A Visiona Tecnologia Espacial ministrou a segunda edição do Curso de Capacitação em Imagens de Radar, entre os dias 3 e 7 de outubro, para um grupo de técnicos da Colômbia, Equador, Guiana, Peru e Suriname, no Centro Regional da Amazônia (CRA) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em Belém (PA)

inpe 600x118 Visiona ministra 2ª edição de capacitação em imagens de radar no Inpe

Foto: CRA/INPE

Realizado em parceria com a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), o curso apresentou fundamentos sobre radar e promoveu a capacitação no uso e interpretação das imagens, bem como nas aplicações para o estudo e monitoramento das florestas.

Além dos profissionais estrangeiros, participaram representantes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e da Secretaria de Estado de Transportes do Amapá (Setrap).

Os participantes aprimoraram técnicas baseadas nos princípios do imageamento por radar, como geometria das imagens e resolução espacial, conceitos de interferometria e polarimetria, e aplicações em monitoramento de floresta. Foram realizados exercícios práticos, em aplicativos gratuitos, sobre processamentos digitais de imagens SAR (radar de abertura sintética).

“O curso visa capacitar para o entendimento das imagens de radar e as suas aplicações, em especial as aplicações para floresta, permitindo que os participantes conheçam o que se pode fazer com tais imagens, que tipo de informação pode ser gerada a partir desses dados”, enfatiza Waldiza Brandão, instrutora do curso, especialista em radar e mestre em sensoriamento remoto. O pesquisador da Universidade Federal do Pará (UFPA) e doutor em Radar, Arnaldo Queiroz, foi convidado a ministrar o módulo que abordou polarimetria.

As imagens de radar podem ser utilizadas para mapeamento da vegetação, geração de modelos de elevação do terreno, acompanhamento de alterações na floresta, além de mapear e identificar os diferentes alvos da superfície, como vegetação, área urbana, entre outros.

O curso foi sugerido pelos Países Membros da OTCA que, no contexto do Projeto de Monitoramento da Cobertura Florestal da Região Amazônica, apoiado pelo Fundo Amazônia, pode solicitar imagens e a realização de capacitação para difundir as tecnologias para análise de imagens de radar, uma das propostas do Projeto Capacitree. A primeira edição aconteceu em agosto para o nivelamento dos instrutores e avaliação do conteúdo dos próximos cursos.

Chefe do Centro Regional da Amazônia e coordenadora do Projeto Capacitree, Alessandra Gomes destaca que “há perspectivas de cursos de radar num prazo de seis a oito meses inclusos no Projeto Capacitree. Os instrutores precisam antes se capacitar e essa capacitação é, em média, de 200 a 300 horas para se tornarem aptos a conduzir um curso com tal tecnologia. Obviamente os cursos são oferecidos por demanda e, havendo demanda, parceiros e países serão convidados”.

Veja também: CPTEC/INPE treina profissionais para atuar na previsão de desastres