Em 2018 serão lançados mais dois satélites, possibilitando a coleta de imagens terrestres para clientes de todo o globo

A GeoDesign Internacional, sediada em Lorena (SP), anuncia que assinou contrato com a empresa Space View, sediada em Pequim, China, para a comercialização no Brasil de dados de imagem de alta resolução espacial adquiridos através da constelação de satélite SuperView-1.

Os satélites SuperView-1 1A e 1B foram lançados em 26 de dezembro de 2016. Ainda este ano, serão lançados mais dois satélites SuperView-1, compondo uma constelação de quatro satélites de alta resolução a 90 graus de cada um e na mesma órbita, possibilitando a coleta de imagens para clientes ao redor da Terra.

A tabela a seguir apresenta as principais características do SuperView-1:

spaceview 1 dados tecnicos 600x328 GeoDesign assina contrato para comercialização de imagens SuperView 1

A fusão espacial permite a criação de imagens com 50 centímetros de resolução espacial.

O SuperView-1 oferece uma plataforma ágil e múltiplos modos de aquisição de imagem. Isso permite mergulho de até ±30º e rolamento de ±45º baixo diversos cenários de emergência. A coleta de imagem pode ser realizada para faixas longas, faixas múltiplas e múltiplos pontos alvos, além de pares estereoscópicos. A faixa mínima de imageamento é de cinco quilômetros de largura.

As imagens podem ser novas, obtidas através de programação, ou de acervo. Novas imagens podem ser coletadas nos modos de programação Padrão, Prioridade ou Emergencial.

Os produtos de imagem podem ser entregues como imagens padrão ou pares estereoscópicos, agrupadas em quatro bandas multiespectrais e uma pancromática.

As imagens podem ser fornecidas em três níveis de processamento:
• Nível 1B: Correção radiométrica e fornecimento de RPC
• Nível 2A: Correção radiométrica e geométrica e fornecimento de RPC
• Nível 3A: Correção radiométrica e geométrica e ortoretificação

Imagens de fusão espacial (pan-sharpened), quatro bandas de resolução espacial de 50 centímetros são fornecidas para os Níveis 2A e 3A. As áreas mínimas de imageamento são:
• Nível 2A e 3A: 100 Km2 (faixa mínima de 5 Km) para imagens novas e 25 Km2 para imagens de acervo.
• Nível 1B: 144 Km2 (faixa mínima de 5 Km) para imagens novas e de acervo

Imagens das seguintes capitais brasileiras já foram obtidas pelo SuperView-1 contando com imagens de acervo, incluindo Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Goiânia, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Também já existem imagens de acervo cobrindo outras regiões do Brasil. A figura a seguir ilustra a cobertura de imagens de acervo do satélite SuperView-1 (1A e 1B) outubro de 2017 sobre o Brasil. O SuperView-1 está em constante imageamento do território brasileiro:

cobertura satelites spaceview 1 GeoDesign assina contrato para comercialização de imagens SuperView 1

Cobertura de imagens SpaceView-1 sobre território brasileiro até 25 de outubro de 2017

Confira a seguir imagens amostra de alta resolução espacial obtidas pelo SuperView-1 no Brasil:

imagem satelite spaceview 1 GeoDesign assina contrato para comercialização de imagens SuperView 1

Museu do Amanhã e Praça Mauá, Rio de Janeiro (RJ) - NIR R G

imagem dos satelites spaceview 1 GeoDesign assina contrato para comercialização de imagens SuperView 1

Aeroporto de Congonhas, São Paulo (SP) - RGB

Outras imagens amostra de alta resolução espacial das cidades do Rio de Janeiro e São Paulo que estão disponíveis no site da GeoDesign.

Geoinformação & Disrupção: Criando Novos Mercados

Qual será perfil do futuro profissional e das empresas ligados a Informação Geográfica? Como a cadeia produtiva da Geoinformação pode se adaptar às rápidas e constantes mudanças que estão ocorrendo e também buscar novos mercados?

Toda esta evolução digital baseada em tecnologia móvel, a combinação de inteligência artificial e a observação da Terra, serviços automatizados de localização, big data e análises geográficas em real-time.

No seminário Geoinformação & Disrupção, que vai acontecer no dia 15 de maio na abertura do MundoGEO#Connect 2018, especialistas estarão reunidos para debater estas tendências e desvendar os melhores caminhos para as empresas do setor continuarem a prover soluções para uma cadeia consumidora corporativa da análise geográfica cada vez mais ampla e exigente.

Veja a programação completa e confira como foi a última edição, que contou com mais de 3 mil participantes: