Países de todo mundo inspiram-se na iniciativa europeia

Inspire InspireA diretiva Inspire, do Parlamento e do Conselho Europeu, estabelece a Infraestrutura Europeia de Informação Geográfica, que pretende disponibilizar dados de natureza espacial para a formulação, implementação e avaliação das políticas de gestão territorial na União Europeia.

A Inspire obriga os Estados Membros a gerirem e a disponibilizarem os dados e serviços de informação geográfica de acordo com princípios e disposições comuns, como o gerenciamento de metadados, a interoperabilidade de dados e serviços, o compartilhamento de informações, entre outros.

Os serviços integrados de informação espacial são baseados na existência de uma rede distribuída de repositórios de dados, interligada com base em padrões, assegurando sua compatibilidade. Estes serviços devem permitir a qualquer usuário identificar e acessar a informação geográfica proveniente de diversas fontes, desde o nível local até o global, de modo interoperável.

Princípios da iniciativa Inspire:

› Os dados devem ser coletados uma só vez e atualizados de forma que isto possa ser realizado com maior eficácia

› A informação geográfica, proveniente de diferentes fontes, permitirá sua combinação de forma transparente, através da União Europeia, e compartilhada por diversos usuários e aplicações

› Deve ser possível o compartilhamento da informação coletada, em um determinado nível, com todos os outros níveis

› A informação geográfica de suporte à atividade governamental, em todos os níveis, deverá ser abundante e disponível sob condições que não restrinjam o seu uso generalizado

› A informação geográfica deve ser facilmente identificável, devendo ser simples sua análise e sua adequabilidade para um determinado uso, bem como as respectivas condições de acesso

› A informação geográfica deverá tornar-se cada vez mais perceptível e fácil de interpretar, por parte do usuário

A diretiva Inspire tem como fim prover aos cidadãos europeus a possibilidade de facilmente encontrarem, através da web, informação útil em termos de meio ambiente e outras temáticas, permitindo também que as autoridades públicas beneficiem-se mais facilmente de informação produzida por outros órgãos governamentais. Quando totalmente implementada, a Inspire permitirá a combinação de dados provenientes de diferentes Estados Membros.

+Info
http://inspire.jrc.it


Casos de Sucesso

Conheça algumas das principais iniciativas de IDE no mundo

NSDI (EUA)

Dentre as iniciativas internacionais de compartilhamento de dados espaciais, outra referência – além da Inspire – é a National Spatial Data Information (NSDI), dos Estados Unidos. Criada por meio de ordem executiva governamental pelo então presidente Bill Clinton, em 1994, é constituída por um modelo muito simples de relacionamento entre produtores e usuários de dados espaciais. Os geradores e os consumidores de dados geoespaciais se encontram através do portal do Federal Geographic Data Committee (FGDC).

+Info
http://www.fgdc.gov

NSIF (África do Sul)

A National Spatial Information Framework (NSIF) é uma iniciativa nacional sob a responsabilidade do Departamento de Desenvolvimento Rural e Reforma Agrária (DRLR, na sigla em inglês) da África do Sul. Tem o objetivo de coordenar o desenvolvimento de uma infraestrutura necessária para o suporte à utilização de informação espacial na tomada de decisão. A construção de uma IDE na África do Sul é baseada em boas práticas ao redor do mundo, incluindo políticas, arranjos institucionais, desenvolvimento de recursos humanos e padrões para informação geoespacial.

+Info
http://nsif.dla.gov.za

MyGDI (Malásia)

A Infraestrutura de Dados Geoespaciais da Malásia (MyGDI) é uma das IDE mais avançadas na região Ásia-Pacífico. Conta com o Geoportal da Malásia (MyGeoportal), uma referência para as informações da MyGDI e outras atividades relacionadas com geoinformação no país, que permite aos usuários explorar, visualizar e acessar a implementação da IDE. Conta ainda com galeria de fotos e vídeos, seção de notícias e eventos, além de integração com redes sociais, demonstrando que os organizadores estão em sintonia com as tecnologias atuais de compartilhamento de informações.

+Info
www.mygeoportal.gov.my

ICDE (Colômbia)

Coordenada pelo Instituto Geográfico Agustín Codazzi (Igac), a Infraestrutura Colombiana de Dados Espaciais (ICDE) é a ferramenta para a integração das políticas, padrões, organizações e recursos tecnológicos que facilitam a produção, acesso e uso da informação geográfica do país, para apoiar a tomada de decisões em todos os campos da política pública.

Participam da ICDE as instituições públicas com responsabilidades de produção de informação geográfica, além daquelas que, por sua natureza, se consideram usuárias frequentes da mesma. Ou seja, é uma iniciativa aberta a todos os que desejam fazer uso dela.

+Info
www.icde.org.co


ONU-GGIM

Nações Unidas lideram a criação de uma entidade máxima para o setor de geo

Uma oportunidade muito importante foi criada para o pleno compartilhamento das informações geoespaciais ao redor do globo quando o Conselho Econômico e Social da Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu, em 2011, o Comitê de Especialistas da ONU em Gerenciamento Global da Informação Geoespacial (Unce-GGIM) como o mecanismo de consulta oficial das Nações Unidas para o Gerenciamento Global da Informação Geoespacial (GGIM).

A GGIM trata-se de uma iniciativa de interesse internacional, multi-institucional e multidisciplinar, que surgiu da percepção de que o rápido desenvolvimento das geotecnologias tem contribuído para um uso mais amplo da informação geoespacial. Estas ferramentas facilitam a coleta e a análise de dados, propiciando o compartilhamento e disseminação de informações, tendo como base a componente espacial.

Dentre as motivações para a criação do GGIM estava a ausência de um mecanismo global de consulta e tomada de decisão, dentre estados-membro, para tratar as questões politico-institucionais. Desta forma, a criação de um mecanismo global, sob os auspícios da ONU, pode: divulgar a importância da informação geoespacial junto aos políticos e tomadores de decisão; servir como entidade máxima da comunidade global; iniciar e coordenar projetos com a participação de estados-membro e organizações internacionais; e fomentar a coordenação entre estados-membro e entidades internacionais de financiamento para promover a produção e o compartilhamento de dados geoespaciais.

+Info
http://ggim.un.org