Sistema de Observação e Monitoramento da Agricultura no Brasil

O SomaBrasil, desenvolvido pela Embrapa Monitoramento por Satélite, objetiva integrar variáveis censitárias e dados gerados a partir de sensoriamento remoto provenientes de várias fontes, permitindo diferentes níveis de acesso e análise para o monitoramento das atividades agrícolas no País. A definição da arquitetura do sistema levou em consideração a utilização de software livre com código aberto e padrões de interoperabilidade de dados espaciais definidos pelo Open Geospatial Consortium (OCG), que estabelecem formas de armazenamento e acesso padronizado aos dados. O sistema de banco de dados escolhido foi o PostgreSQL com a extensão espacial PostGIS, juntamente com o servidor geoespacial GeoServer. Este WebGIS reúne bases de dados de recursos naturais e agricultura, como informações sobre a produção e o Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dados gerados por programas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), mapeamentos realizados pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e outras instituições. O usuário é capaz de interagir com esses diferentes planos de informação, realizando consultas básicas e avançadas por meio de ferramentas de análises espacialmente explícitas e de visualização dinâmica. Estas contribuem para a melhor compreensão das mudanças de uso e cobertura da terra, gerando informações úteis para o zoneamento, monitoramento espacial, definição de prioridades para empreendimentos agropecuários, logística, pesquisa, desenvolvimento e políticas públicas.

somabrasil 300x166 SomaBrasil

Interface do SomaBrasil em ambiente WebGIS

O sistema disponibiliza funções de acesso, navegação e manipulação por meio da barra de ferramentas e o usuário tem também a possibilidade de sobrepor planos de informação e controlar seu grau de transparência, além de selecionar diferentes tipos de mapas base, utilizados como pano de fundo para as informações disponibilizadas no WebGIS. As opções de mapas base são: Google (Hybrid, Satellite, Physical e Street); Virtual Earth (Hybrid, Aerial e Roads); OpenStreet Maps (MapQuest, MapQuest Imagery e OpenStreetMap); e MapBox. Também podem ser inseridos dados externos apontando-se para servidores remotos do tipo Web Map Service (WMS). A estrutura do sistema está dividida em três seções: Mapas Temáticos, Diagnóstico e Monitoramento.

Em Mapas Temáticos, os dados disponíveis incluem: Político-Administrativo (estados, mesorregiões, microrregiões e municípios); Articulação Cartográfica (cartas topográficas); cenas de diferentes sensores remotos com acesso gratuito (Cbers, Resourcesat, Modis, Landsat); Meio Físico (relevo, hidrografia, divisão hidrográfica, ottobacias, biomas, solos e potencial agrícola); Áreas Protegidas (unidades de conservação de uso sustentável, proteção integral e terras indígenas); Logística (hidrovias, ferrovias e rodovias) e Clima (temperatura mínima, média e máxima anual, precipitação anual, precipitação no quadrimestre mais seco e no quadrimestre mais chuvoso). As escalas originais foram mantidas e o processo de inclusão dos dados em melhor escala será contínuo, conforme sua obtenção e geração. Na seção Diagnóstico do SomaBrasil, estão inseridas informações de uso e cobertura da terra provenientes do Projeto de Monitoramento do Desmatamento dos Biomas Brasileiros por Satélite (PMDBBS) e do Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes).

somabrasil2 300x149 SomaBrasil

Exemplo de espacialização da consulta realizada sobre o mapeamento de agricultura de larga escala no Mato Grosso

Nesta seção também são inseridas as informações geradas pelos usuários a partir das consultas realizadas na base da Produção Agrícola Municipal (PAM) e da Pesquisa Pecuária Municipal (PPM). Dependendo do nível de acesso do usuário cadastrado, outras formas de consulta e bases de dados também estão disponíveis, como informações a respeito da tomada de crédito agrícola ou da agricultura familiar, assim como formas mais avançadas de consulta, como a definição personalizada das classes ou o uso de sintaxes SQL (Structured Query Language), uma linguagem padrão de banco de dados. Na seção Monitoramento, estão inseridas informações geradas a partir da análise de dados de sensoriamento remoto, como índices de vegetação e mapeamentos do uso da terra executados pela Embrapa Monitoramento por Satélite e instituições parceiras. Exemplos são os estudos de índices padronizados de vegetação (IVP), identificando áreas de ocorrência de anomalias, como seca extrema ou excesso de precipitação, mapeamentos de áreas com culturas agrícolas de larga escala e de indicativos de pastagens degradadas geradas a partir de séries temporais de sensores orbitais como o Modis e o Spot Vegetation. A figura a seguir ilustra uma análise disponível no sistema. Detalhamento sobre todas as bases de dados, funções e a operacionalização podem ser consultadas em SomaBrasil.

Lançado em outubro de 2012 com o apoio da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE/PR) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o sistema já conta com milhares de usuários cadastrados em todo o Brasil e outros 22 países. O maior percentual dos usuários (41%) está associado a instituições de pesquisa, ensino, desenvolvimento e extensão vinculados a organizações públicas e privadas, como universidades federais, estaduais e particulares, institutos federais de educação, empresas, institutos, fundações e organizações de pesquisa e extensão. Outros 22% dos usuários estão na esfera governamental (federal, estadual e municipal), com destaque para vários ministérios, órgãos e agências reguladoras, empresas públicas, institutos, prefeituras municipais e secretarias de Estado e de Municípios. Outra parcela igual (22%) inclui empresas brasileiras e internacionais com atuação diversificada em praticamente todas as áreas de produção, direta ou indiretamente vinculadas à atividade rural. O sistema é acessado ainda por profissionais liberais, consultores, agricultores, associações, cooperativas, sindicatos, organizações não governamentais e bancos públicos e privados, totalizando 15% dos usuários nestes segmentos.

Com a adoção de padrões internacionais, o SomaBrasil favorece a interoperabilidade de conteúdo e serviços, permitindo gerar uma visão integrada da agricultura da escala municipal à nacional. Os usuários podem planejar ações com base em informações técnicas atuais, com fácil acesso e interpretação, uma vez que detalhes importantes sobre as fontes dos dados estão documentados em metadados de acordo com o Perfil de Metadados Geoespaciais do Brasil, em alinhamento às normas estabelecidas pela Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (Inde). Ainda, o usuário pode adicionar serviços de servidores externos, exportar resultados das consultas em formatos SIG, imprimir gráficos, figuras e tabelas, permitindo a toda a sociedade utilizar informações geoespaciais no apoio ao desenvolvimento rural brasileiro, com a flexibilidade de personalizar suas análises e visualizações de acordo com seu interesse.

Édson Luis Bolfe SomaBrasilÉdson Luis Bolfe, Engenheiro Florestal, Dr. Pesquisador e chefe adjunto de P&D

 

 

 

 

Mateus Batistella SomaBrasil
Mateus Batistella, Biólogo, PhD, Pesquisador e Chefe Geral

 

 

 

 

Daniel de Castro SomaBrasilDaniel de Castro Victoria, Engenheiro Agrônomo, Dr. Pesquisador e supervisor de P&D

 

 

 

 

Davi de o.Custodio SomaBrasil
Davi de O. Custódio, Analista de Sistemas

 

 

 

 

Gustavo Bayama SomaBrasil
Gustavo Bayma Silva, Me. Analista de Geoprocessamento

 

 

 

 

Debora P.Drucker SomaBrasil
Debora P. Drucker

Engenheira Florestal, Dra. Analista