O Projeto CBERS-2B está passando por uma Revisão Crítica com a presença de técnicos chineses no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Trata-se de um processo formal e rotineiro de vistoria dos sistemas e subsistemas do satélite sino-brasileiro.

O objetivo da revisão, segundo o chefe da Divisão de Sistemas Espaciais do INPE, Amauri Montes, é garantir a continuidade do fornecimento das imagens de sensoriamento remoto que têm sido feitas pelo CBERS-2, em órbita desde outubro de 2003, com expectativa de vida útil de dois anos. O CBERS-1, embora também projetado para vida útil de dois anos, manteve suas operações por quase o dobro deste tempo.

pag34 1 Brasil e China revisam sistemas do CBERS 2B
A revisão quer garantir a continuidade do
fornecimento das imagens pelo CBERS-2

O Programa Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS) é resultado da parceria entre a Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST) e o INPE. Os dois países já trabalham no desenvolvimento dos CBERS-3 e CBERS-4, com características mais avançadas e lançamentos previstos para 2008 e 2011, respectivamente.

"No CBERS-2B são utilizados equipamentos e peças remanescentes do CBERS-2, produzidas em duplicata por questões de segurança e contingência. Porém, muitos equipamentos estão sendo retrabalhados e outros serão novos, como a câmera de alta resolução", explica Montes.

O CBERS-2B tem lançamento previsto para 2006.

Informações: www.inpe.br