desfrute de mais este recurso, partilhando o conhecimento com os seus alunos e colegas com criatividade e originalidade.

Luis Correia Antunes

share save 171 16 Perfil Topográfico do edificado urbano com Google Earth Pro

Google Earth Pro com licenciamento gratuito!!!!

Por Luis Correia Antunes | 15h24, 28 de Janeiro de 2015

google earth pro logo Google Earth Pro com licenciamento gratuito!!!!

Foi com grande admiração (e satisfação) que vi no site da GEarth Blog a noticia que a versão profissional do Google Earth tinha passado a ser gratuita sem que tivesse havido uma comunicação pública da Google. Não custava nada tentar e instalei a versão profissional. Confirmei a licença do programa através de e-mail, só para tirar as dúvidas, e confirmou-se: licença profissional com validade até 27 de Janeiro de 2017. Boa!!!

email Google Earth Pro com licenciamento gratuito!!!!


Nunca tive a licença profissional do Google Earth por vários motivos: para o que precisava, há sites de internet gratuitos que fazem a mesma coisa (ou mais ou menos o mesmo) que a versão profissional; como ministro formação em Google Earth a nivel pessoal (e não sou comercial da Google), não gosto de dar formação a um software que obrigue os formandos a comprar uma licença (mesmo que fosse gratuita para professores); sou a favor do software gratuito (e código aberto de preferência) de modo a democratizar a aplicação das ciências geográficas; como o KML é um formato aberto, consegue-se editar o ficheiro em várias plataformas; e claro, não era barato. Mas quando soube que estava disponivel com licenciamento gratuito, não pensei duas vez. As novidades que passa a ter disponiveis são mais ferramentas de medições (áreas, circulos, caminhos 3D e áreas 3D); guardar imagens de alta resolução; criar filmes (Movie maker); e muitas outras opções.

Impressao 300x160 Google Earth Pro com licenciamento gratuito!!!!


Regua 300x185 Google Earth Pro com licenciamento gratuito!!!!


moviemaker Google Earth Pro com licenciamento gratuito!!!!


Esta medida (sem anúncio por parte da Google) vem dar continuidade a um conjunto de medidas nas soluções Google Geo como foi a “morte” anunciada da Google Earth API e da Google Maps Engine. Esperemos por melhores noticias da Google para a componente espacial, nomeadamente no Google Earth (para a versão windows desktop não tem evolução desde Junho de 2013).

Aproveite o curso On-line de Google Earth para Professores e Pesquisadores para aprender a tirar partido destes comandos do Google Earth, agora ainda com mais ferramentas. Fica aqui um filme como exemplo de exercício do curso com a criação de áreas de influência (buffer), um geoprocessamento que não está integrado em nenhuma ferramenta do Google Earth mas, tal como é demonstrado neste curso, os arquivos KML são muito mais do que é executado no Google Earth…

Acompanhe a publicação de novos recursos e mapas do livro subscrevendo o canal Youtube com os filmes demonstrativos da aplicação dos mapas e curtindo a página do facebook do livro. Desfrute de mais este recurso, partilhando o conhecimento com os seus alunos e colegas com criatividade e originalidade.

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
(Actualizado a 09-02-2015)

Finalmente a noticia da gratuidade do Google Earth Pro apareceu, num comunicado do blog oficial da Google. Assim, a partir de 30 de Janeiro de 2015, o Google Earth Pro ficou oficialmente gratuito. Depois de muita demanda e sobrecarga do sistema no pedido de licenças, a google decidiu atribuir a password livre de “GEPFREE” na ativação da licença do programa. Assim, basta aceder à página de download, instalar e colocar o seu e-mail de utilizador e a chave “GEPFREE”. Saiba mais com o Guia Completo do Google Earth Pro.

Agora é só aproveitar e disfrutar desta ferramenta fantástica.

Luis Correia Antunes

share save 171 16 Google Earth Pro com licenciamento gratuito!!!!

Mapa do terramoto de 1755 de Lisboa

Por Luis Correia Antunes | 15h42, 26 de Janeiro de 2015

Imagem2 150x150 Mapa do terramoto de 1755 de Lisboa

Uma das opções mais interessantes do Google Earth é a possibilidade de Sobreposição de Imagens. Este comando permite-nos georreferenciar de uma maneira bem rápida e fácil mapa históricos e, como consequência, sobrepôr e cruzar esse mapa com dados atuais. Hoje em dia existe um grande número de bibliotecas e cartotecas nacionais e internacionais que permitem o acesso a cartografia digital. É só aproveitar este manancial de informação e criar os mapas KML no Google Earth com o hyperlink publicado por estas bibliotecas. Ficam aqui alguns exemplos de bibliotecas que publicam estes links de acesso livre (se conhecerem mais podem enviar e vou atualizando):
David Rumsey Map Collection é uma coleção privado com mais de 150.000 mapas históricos e cerca de 17.000 mapas digitalizados (e sempre a crescer estes números impressionantes!). Adicionalmente, este colecionador colocou na galeria da Google alguns dos mais importantes mapas do seu acervo (ver lista);
Cartoteca digital da Biblioteca Nacional de Portugal é outro excelente exemplo destes serviços de publicação de mapas digitais on-line. Há centenas de mapas de Portugal e antigas colónias disponiveis para download gratuito;
Biblioteca Virtual de Cartografia Histórica do século XVI ao XVIII
OldMapsOnline Portal é uma porta de acesso aos mapas históricos existentes em bibliotecas espalhadas pelo mundo, podendo pesquisar facilmente as várias fontes de dados;
Biblioteca Digital de Cartografia Histórica da USP, reúne a coleção de mapas impressos cedidos ao Instituto de Estudos Brasileiros (IEB/USP).

Assim, este conjunto de mapas dá-nos oportunidade de apreciar algumas obras cartográficas de uma maneira mais interativa, proporcionando a avaliação de modificações cartográficas dos locais e a evolução das fronteiras. Permite ainda caracterizar momentos históricos como é o caso do terramoto de Lisboa, ocorrido em 1755, que destruiu quase por completo a cidade de Lisboa, especialmente a zona da baixa, onde se estima que tenham morrido mais de 10.000 pessoas (ver Wikipédia). O que o projeto “Google Earth na Sala de Aula” fez foi pegar no link público da “Planta de Lisboa: arruinada pelo terremoto de 1755″ e proceder à sua georreferenciação com o comando Sobreposição de Imagens. Pode descarregar esta carta antiga em formato KML, já georreferenciado, para o seu computador e abri-lo diretamente no Google Earth através deste link ou através do link existente na descrição do filme do youtube.


Outro dos mapas também georreferenciados pelo projeto foi o mapa de guerra das “Description del reyno de Portugal y de los reynos de Castilla que confinan con su frontera”, com a localização dos castelos e fortes de Portugal e a planta de alguns dos principais monumentos de guerra (link para download do mapa existente na descrição do filme do youtube).



Aproveite o curso On-line de Google Earth para Professores e Pesquisadores para aprender a tirar partido deste e de outros comandos do Google Earth. Espero por si.

Acompanhe a publicação de novos recursos e mapas do livro subscrevendo o canal Youtube com os filmes demonstrativos da aplicação dos mapas e curtindo a página do facebook do livro. Desfrute de mais este recurso, partilhando o conhecimento com os seus alunos e colegas com criatividade e originalidade.

Luis Correia Antunes

share save 171 16 Mapa do terramoto de 1755 de Lisboa
  • Luis Correia Antunes
    @lcantunes
    Licenciado em Engenharia Geográfica pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Mestre em Georrecursos pelo Instituto Superior Técnico Mais de 500 horas de formação em Google Earth, software opensource SIG e software CAD. Em abirl de 2013 lançou o livro “Google Earth na Sala de Aula” pela Areal Editora.

    Licenciado em Engenharia Geográfica pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Mestre em Georrecursos pelo Instituto Superior Técnico Mais de 500 horas de formação em Google Earth, software opensource SIG e software CAD. Em abirl de 2013 lançou o livro “Google Earth na Sala de Aula” pela Areal Editora.

  • Marcos Pelegrina
    @marcospelegrina
    Marcos Aurélio Pelegrina Bacharel em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (1999), Mestre e Doutor em Engenharia Civil área de concentração Cadastro Técnico Multifinalitário e Gestão Territorial pela Universidade Federal de Santa Catarina (2009). Professor Adjunto C do departamento de Geografia da Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná.

    Marcos Aurélio Pelegrina Bacharel em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (1999), Mestre e Doutor em Engenharia Civil área de concentração Cadastro Técnico Multifinalitário e Gestão Territorial pela Universidade Federal de Santa Catarina (2009). Professor Adjunto C do departamento de Geografia da Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná.

  •