Solução envolve desde Big Data e BIM até Drones. Estudo da empresa Indra defende que tecnologia deve ajudar a reduzir custos, trazer direção mais segura e minimizar o impacto sobre o meio ambiente em todo o mundo

A Indra, empresa global de consultoria e tecnologia, desenvolveu recentemente o ITT Report, estudo dedicado a analisar as principais tendências do setor de transportes em âmbito global.

De acordo com as conclusões apontadas, as tecnologias digitais devem marcar o futuro da mobilidade, trazendo benefícios significativos para usuários e empresas.

mobilidade como serviço 300x199 Mobilidade como serviço é tendência para o transporte do futuroNesse sentido, o modelo de Mobilidade “as a service” (ou MaaS) deve adquirir importância fundamental nos próximos anos.

Popularizado e desenvolvido em primeiro lugar pela indústria de software, o modelo “as a service” basicamente consiste em vender direitos de uso (em vez de produtos) em qualquer dispositivo associado a uma conta de usuário, por uma mensalidade específica.

Na prática, passa de uma compra pontual a um gasto periódico com os softwares.

“O que está acontecendo no setor de mobilidade é algo semelhante. Sob a perspectiva do operador, cada vez mais interessam os projetos em que a infraestrutura necessária para sua exploração seja oferecida pelo provedor tecnológico como um serviço integrado, pelo que cobraria uma mensalidade ou porcentagem fixa de vendas – em vez de construir a infraestrutura e assumir posteriormente os custos de aprender a usá-la”, destaca a companhia.

A nova mentalidade deve afetar principalmente gestores de tráfego e concessionárias de rodovias, em que a Mobilidade “as a service” (ou MaaS) incluiria soluções para o acesso a determinadas rotas ou preços modulares e pagamentos em tempo real de acordo com as condições das estradas, data e horário, etc. “Além disso, o carro conectado ou autônomo, que avança com IoT e as novas comunicações móveis seguras, deve transformar a experiência do usuário em suas viagens por rodovias”, afirma o estudo.

Com isso, uma das tendências apontadas pela consultoria é a de que, no futuro, usuários poderão configurar seus perfis, escolher seus meios de transporte, acessar a cada um deles e pagar no final do mês segundo o uso que cada um tenha feito, além de ter acesso a prêmios por suas escolhas mais sustentáveis.

E como fica a logística em meio à transformação digital?

Mais do que impactar a experiência de usuários, esse novo cenário também deve trazer consequências positivas para empresas.

De acordo com a Indra, o transporte de cargas deve sofrer efeitos significativos em meio à transformação digital e deve sanar três principais desafios enfrentados pelo setor atualmente:

• Otimizar custos com a manutenção da infraestrutura
• Rastreabilidade das mercadorias
• Garantir a entrega final de produtos

De acordo com o estudo, os dois últimos fatores devem ser resolvidos com plataformas de gestão integrada de mercadorias com rastreabilidade total, baseada em blockchain e smart contracts, conectadas com dados de tráfego em tempo real e que facilitem a distribuição com um menor impacto no meio ambiente.

Ao mesmo tempo, a manutenção das infraestruturas de transporte será cada vez mais previsível, partindo do próprio desenho da infraestrutura em BIM (Building Information Model) até à coleta de dados relevantes através de big data para estabelecer indicadores e padrões que, apoiados por inteligência artificial, facilitam a tomada de decisão.

A revisão por drones e o uso de realidade aumentada para treinamento de operadores e assistência remota em reparos delicados também devem transformar a dinâmica desses serviços.

Geo e Drones na Indústria 4.0

Você já pode marcar na sua agenda: de 25 a 27 de junho acontecem em São Paulo (SP) os eventos MundoGEO Connect e DroneShow 2019, os maiores da América Latina e entre os cinco maiores do mundo no setor. Alinhados às tendências globais e com foco na realidade regional, o tema geral do MundoGEO Connect e DroneShow em 2019 será “Drones e Geotecnologia na Indústria 4.0”.

Instagram Imagem Post B2 300x300 Mobilidade como serviço é tendência para o transporte do futuroOs conteúdos dos cursos, palestras e debates estão sendo formatados por um time de 32 curadores para atender as demandas de empresas, profissionais e usuários principalmente nos setores de Agricultura, Cidades Inteligentes, Governança Digital, Infraestrutura, Meio Ambiente, Recursos Naturais, Segurança e Defesa.

Dentre as tecnologias disruptivas que estarão em destaque, estão Big Data, Inteligência Artificial / Machine Learning, Internet das Coisas, Realidade Virtual e Aumentada, BIM, Tecnologia Autônoma, entre outras, tudo isso cada vez mais integrado às Geotecnologias (Mapeamento, Cadastro, Imagens de Satélites, Inteligência Geográfica, GIS).

Os sites do MundoGEO Connect e DroneShow 2019 apresentam o time de curadores que está ajudando a desenhar de forma inovadora os conteúdos dos eventos. Ainda este ano será divulgado o formato e prazos para submissão de trabalhos, as formas de participação de startups e a lista completa de cursos inéditos e atividades paralelas da feira. Confira um resumo de como foi a última edição:

Imagem: Pixabay