Veja como exibir coordenadas geográficas e altitudes

Na edição 73 da Revista MundoGEO demonstramos como obter perímetros e áreas usando o Google Earth Pro. Desta vez vamos mostrar o passo a passo de como exibir coordenadas geográficas e altitudes, tomando como referência a Estação PPTE da Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo (RBMC), que consiste em um pilar de concreto dotado de um dispositivo de centragem forçada localizado na Unesp – Campus de Presidente Prudente.

Entre no site do IBGE em http://goo.gl/JCkS9g, onde são listadas para a PPTE as coordenadas geodésicas (Latitude, Longitude, Altitude Elipsoidal, Altitude Ortométrica), as coordenadas cartesianas (X,Y,Z) e as coordenadas planas (E,N), todas referenciadas ao Sirgas2000 (Época 2000,4), portanto, compatíveis com o Google Earth, que adota WGS84.

Adicionando um marcador em coordenadas geográficas

Faça login no Google Earth Pro. No menu, clique em Ferramentas e escolha Opções. Em Opções do Google Earth, opte por mostrar as coordenadas geográficas (Latitude e Longitude) em graus, minutos e segundos. Em unidades de medida, escolha a opção que indica metros e quilômetros. Em Terreno, habilite a opção para usar terreno de alta qualidade. Clique em OK. No painel à esquerda, em Camadas, habilite Terreno (a última opção da lista). A “elevação do marcador” pode ser vista na barra de status. Entretanto, esse valor se aplica a uma área e não a um ponto, uma vez que os dados altimétricos do Google Earth são provenientes da missão SRTM (Nasa). O referencial altimétrico é o WGS84, sendo o modelo terrestre representado pelo EGM96. No painel à esquerda, clique com o botão direito do mouse em “Lugares temporários” e escolha Adicionar Marcador. Digite PPTE-Lat-Long como nome do marcador, digite a latitude 22° 7’11.66”S e a longitude 51°24’30.72”O. Altere o ícone do marcador e clique em OK. Aplique zoom na imagem de satélite, passe o mouse sobre o marcador e observe que ele fica destacado em tamanho um pouco maior. Note, na barra de status, que são exibidas as coordenadas (Latitude e Longitude), além disso, ao marcador PPTE-LatLong parece estar associado o valor de 433 metros de “elevação” quando o mouse está sobre o ponto.

Criando um perfil de elevação

No painel à esquerda, clique com o botão direito do mouse em “Lugares temporários” e escolha Adicionar Caminho. Clique na imagem em três pontos, sendo que um deles necessariamente deve coincidir com o marcador criado anteriormente. Se necessário, desloque os pontos para ajustar. Digite Perfil A-B como o nome do caminho. Clique em OK. Clique com o botão direito do mouse sobre o nome do caminho Perfil A-B. Escolha a opção Mostrar perfil de elevação. Um perfil de elevação é exibido na parte de baixo da tela e é possível, então, deslizar um ponteiro que indica a elevação ponto a ponto. Cabe ressaltar que a região de estudo é relativamente plana e os dados SRTM usados pelo Google Earth são válidos para uma área e não para pontos específicos. Ao mover o ponteiro ao longo do perfil de elevação e fazer coincidir com a posição do marcador, é possível constatar que está associada a esse ponto a elevação de 432 metros (na verdade, a mesma mostrada para o primeiro ponto do perfil A-B).

Passo a passo 01 Por dentro do Google Earth   Parte 5

Deslocando o ponteiro para a outra extremidade é possível verificar que a elevação permanece em 432 metros. Outra informação exibida é a distância percorrida ao longo do caminho. Ao terminar de utilizar o perfil de elevação clique em Passo a passo 02 Por dentro do Google Earth   Parte 5 para fechar. Repita o procedimento para criar um novo caminho denominado Perfil C-D, perpendicular ao Perfil A-B, sendo que um dos pontos necessariamente deve coincidir com o marcador PPTE-LatLong, como foi feito anteriormente. Clique com o botão direito do mouse sobre o nome do caminho Perfil C-D. Escolha a opção Mostrar perfil de elevação. Repita o procedimento para exibir a elevação do marcador, observe que desta vez parece ser de 431 metros! Note que, neste perfil, há uma variação maior do relevo, como pode ser visto no perfil de elevação. Ao terminar de utilizar o perfil de elevação clique em Passo a passo 02 Por dentro do Google Earth   Parte 5 para fechar.

Passo a passo 03 Por dentro do Google Earth   Parte 5

Clique com o botão direito do mouse sobre Lugares temporários, opte por Salvar lugar como e escolha entre as extensões KML e KMZ. É possível também enviar os dados por e-mail. Finalmente, escolha a opção Salvar em Meus lugares.

Analisando os resultados

Como vimos anteriormente, a Altitude Elipsoidal e a Altitude Ortométrica da Estação PPTE são fornecidas pelo IBGE em http://goo.gl/JCkS9g. Segundo os dados do IBGE, a Altitude Elipsoidal da PPTE é de 431.05 metros (obtida com uso do GPS), enquanto que a Altitude Ortométrica é de 435.97 metros (valor calculado através do modelo MAPGEO2010). A Latitude da Estação PPTE é -22°07’11.6571” e a Longitude é -51°24’30.7225”. De acordo com o MAPGEO2010, a ondulação geoidal da Estação PPTE é de -4.92 metros, ou seja, como é negativa, isso significa que o geóide está abaixo do elipsóide.

É interessante ressaltar que as mensurações efetuadas no Google Earth indicaram:

• Perfil A-B -> elevação: 432 metros

• Perfil C-D -> elevação: 431 metros

Isso indica que a elevação mostrada pelo Google Earth é mais próxima da Altitude Elipsoidal (ou Altitude Geométrica) do que da Altitude Ortométrica.


Passo a passo 04 Por dentro do Google Earth   Parte 5O Modelo MAPGEO2010 em SIRGAS2000 pode ser visualizado em http://goo.gl/dd0ZnP. Na região da Estação PPTE, o valor da altura geoidal varia de 0 a -5 metros.

Para obter gratuitamente o aplicativo MAPGEO2010, entre no site do IBGE em http://goo.gl/FBupD8.

Após executar o programa, habilite a caixa Entrada via Teclado, digite o valor da Latitude e da Longitude em graus, minutos e segundos (GMS). Observe que a Longitude por padrão é negativa, mas a Latitude pode ser positiva ou negativa, dependendo do lugar do ponto. Em Sistema, escolha SIRGAS2000. Depois clique no botão missing image file para Processar Ponto. Em seguida, o valor da ondulação geoidal é exibido na tela. O resultado pode ser salvo ou impresso. É possível realizar a entrada dos dados via arquivo também.

Arlete Por dentro do Google Earth   Parte 5Arlete Aparecida Correia Meneguette

Engenheira cartógrafa (Unesp), PhD em fotogrametria (University College London). Docente e pesquisadora do Departamento de Cartografia da Unesp – Campus de Presidente Prudente

arletemeneguette@gmail.com