Em novembro de 2008 foi publicado o Decreto 6.666, que instituiu a Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais – INDE, com o objetivo de "promover o adequado ordenamento  na geração, armazenamento, acesso, compartilhamento, disseminação e uso de dados geoespaciais nas esferas federal, estadual, distrital e municipal". 

A padronização e a organização de dados geoespaciais são necessários num país  que despende recursos difíceis de serem quantificados,  com a produção em duplicidade e a incompatibilidade entre sistemas. O   decreto também determina a criação de um portal para disseminação desses dados geoespaciais, o que é fundamental para o sucesso da iniciativa, pois o valor da informação está relacionado à sua  acessibilidade.  

Nesse momento incomum, em que identificamos iniciativas do Poder Público no sentido de organizar os cadastros rural e urbano,  a padronização de dados geoespaciais é muito importante para que se possa facilitar o estabelecimento de cadastros multifinalitários,  e para que estes cadastros possam ser integrados a outras bases de dados espaciais.  

A integração de sistemas em IDE’s é uma preocupação   de países da União Européia (projeto INSPIRE) e de outros países como a Colômbia (ver trabalhos do Instituto Agostin Codazzi). É importante aproveitar a oportunidade atual de estruturação dos cadastros para observar os padrões determinados pela INDE.

Até a próxima!

 

 

  

 

 
 

 

share save 171 16 Infraestrutura de Dados Espaciais e Cadastro