Assim como a tecnologia avança, os alunos também se modificam e, portanto, a forma de ensinar deve se adequar ao momento em que vivemos na sociedade. Veja como as (geo)tecnologias estão revolucionando a forma de ensinar Geografia

geonaescola 600x429 #GEOnaescola

O espaço escolar, ainda que seja bastante tradicional, se encontra diante da inserção de novas tecnologias, tanto dentro como fora da sala de aula.

Mesmo as “lições de casa” têm tido um caráter diferente depois que a tecnologia tornou-se mais presente no dia-a-dia dos alunos, desde as séries iniciais do ensino fundamental até a graduação. Sendo assim, essa “tradicionalidade” das escolas vem abrindo espaço para a utilização de tecnologias úteis para o ensino.

Algumas das (geo)tecnologias que mais têm sido utilizadas são as imagens de satélite – como as disponibilizadas pelo Google -, softwares de geoprocessamento – como os famosos ArcGIS e o QGIS -, mapas temáticos com aplicação em materiais mais baratos – como isopor, EVA e similares -, bússolas, smartphones e GPS de navegação, dentre muitos outros.

Vale ressaltar que as geotecnologias são um motivador para os alunos entenderem os conteúdos, bem como instrumento facilitador para os professores na prática docente diária, já que essas ferramentas são um grande apoio na demonstração das atividades e conteúdos.

Mas, ainda que muito se fale sobre estas tecnologias, a maioria dos professores não sabe como aplicar ou utilizar esses recursos em sala de aula, fazendo com que muitas vezes o desenvolvimento do conteúdo não se dê completamente por falta dessas práticas.

Trazendo as Geotecnologias para o dia-a-dia

O projeto #GEOnaescola do Instituto GEOeduc nasceu com o objetivo inicial de publicar algumas atividades com utilização de Geotecnologias para aplicação em sala de aula, aliando dessa forma duas partes muito interessantes da Geografia acadêmica que aprendemos na universidade: a educação e as tecnologias geoespaciais.

O público alvo são os pesquisadores, educadores e estudantes interessados em empregar as Geotecnologias no processo ensino-aprendizagem-avaliação no dia-a-dia escolar. Se você já leu algum artigo do projeto #GEOnaescola, sabe mais ou menos como funciona, mas se ainda não leu, seja muito bem-vindo ao nosso espaço.

Para nós, a interação entre as Geotecnologias e a educação é um grande passo, pois entendemos que as ferramentas e softwares de geoprocessamento, bem como imagens de satélite, entre outros, têm sim um fator profissional muito grande, para diversas áreas de serviços – como topografia, engenharias, sensoriamento remoto, georreferenciamento e etc. -, mas, para além disso, podem também auxiliar no ensino diário dos conteúdos de Geografia.

Mas de que forma podemos utilizar Geotecnologias na sala de aula?

Muitos colégios, nos últimos tempos, vêm aderindo ao uso de novas tecnologias como recurso didático em sala de aula, começando pelas TVs e retroprojetores, seguidos pelos laboratórios de informática, e chegando agora aos tablets e celulares (smartphones). Isso ocorre pela facilidade de acesso a novas tecnologias, que vem crescendo nos últimos anos.

Porém, assim como as tecnologias se desenvolveram, os alunos também se modificam ao longo do tempo e, portanto, a forma de ensinar deve se adequar ao momento em que vivemos na sociedade, onde a tecnologia e os meios de informação compõem as relações sociais, bem como a educação.

Usando a (geo)tecnologia ao nosso favor

Por essa razão, entendemos que as geotecnologias em sala de aula têm um poder transformador de dinamizar a aula e fazer com que os alunos aprendam o conteúdo com mais interesse.

Claro que é necessária muita cautela ao utilizar esses recursos, para não causar dispersão. No entanto, por experiências próprias, as atividades diferenciadas são sempre positivas.

Ainda que sua escola não possua recursos, como laboratórios de informática ou projetores, você pode utilizar materiais mais baratos, como por exemplo papelão, cola e tesoura para fazer suas atividades.

No projeto #GEOnaescola temos uma trilha de conteúdos relacionados, onde fornecemos uma indicação de quais conteúdos podem ser trabalhados com cada atividade e faixa etária de referência, para saber com quais turmas você pode aplicar determinada atividade (veja mais na próxima página).

A divisão de conteúdos do projeto #GEOnaescola é a seguinte:

Cada uma das publicações contará com um ou mais destes selos, para definição de qual faixa etária a atividade é mais adequada, considerando o nível de compreensão de cada faixa etária, nível de dificuldade que a atividade exige e o conteúdo no qual a atividade pode ser inserida.

Google Earth Pro na Sala de Aula

Você sabia que o Google Earth serve para mais do que ver imagens de satélite e localizar a sua casa? Sabia que agora o Google Earth Pro é gratuito? Já precisou de usar as tecnologias geoespaciais e não sabia como? Sabia que agora já pode importar arquivos SHP para o Google Earth?

O que era de acesso limitado e quase exclusivo a instituições públicas, especialistas e empresas com capital para adquirir softwares e dados geográficos, a partir de 2005 – com o surgimento das várias ferramentas geoespaciais (Google Earth, Google Maps, Google StreetView, … ) – passou a ficar acessível para qualquer pessoa, o que criou uma nova abordagem e fez mudar o paradigma do acesso a dados geoespaciais. Estas novas ferramentas vieram abrir novos horizontes e possibilitaram a criação de muitas áreas de negócios para os profissionais na área das Geotecnologias.

Em 2015, a empresa Google veio revolucionar novamente o mundo da geotecnologia disponibilizando gratuitamente a versão profissional do Google Earth. Basta fazer o download do Google Earth Pro e seguir as indicações de instalação. Agora, depende de cada um de nós saber tirar partido desta ferramenta para proveito lúdico e/ou profissional, gratuitamente.

A partir deste lançamento bombástico foi lançado pelo Instituto GEOeduc um novo curso online do software Google Earth Pro, que pretende ajudar os interessados no uso deste software, aumentando a produtividade e melhorando a apresentação de conteúdos cartográficos, elevando os seus níveis de trabalho para níveis de um verdadeiro profissional de geoprocessamento.

Assim, o “Curso prático online Google Earth Pro com ferramentas avançadas” vem preencher uma lacuna no mercado de educação à distância, totalmente em português, com exercícios práticos e vídeos demonstrativos da aplicação das diversas ferramentas e acesso exclusivo a arquivos de Portugal e Brasil de apoio à sua execução.

Este é o curso indicado para quem gosta e precisa de usar tecnologias geoespaciais, em especial educadores que queiram tirar o máximo proveito dessa ferramenta. E para o lançamento do curso, o GEOeduc realizou um webinar no qual participaram mais de 1.750 pessoas que assistiram à apresentação “Google Earth Pro grátis: como tirar o máximo proveito?”, um recorde entre os mais de 300 webinars já organizados pela MundoGEO e pelo Instituto GEOeduc. Veja aqui o replay na íntegra: https://youtu.be/Fn5Kja0zY38.

Falando em conteúdo…

Na nova etapa do #GEOnaescola serão feitas também trilhas com temas relacionados para dar sequência às publicações do projeto e nas atividades aplicadas na sua sala de aula.

Os próximos passos do projeto serão a realização de um e-Book, com todos os arquivos já publicados, a publicação de vídeos tutoriais a cada 15 dias aproximadamente, e a criação de um curso online para professores com certificação do Instituto GEOeduc, dando mais uma motivação para os educadores. Bacana, não é?

Se você perdeu alguma de nossas publicações, busque pela hashtag #GEOnaescola nas redes sociais que você vai encontrar todos esses conteúdos.

Seja muito bem-vindo ao projeto #GEOnaescola!!

O projeto #GEOnaescola é publicado semanalmente no blog do GEOeduc, sempre na terça-feira, dando dicas para atividades em sala de aula com aplicação de Geoprocessamento, SIG e outras mídias e materiais para tornar a sua aula cada vez mais dinâmica!

Aguarde pois em breve este projeto vai alçar vôos mais altos…

Encontro de Educação Esri Brasil

Nos dias 11 e 12 de maio vai acontecer em São Paulo (SP) o II Encontro de Educação Esri Brasil (IIEdUCBR). Este evento visa aproximar e proporcionar a troca de experiências entre educadores, pesquisadores e gestores que utilizam a Plataforma ArcGIS em seus processos de ensino-aprendizagem, bem como administração de campus.
Serão apresentadas as recentes inovações disponíveis para ir muito além da visão tradicional de Geoprocessamento, possibilitando novas aplicações e possibilidades no ensino em Inteligência Geográfica, bem como recursos didáticos.

As palestras serão gratuitas, com acesso livre para todos os visitantes da feira e participantes das atividades do MundoGEO#Connect e DroneShow 2016.

A integração entre experiências, metodologias e novas práticas, trazendo o estado-da-arte em tecnologias para um “novo Geoprocessamento”, que transforma pessoas e a sociedade” será o foco do evento. Confira qui um vídeo do Prof. Dr. Abimael Cereda Junior, Gestor de Educação da Imagem, sobre o II Encontro de Educação Esri Brasil:
www.mundogeoconnect.com/2016/ii-encontro-de-educacao-esri-brasil-iieducbr

Projeto Google Earth na Sala de Aula

O “Google Earth na Sala de Aula” é um projeto educativo sem fins-lucrativos que tem como objetivo criar as condições necessárias para a aplicação de novas tecnologias geográficas como ferramenta pedagógica, cativando os alunos para a aprendizagem dos conteúdos a partir da descoberta.

Os recursos cartográficos gratuitos criados exclusivamente para o projeto, bem como o manual e os cursos apresentados, pretendem ser uma base de apoio para o desenvolvimento e apresentação de conteúdos programáticos por parte dos professores e educadores, de qualquer área curricular (não só os de Geografia), neste mundo virtual chamado de Google Earth.

Os mapas criados não são de uso exclusivo para a comunidade educativa, havendo temas que são de interesse para o turismo, meio ambiente, proteção civil, ordenamento territorial, entre outras áreas. Confira os Mapas do Projeto e descubra um novo mundo à distância de um click: www.mapasnasaladeaula.org/mapas-do-projeto.

Este é também um projeto geocolaborativo, ou seja, quem quiser participar é bem-vindo a colaborar e fazer parte do projeto. Existem várias opções de participação: criar os seus próprios recursos cartográficos e compartilhá-los com toda a comunidade; sugerir e “apadrinhar” novos mapas, inspirando na criação de novos recursos para o projeto; promover Workshops ou cursos para qualquer área profissional (não só para professores); ou pode simplesmente compartilhar e divulgar o projeto e os seus recursos difundidos gratuitamente.

Todos estes feedbacks são o barômetro mais importante para o sucesso do “Google Earth na Sala de Aula”, uma vez que demonstra interesse nestes recursos e vem confirmar a verdadeira aplicação da geotecnologia em ambiente de sala de aula e nas diversas áreas profissionais.

Drone Academia em São Paulo

Um evento paralelo e gratuito para os visitantes da feira DroneShow acontecerá dentro da programação do evento no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo.
Várias instituições e universidades brasileiras estão desenvolvendo Drones, sistemas embarcados e novas aplicações, mas estes projetos inovadores ainda carecem de espaços para serem mostrados ao mercado.

Por isso, no dia 12 de maio estas grandes ideias serão apresentadas no Drone Academia, um evento inovador com a coordenação do Instituto GEOeduc.

Sem dúvida será uma grande oportunidade para troca de experiências, aproximação da academia com as empresas e com as demandas de mercado.

Nos vemos no Drone Academia! Veja mais em www.droneshowla.com

 

Por Alexandre Scussel, Ana Flávia de Oliveira, Deyse Delamura e Eduardo Freitas