agrar Incra discute modernização tecnológica com universidades públicasDando continuidade aos entendimentos iniciados com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a presidente do Incra, Maria Lúcia Falcón, se reuniu nesta última terça-feira (13), na Escola de Engenharia, em Belo Horizonte, com representantes de instituições de ensino e empresa de tecnologia espacial para discutir a transferência desses conhecimentos em apoio à gestão o Incra. O objetivo é a modernização tecnológica da autarquia e a qualificação do trabalho desenvolvido pela instituição.

A presidente estava acompanhada do superintendente regional, Gilson Souza, e do diretor do Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Roberto Wagner. A reunião, de caráter técnico, contou com a participação de representantes da Universidade de Brasília (UnB), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Visiona Tecnologia Espacial, empresa estratégica de defesa que trabalha com órgãos governamentais no fornecimento de cobertura de sensoriamento a partir de imagens de satélites.

Pela Universidade de Brasília, participou o professor adjunto na Faculdade de Tecnologia Lenildo Santos e Silva, que apresentou o projeto de Veículos Aéreos Não-Tripulados (VANT´s) desenvolvido pela instituição.

O Incra também convidou o BNDES para acompanhar a reunião. A instituição foi representada por Gumersindo Lopes e por Cristina Lemos.

A pró-reitora Adjunta de Extensão da UFMG, professora Cláudia Mayorga, que representou o reitor Jaime Arturo Ramírez, destacou que além da formação, a UFMG tem grande potencial de pesquisa e conhecimento, voltados para os interesses institucionais. Há cerca de seis anos a UFMG criou o curso de Engenharia Aeroespacial com ênfase na formação de profissionais capazes de criar, aplicar e desenvolver soluções científicas e tecnológicas nessa área de conhecimento.

A parceria que o Ministério do Desenvolvimento Agrário e o Incra estão construindo com a UFMG prevê o desenvolvimento de tecnologia de sensoriamento remoto e de Veículos Aéreos Não-Tripulados voltado para as atividades de campo realizadas pelos técnicos da instituição, como cadastro de imóveis, vistorias e laudos de imóveis, georreferenciamento, fiscalização ambiental, revisão ocupacional e outros.

Serviços

Durante a reunião, a empresa Visiona Tecnologia Espacial, do grupo Embraer e Telebras, com sede em São José dos Campos (SP), apresentou seu portfólio e possibilidade de apoio às atividades do Incra. A empresa compareceu com uma equipe técnica, liderada por seu presidente, Eduardo Bonini. Segundo demonstraram, os serviços de satélites poderão possibilitar ao Incra detectar desmatamento em pequenas áreas, identificar e qualificar novas áreas para assentamentos, promover fiscalização ambiental e regularização fundiária e ambiental visando o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e, desta forma, reduzir o tempo de resposta para a obtenção de dados, permitindo operações em tempo quase real.

“O Incra precisa ter uma cadeia produtiva permanente de acompanhamento da evolução tecnológica, pois lidamos com o bem mais precioso de uma nação, que é o chão da pátria. Temos que modernizar nossa atuação para termos segurança nos serviços que prestamos e nas políticas que desenvolvemos”, destacou Maria Lúcia.

O coordenador do Departamento de Engenharia Aeroespacial da UFMG, professor Eduardo Bauzer Medeiros, disse que a instituição de ensino tem material humano e interesse em participar de um projeto de desenvolvimento tecnológico voltado para as necessidades do Incra. Ele citou inclusive a possibilidade de um mestrado profissional na área.

Levantamento

Ao final, a presidente Maria Lúcia Falcón propôs que o grupo faça um levantamento das demandas do Incra para que a instituição possa avaliar com os parceiros a melhor estratégia para implementação das ações. A ideia é que a UFMG lidere esse esforço, que englobará outras instituições de ensino e pesquisa, como as universidades federais de Lavras e de Viçosa, em Minas Gerais, com quem o Incra já tem parcerias em outros projetos, e a Universidade de Brasília, que tem projeto próprio de desenvolvimento de VANT´s.

Além da presidente Maria Lúcia Falcón, participaram da reunião técnica o diretor substituto de Ordenamento da Estrutura Fundiária do Incra, Cláudio Silva, e o coordenador geral de Meio Ambiente e Recursos Naturais da autarquia, Pedro Bruzzi. Pelo MDA, também acompanhou a reunião Zorilda Araújo.

Fonte: Incra