Com o intuito de estabelecer um monitoramento mensal das atividades de desmatamento no período de maior cobertura de nuvens utilizando imagens orbitais na Amazônia Legal, o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM) conduziu, através do Portal de Compras do Governo Federal, um processo licitatório para o fornecimento de imagens de satélite de Radar de Abertura Sintética (SAR), para um total de 6.287.000 (seis milhões, duzentos e oitenta e sete mil) Km².

A Geoambiente venceu esta licitação, e vai fornecer, em parceria com a Telespazio/eGeos, imagens de programação a serem coletadas em 2016 pela Constelação Cosmo-SkyMed, Banda X.

Esta iniciativa vai propiciar maior eficiência na observação dos desmatamentos, com a coleta sistemática de dados em curto espaço de tempo, maior cobertura de extensão territorial e redução de custos, se comparado ao imageamento com sensor SAR aerotransportado. A motivação para a contratação é a demanda anual do monitoramento da Amazônia no período de maior cobertura de nuvens (de outubro a abril), no que tange a observação da região denominada Arco do Desmatamento (parte dos Estados do Acre, Rondônia, Roraima, Amazonas, Mato Grosso, Tocantins, Pará e Maranhão), mais o Estado do Amapá. Esta necessidade está fundamentada sobretudo nas diretrizes do Gabinete de Gestão Integrada para a Proteção do Meio Ambiente (GGI-MA).

Embora o projeto tenha como foco justamente a área de concentração de desmatamento nos anos de 2011 a 2012, apresentada na figura a seguir, parte das imagens poderá ser solicitada para imageamento de áreas que tenham sido alvo de desastres naturais ou eventos extremos em qualquer parte do território nacional.

Área de interesse do projeto compreendendo o Arco do desmatamento Geoambiente fornecerá imagens de radar para o monitoramento da Amazônia

Área de interesse do projeto compreendendo o Arco do desmatamento

As imagens serão utilizadas pelo Centro Regional de Belém (CR/BE), pelo Centro Regional de Manaus (CR/MN), pelo Centro Regional de Porto Velho (CR/PV) e pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CCG/Brasília).

Segundo Izabel Cecarelli, Diretora Presidente da Geoambiente, trata-se de um contrato de grande importância sob o aspecto de avanço tecnológico no monitoramento de florestas naturais. A Geoambiente está muito satisfeita de contribuir com mais este projeto de grande relevância no cenário nacional e para o meio ambiente.

“Gostaria de agradecer ao CENSIPAM pela escolha. Telespazio (empresa Finmeccanica/Thales),  tem orgulho em poder contribuir junto a Geoambiente num projeto tão importante como o monitoramento do desmatamento da Amazônia, para o qual as características da constelação de satélites radar Cosmo SkyMed são particularmente idôneas e eficazes”, afirma Marzio Laurenti, Presidente da Telespazio Brasil.

A Geoambiente é pioneira em Sensoriamento Remoto no Brasil. Atua no mercado há mais de 20 anos, oferecendo soluções em Geotecnologia com alto padrão tecnológico no uso de Sensoriamento Remoto, Banco de Dados e Sistemas de Informações Geográficas. A Geoambiente também é revendedora oficial de Google Maps para empresas e governo.

Fonte: Geoambiente