CTGEO implanta Sistema de Informações Geográficas numa das maiores usinas de álcool e açúcar do Norte-Nordeste

Há praticamente dois anos o CTGEO vem investindo no sistema de gerenciamento destinado a Agro-Indústria, utilizando a tecnologia de geoprocessamento. A primeira versão do sistema foi desenvolvida e implantada para a usina de álcool e açúcar da cidade de Iturama-MG e atualmente está em fase de conclusão da implantação da segunda versão, para uma das maiores usinas de álcool e açúcar do norte-nordeste, em Coruripe, estado de Alagoas. Houve algumas mudanças nesta segunda versão, que ocorreram devido às diferentes necessidades dos clientes, portanto podemos concluir o seguinte fato: – o sistema não é um software fechado, onde o usuário tem que se adaptar a ele, pelo contrário, realizamos mudanças para que haja o mínimo de alterações nos procedimentos internos da empresa.

A plataforma gráfica de desenvolvimento é o AutocadMap 2000, em ambos os casos o banco de dados utilizado foi o Oracle e como linguagem de programação o Visual Basic 6. O sistema é capaz de gerenciar informações de núcleos, fornecedores, fazendas e talhões (subdivisões dentro das fazendas). Quanto a interface, há uma tela principal que é carregada quando inicia o sistema, onde o usuário tem o acesso às principais funcionalidades (execução de filtros, acesso às consultas, geração de mapa temático e outras) e também há menus e botões personalizados no Autocad que dão acesso a todas funcionalidades.

60 65 p64baixo GIS na Usina de Coruripe

Quando iniciamos o projeto, durante o levantamento dos requisitos, observamos que a grande dificuldade dos gerentes e diretores era de visualizar as informações dos relatórios e consultas que o sistema da empresa fornecia sobre os mapas. Esta dificuldade aumentava quando os funcionários tinham que confeccionar mapas temáticos manualmente, utilizando lápis de cor e alfinetes coloridos, pois era um processo demorado, dispendioso e com grandes possibilidades de ocorrência de erros. Mediante a esse contexto, propusemos o desenvolvimento de um software que interligasse os mapas com o banco de dados e disponibilizasse as consultas com a possibilidade de interação com o mapa, geração de mapa temático, criação de filtros e muitas outras funções.

60 65 p64cima GIS na Usina de Coruripe

O processo de "link", entre os elementos gráficos e o banco de dados, é feito automaticamente através da análise dos rótulos de números das fazendas e talhões, que estão no arquivo de forma padronizada. Esta função é muito útil, pois dispensa o trabalho demorado de associação de elemento por elemento.

60 65 p65 GIS na Usina de Coruripe

O sistema também permite trabalhar com históricos de safras, ou seja, o usuário pode a qualquer instante trabalhar com uma safra anterior e, o mais importante, utilizando o seu respectivo mapa, bastando apenas escolher no sistema a safra que se deseja trabalhar.

Hoje, dentre as principais funcionalidades, de acordo com os relatos dos usuários, a possibilidade de cadastrar consultas em sql, quebras destas consultas e a totalização dos campos, seja por quebra e/ou total geral, torna o sistema bastante flexível. Assim sendo, novas consultas podem ser acrescentadas sem a necessidade de realizar manutenção do código fonte, ou ainda, caso haja uma nova tabela no banco de dados, ou alteração de atributos, basta apenas atualizar a sql, quebras e as fórmulas de totalização para que o sistema funcione corretamente. Outra consulta existente e muito utilizada, é a de selecionar um registro do banco de dados para localizar o elemento gráfico e vice-versa.

60 65 p65baixo GIS na Usina de Coruripe

O usuário também pode cadastrar filtros, por exemplo, utilizando um de produtividade; o mesmo é cadastrado no sistema em forma de sql e disponibilizado para todos os outros usuários. Na tela de filtros ele escolhe o de produtividade e atribui o operador e valor que deseja, > 70% por exemplo, e o executa. A partir disso, todas as consultas executadas terão embutidas o filtro escolhido, exibindo apenas as informações das fazendas que satisfazem essa condição. Esta exibição pode ser em tela quando aplicado às consultas, ou no mapa realçando as fazendas. Há ainda a possibilidade de combinar filtros.

Na parte de geração de mapas temáticos, todos os filtros cadastrados são disponibilizados como um tema. O usuário pode escolher se o mapa temático será gerado por valor exato, onde a cada valor distinto encontrado se atribui uma cor, ou por faixa que pode ser manual ou automática. Depois do mapa gerado, é permitido que se crie uma legenda do tema. Para os temas de variedade de cana e tipo de solo, as cores utilizadas são pré-definidas pelo usuário, devido ao padrão adotado pela empresa.

60 65 p65canto GIS na Usina de Coruripe

Podemos observar, assim, que o sistema exige três categorias de usuários: um que será responsável pela elaboração dos mapas, levantamento de campo com GPS, padronização; outro que cadastrará os filtros e consultas no banco de dados; e por fim o usuário que utilizará o sistema como uma ferramenta de gerenciamento, executando as consultas e mapas temáticos. Para auxiliar neste aspecto, é possível cadastrar usuários e atribuir privilégios de acesso a determinadas funcionalidades do sistema, assim um funcionário do setor de irrigação, por exemplo, terá apenas disponibilidade de consultar informações referentes a este assunto.

De acordo com o Sr. Petrúcio Barros, gerente de informática da Usina de Coruripe, "os benefícios do sistema para a usina serão os melhores possíveis e os resultados podem ser comprovados na filial em Iturama. Já conseguimos saber onde estão as fazendas que mais produzem, onde estão cada tipo de variedade de cana e muitas outras informações".

Luiz Fernando de Oliveira Silva é Coordenador Geral da Seção de Pesquisa e Desenvolvimento do CTGEO e Especialista em Geoprocessamento. E-mail: tuca@ctgeo.com.br