Veja como carregar arquivos shp, aplicar templates e associar atributos

Nas edições anteriores da Revista MundoGEO demonstramos como obter a licença do Google Earth Pro válida por sete dias (http://goo.gl/a640Si) e como baixar arquivos do site do IBGE. Você já deve ter criado no Google Earth Pro uma pasta denominada “Arquivos SHP do IBGE,” para a qual importou o arquivo que representa as mesorregiões do Estado de São Paulo. No momento da importação, uma mensagem foi exibida questionando se você desejava aplicar algum modelo aos recursos absorvidos e você clicou em Não, sendo assim foi necessário digitar o nome de cada uma das mesorregiões paulistas no painel à esquerda. Desta vez vamos importar um arquivo shp que representa as mesorregiões do Estado do Mato Grosso do Sul, aplicar um template de estilo e demonstrar duas possibilidades de associação de atributos.

Obtendo os arquivos shp

Os arquivos shp de malhas relativas às quatro Unidades da Federação (Pará, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul), onde foram emancipados cinco novos municípios, foram modificados a partir de 2013. Para obter conteúdo oficial e confiável para exibir no Google Earth Pro, entre no site do IBGE em http://goo.gl/2xZn47 e escolha malhas_digitais » municipio_2013. Neste tutorial vamos utilizar os dados disponibilizados para o Estado do Mato Grosso do Sul, portanto baixe para seu computador o arquivo “ms.zip”, descompacte-o e observe que na pasta “ms” você terá acesso a arquivos das extensões shp, shx, prj e dbf.

O Google Earth Pro importa arquivos shp desde que haja arquivos prj correspondentes, os quais informam qual sistema de projeção e datum foram adotados. Considerando que o Estado do Mato Grosso do Sul tem geocódigo 50, todos os nomes dos arquivos iniciam com esses numerais, em seguida vem duas letras, indicando tratar-se de: Unidades da Federação (UF), Municípios (MU), Mesorregiões (ME) e Microrregiões (MI). A escala é compatível com 1:250.000 sem supressão de pontos, estando em coordenadas geográficas e referenciadas ao Sirgas 2000, portanto, compatíveis com o Google Earth, que adota WGS84.

Importando arquivos shp e aplicando um template

Faça login no Google Earth Pro e observe que há duas opções associadas com “Lugares”, uma delas é “Meus lugares” e a outra é “Lugares temporários”. Note que abaixo de “Meus lugares” aparecem as pastas criadas nos tutoriais anteriores. Clique em Arquivo » Importar. Indique o caminho onde você salvou seus arquivos baixados do site do IBGE. No canto inferior direito da janela flutuante exiba a lista suspensa de todos os tipos de arquivos que podem ser importados para o Google Earth Pro, escolha ESRI Shape (shp). Observe que agora todos os arquivos shp são listados, clique sobre o arquivo “50MEE250GC_SIR”, que representa as Mesorregiões do Estado do Mato Grosso do Sul. Este arquivo foi escolhido como demonstração, tendo em vista que o Google Earth Pro na versão de avaliação restringe o número de elementos que podem ser importados, algo que não ocorre na versão completa (seja ela paga ou educacional). Quando for mostrado um aviso questionando se você deseja aplicar um template de estilo, clique em Sim. Em seguida será exibida uma caixa de diálogo na qual é possível escolher criar um novo template ou abrir um template existente. Escolha criar um novo e clique em OK. Note que serão exibidas na caixa de diálogo quatro abas, associadas com Nome, Cor, Ícone e Altura. Observe que os dados importados do arquivo shp são mostrados na caixa de diálogo. Na aba Nome selecione a partir da lista suspensa qual atributo será associado ao nome do marcador a ser exibido no Google Earth Pro. Escolha CDGEOCODME e note que tal atributo fica destacado na tabela. Agora clique na aba Cor. Há três opções a escolher: “selecionar a cor a partir de um campo”, “usar uma única cor” e “usar cores aleatórias”. Escolha a terceira opção. Clique em OK e o Google Earth Pro salvará o arquivo 50MEE250GC_SIR.kst, que contém o template de estilo. Aceite a sugestão de caminho clicando em Salvar. Exiba os dados importados, bem como o layer de Limites para melhor contextualização. Note que no painel à esquerda são listados os geocódigos das mesorregiões sul mato-grossenses.

Tutorial 8 Por dentro do Google Earth   Parte 4Vamos demonstrar como gerar o mesmo mapa, mas desta vez escolhendo outro atributo que será associado ao nome do marcador a ser exibido no Google Earth Pro. Para tanto, clique novamente em Arquivo » Importar e indique o caminho onde está o arquivo “50MEE250GC_SIR.SHP”. Um aviso será mostrado, questionando se deseja recarregar o mesmo arquivo e perder as alterações feitas anteriormente. Clique em Sim. O aviso questionando se você deseja aplicar um template de estilo será mostrado. Clique em Sim. Na caixa de diálogo escolha criar um novo template e clique em OK. Mais uma vez será exibida a caixa de diálogo, sendo que na aba Nome, selecione a partir da lista suspensa qual atributo será associado ao nome do marcador a ser exibido no Google Earth Pro. Escolha NM_MESO e note que tal atributo fica destacado na tabela. Agora clique na aba Cor e escolha “usar cores aleatórias”.

Tutorial 9 Por dentro do Google Earth   Parte 4Clique em OK e o Google Earth Pro salvará o arquivo 50MEE250GC_SIR.kst, que contém o template de estilo. Aceite a sugestão de caminho, clicando em Salvar. Quando for mostrado o aviso informando que o arquivo já existe e questionando se deseja substituí-lo, clique em Sim. Exiba os dados importados, bem como o layer de Estradas para melhor contextualização. Note que, no painel à esquerda, são listados os nomes das mesorregiões sul mato-grossenses. Renomeie “50MEE250GC_SIR.shp” para “Mesorregiões do Estado MS”. Arraste e salve seus resultados em “Meus lugares”, na pasta “Arquivos SHP do IBGE”, e exiba as subpastas descendentes. Analise o resultado mostrado no navegador 3D e observe que as cores podem ser diferentes das mostradas neste tutorial, pois estão configuradas para serem aleatórias.

Comparando dados e fazendo medidas

Adote os mesmos procedimentos demonstrados neste tutorial para importar os dois arquivos “50MUE250GC_SIR.shp”, que representam os municípios sul mato-grossenses nos anos 2010 e 2013. Renomeie os layers como “Municípios MS 2010” e “Municípios MS 2013” para evitar confusões futuras. Altere as propriedades de apresentação visual para facilitar a comparação das representações vetoriais multitemporais. Uma sugestão é mostrar os limites como linhas, ao invés de preencher os polígonos dos municípios. Neste tutorial as linhas em vermelho correspondem aos municípios de 2010 e as linhas em branco representam os municípios de 2013.

Tutorial 10 Por dentro do Google Earth   Parte 4Exiba os limites dos municípios simultaneamente para verificar as alterações que ocorreram de 2010 para 2013. Para saber quais são os novos municípios emancipados, leia o arquivo disponibilizado pelo IBGE em http://goo.gl/ZjGdTc, onde é possível constatar que o novo município denominado Paraíso das Águas (geocódigo 5006275) causou alteração de área em três outros: Costa Rica (geocódigo 5003256), Chapadão do Sul (geocódigo 5002951) e Água Clara (geocódigo 5000203).

Tutorial 11 Por dentro do Google Earth   Parte 4Para saber qual é o perímetro e qual é a área de Paraíso das Águas, você pode clicar com o botão direito do mouse sobre o nome do município e depois em Propriedades. Na caixa de diálogo, clique na última aba e escolha as unidades desejadas (km e km2, por exemplo). Observe a sintaxe exibida e note que é necessário também renomear alguns dos municípios para que a acentuação e os caracteres especiais sejam mostrados corretamente.

Tutorial 12 Por dentro do Google Earth   Parte 4Seguindo as orientações dos nossos tutoriais de Google Earth Pro publicados anteriormente na Revista MundoGEO, você poderá gerar seu mapa com outras cores e porcentagens de opacidade, além de inserir título, fonte dos dados, legenda, norte e escala gráfica. Ao invés de mostrar a imagem de satélite com as cores originais, você pode optar por tons de cinza ou cores esmaecidas no plano de fundo. Compartilhe seu mapa personalizado no Google+ ou capture a imagem e publique em suas redes sociais.

Arlete Por dentro do Google Earth   Parte 4Arlete Aparecida Correia Meneguette

Engenheira cartógrafa (Unesp), PhD em fotogrametria (University College London). Docente e pesquisadora do Departamento de Cartografia da Unesp – Campus de Presidente Prudente

arletemeneguette@gmail.com