A FAO e a Google firmaram recentemente uma parceria para o desenvolvimento de produtos de sensoriamento remoto e mapeamento com a finalidade de ajudar países a combater as alterações climáticas

14737398351 d02bda35da z 600x388 FAO e Google Maps unem se para combater as alterações climáticas

Fonte: Flickr via natasha.tricks at btinternet.com

Satélites de observação da Terra podem transformar a maneira como os países podem avaliar, acompanhar e planejar o uso de seus recursos naturais, incluindo o monitoramento dos processos de desmatamento e da desertificação.

Hoje, muitos países ainda dependem de métodos manuais propensos a erros e demorados. No entanto, se apresenta uma oportunidade que pode permitir que esses países melhorem essas operações com soluções de baixo custo.

Geo no combate aos efeitos das mudanças climáticas

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e o Google Maps acabam de firmar uma parceria de três anos para trabalhar em conjunto, com a finalidade de desenvolver produtos de sensoriamento remoto e mapeamento mais acessíveis.

O movimento tem como objetivo fornecer a tecnologia necessária para ajudar os países a combaterem as alterações climáticas, e aumentar a capacidade dos especialistas em desenvolvimento de políticas florestais e de uso da terra.

A parceria entre o Google Maps e a FAO é projetada para promover a inovação e o conhecimento, além de ampliar o acesso a ferramentas digitais fáceis de usar. A colaboração irá aumentar a visibilidade e a implementação de esforços para incentivar práticas ambientais sustentáveis ​​em todo o mundo.

De acordo com Rebecca Moore, diretora do Google Earth, Earth Engine & Earth Outreach, a parceria é poderosa, porque une as forças complementares da FAO e da Google. Enquanto a FAO tem décadas de experiência, trabalhando em campo em centenas de países e em milhares de projetos, a tecnologia do Google está na vanguarda do big data, da computação em nuvem e das ferramentas de mapeamento transformadoras.

A aplicação Collect Earth da FAO se apoia no Google Earth e no Google Earth Engine para fornecer uma ferramenta simples, porém poderosa, de monitoramento de carbono florestal a nível nacional e mundial, capacitando países tão diversos quanto Chile, Panamá, Namíbia, Papua Nova Guiné, Tunísia e Butão.

O Google Maps irá fornecer 1,2 mil credenciais de testadores confiáveis ​​do Google Earth Engine para os colaboradores da FAO e parceiros, além de fornecer treinamento e receber feedback sobre as necessidades e experiências dos usuários. Por outro lado, a FAO vai treinar sua própria equipe e peritos técnicos nos países membros do programa para usar a tecnologia da Google. A parceria vai ampliar o foco para o monitoramento de terras e para a produtividade das culturas agrícolas.