geo | GeoDrops

GeoDrops

O futuro dos eventos de Geotecnologia & Drones será virtual?

Por Eduardo Freitas | 14h29, 12 de Maio de 2018

O uso de tecnologia da informação e comunicação em congressos e feiras está mudando rapidamente a forma como as pessoas interagem entre si. Por outro lado, eventos presenciais na área de Geotecnologia e Drones continuam em crescimento. Será que o futuro dos eventos de Geo & Drones será virtual?

paletras em hologramas 300x199 O futuro dos eventos de Geotecnologia & Drones será virtual?Se há alguns anos existia um certo questionamento se estávamos nos aproximando do fim das interações “face-to-face” em eventos, a demanda atual por conexões cada vez mais pessoais só cresce. Segundo uma pesquisa publicada em 2017 pela Certain, 41% dos profissionais consideram eventos como a tática de marketing mais efetiva. Além disso, 69% afirmam que pretendem aumentar o investimento de seus orçamentos de marketing através da participação em eventos.

Hoje, com as tecnologias da informação e comunicação, é cada vez mais fácil organizar uma reunião virtual, webinar, com a opção de interações entre as pessoas por vídeo, áudio, chat. Além disso, apps e redes sociais colocam profissionais de uma área cada vez mais próximos, mesmo estando distantes entre si fisicamente.

Em um post do Event Manager Blog é traçado um paralelo entre o declínio do varejo e a ascensão dos eventos nos últimos anos. E um dos motivos para a queda das redes varejistas estaria relacionado ao perfil das novas gerações, já que 75% das pessoas com menos de 35 anos estão mais dispostos a pagar por uma experiência do que por um produto.

Nos Estados Unidos, eventos geram um PIB de 115 bilhões de dólares e empregam mais de 1,7 milhão de pessoas. No Brasil, não existem estudos recentes de quanto é o total de faturamento do mercado de eventos. Um estudo realizado com mais de 2,7 mil empresas do setor, pelo Sebrae em conjunto com a Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC), aponta que o setor movimentou 209,2 bilhões de reais em 2013.

Geo & Drones

No setor de geotecnologia e drones, o mercado, que vinha num movimento crescente, passou por uma retração em 2015 e 2016, se estabilizou em 2017 e dá fortes sinais de expansão este ano.

E um sinal é o recorde de inscrições e a feira completa de expositores com semanas de antecedência no MundoGEO#Connect e DroneShow 2018, que vão acontecer de 15 a 17 de maio no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo (SP), além do 5º Fórum Empresarial de Drones, que acontece no dia 14 também na capital paulista. Estes são os maiores eventos de geo e drones da América Latina, estando entre os cinco no mundo em número de expositores e participantes.

Não sei pra você, mas no meu caso, a participação em eventos na área faz toda a diferença. Apesar de toda a tecnologia digital de hoje, nada substitui – ainda – o contato pessoal. Ainda vai demorar muito para termos contatos em forma de holograma, como esta passagem do filme Star Wars:

Eu mesmo comecei a participar em conferências e feiras desde o primeiro ano da faculdade, quando a grana era curta, mas eu dava um jeito e foi no evento GIS Brasil 96, em Curitiba (PR) que decidi mudar de carreira e seguir no setor de geotecnologia e drones. Também era assinante da antiga revista InfoGEO, da qual acabei virando editor alguns anos depois…

E olha que eu sou suspeito para falar, pois liderei, em 2009, a realização dos primeiros webinars na MundoGEO. Desde então, já foram mais de 600 eventos online, em português, espanhol, inglês e até francês, com dezenas de milhares de participantes. É uma excelente ferramenta pra alcançar muitas pessoas, de diversos lugares do mundo, em um curto espaço de tempo e a um custo muito baixo, mas ainda não inventaram uma plataforma de webinar que substitua a experiência de um evento presencial.

Se você já tomou sua decisão de se atualizar no setor e fazer um networking sem precedentes no maior evento de geo e drones da América Latina, a hora é esta. O único inconveniente de um evento presencial é que temos a limitação física de espaços, e por isso as vagas são limitadas e estão acabando…

PS: Se você vai estar lá no MundoGEO#Connect e DroneShow, passa no nosso estande pra tomarmos um café, ok? Além dos seminários e cursos, tem a feira, atividades especiais, encontros de usuários… Nos vemos lá!

Imagem: Pixabay

share save 171 16 O futuro dos eventos de Geotecnologia & Drones será virtual?

Gerenciamento de Projetos integrado ao SIG é possível?

Por Eduardo Freitas | 13h35, 16 de Setembro de 2013

Ou a melhor pergunta seria: GIS integrado ao Gerenciamento de Projetos é possível?

Voltando ao tema Gerenciamento de Projetos (PM, na sigla em inglês), gostaria de indicar um artigo publicado na edição 61 da revista InfoGEO (acesso gratuito, sem necessidade de login e senha), de Clóvis Lemos Tavares, com o título “Onde estão os projetos?“.

Neste artigo, o autor fala sobre a importância dos Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para o gestor saber onde estão os projetos, como eles estão espacializados e como seus resultados estão distribuídos no espaço geográfico.

Ele usa como exemplo um projeto realizado em uma empresa do setor de Utilities no estado do Espírito Santo, no qual foi necessário criar uma camada intermediária para fazer a “comunicação” entre estes dois mundos: PM e SIG.

Gerenciamento de Projetos GIS Gerenciamento de Projetos integrado ao SIG é possível?

No artigo, Clóvis enumera alguns dos benefícios desta integração, mas eu citaria como principal este: “O gerente ‘mapeia’ o projeto na sua criação, de forma transparente e customizável, sem a necessidade de ser um especialista em geoprocessamento”. Isto é fundamental para que qualquer gerente de projetos possa usar o ferramental de geo no seu dia-a-dia.

Esta solução – camada intermediária – ainda não é a ideal, mas já resolve grande parte do problema. Você já utiliza gerenciamento de projetos com a integração de informações geoespaciais? Sua plataforma já tem a informação geográfica nativa ou é preciso fazer algum tipo de integração? Compartilhe sua experiência conosco, pelos comentários ou pelo email editorial@mundogeo.com.

share save 171 16 Gerenciamento de Projetos integrado ao SIG é possível?

Dica de Site: Geo Referencial

Por Eduardo Freitas | 14h33, 05 de Março de 2012

georeferencial Dica de Site: Geo ReferencialA dica de site de hoje é o Geo Referencial, um site para divulgação de resultados de projetos técnicos e documentos cartográficos.

O coordenador é Gilberto Pessanha Ribeiro – pesquisador envolvido em vários projetos – e conta com vários colaboradores.

Veja dois arquivos do professor Gilberto na edição 66 da revista MundoGEO.

share save 171 16 Dica de Site: Geo Referencial

Estereótipos: mito ou realidade?

Por Eduardo Freitas | 17h23, 11 de Abril de 2011

O curitibano é “fechado”, o carioca é “malandro” e o paulistano é “workaholic”. Mitos ou realidade?

Este post sobre estereótipos não tem nada a ver com geo e ao mesmo tempo pode ter tudo a ver. O topógrafo, por exemplo, é taxado como um “brucutu”. Alguns profissionais que trabalham com software livre são estigmatizados como “reacionários”, enquanto os analistas de geoprocessamento são chamados pejorativamente de “neogeógrafos”.

workaholics Estereótipos: mito ou realidade?

Todo paulistano é workaholic, ou todo workaholic é paulistano?

Porém há topógrafos trabalhando com alta tecnologia e assumindo cargos importantes; profissionais faturando alto com software livre para geo; e “neogeógrafos” dominando o mundo dos serviços baseados em localização (LBS).

Enfim .. escrevi tudo isso para falar que aqui em Curitiba faz muito frio e sim, o povo curitibano é fechado, mas um amigo curitibano é para toda a vida.

E você, já sofreu com algum estigma?

<a href=”http://mundogeo.com/geodrops/files/2011/04/workaholics.jpg”><img src=”http://mundogeo.com/geodrops/files/2011/04/workaholics.jpg” alt=”Paulistanos são workaholics. Ponto?” title=”workaholics” width=”250″ height=”250″ class=”size-full wp-image-232″ /></a>

Todo paulistano é workaholic, ou todo workaholic é paulistano?

share save 171 16 Estereótipos: mito ou realidade?

Dica de blog: GeoDownloads

Por MundoGEO | 12h10, 28 de Maio de 2010

 

Não quero dinheiro, só quero um comentário!

icon smile Dica de blog: GeoDownloads

Este é o lema do blog GeoDownloads, que já conta com mais de 240 livros disponíveis gratuitamente para download.

A maioria dos livros é da área de geologia, mas pode-se encontrar também publicações sobre geotecnologias.

ET: já deixei meu comentário lá.

share save 171 16 Dica de blog: GeoDownloads

Dica de blog: Anderson Medeiros

Por MundoGEO | 11h16, 24 de Maio de 2010

 

Batizado de Anderson Medeiros, este é o blog oficial do Portal ClickGeo. Anderson Maciel de Lima Medeiros é tecnólogo em geoprocessamento pelo IFPB e consultor em geotecnologias livres.

No ClickGeo é possível encontrar informações sobre como usar ferramentas úteis para o geoprocessamento, como gvSIG, Kosmo, Quantum Gis, Udig, PostGis, MapServer, Alov Map, dentre outros.

share save 171 16 Dica de blog: Anderson Medeiros

Geo no Facebook

Por MundoGEO | 16h25, 20 de Maio de 2010

 

E como a geoinformação está agora em tudo, as redes sociais não poderiam ficar de fora. Assim como o Twitter já se rendeu ao georreferenciamento de posts, o código do Facebook agora revela ferramentas de localização baseadas no padrão HTML5.

Segundo uma nota publicada pelo site TechCrunch, foi "descoberto" recentemente um código escondido no Facebook que seria um indício de uma nova tab “Places”, que vai permitir aos usuários da rede social revelarem – ou não – sua localização aos seus amigos.

Baseado nesse código, tudo leva a crer que o Facebook está prestes a lançar uma versão móvel do site, usando os componentes de localização do HTML5.

Enquanto isso, o Google Latitude passa de 3 milhões de usuários e o Android tem 100 mil ativações por dia em todo o mundo.

share save 171 16 Geo no Facebook

Jack Dangermond apresenta um novo conceito: GeoDesign

Por MundoGEO | 16h54, 25 de Fevereiro de 2010

Durante a conferência TED2010, que aconteceu no início de fevereiro, o presidente da Esri, Jack Dangermong, introduziu um novo conceito: GeoDesign.

O GeoDesign consite, basicamente, em integrar as tecnologias geoespaciais no processo de desenho e projeto. Isso daria a arquitetos, planejadores urbanos e outros profissionais as informações e análises geográficas necessárias para melhorar seus projetos.

Ele citou como exemplo as casas, jardins e templos japoneses, criados por planejadores que levam a natureza em conta para integrar as construções ao ambiente.

TED

O TED, voltado para as áreas de tecnologia, entretenimento e desenho, aconteceu entre 10 e 13 de fevereiro em Long Beach, na Califórnia. Para os que já são da área de geo, o conceito não traz tanta novidade assim, mas em tempos de arquitetura sustentável, o geodesign forneceria novas variáveis e ferramentas para projetistas.

Dentre os figurões do evento estavam Sergey Brin, da Google – que falou sobre os ataques chineses às ferramentas da companhia – e Bill Gates, da Microsoft – que palestrou sobre inovação.

 

share save 171 16 Jack Dangermond apresenta um novo conceito: GeoDesign

Twitter é coisa de velho

Por MundoGEO | 11h19, 31 de Agosto de 2009

É isso mesmo … Twitter é coisa de gente mais "velha".

Segundo uma matéria publicada hoje, o Twitter é muito mais utilizado por adultos e empresas do que por adolescentes.

Os universitários e adolescentes seriam os "early adopters" desse tipo de tecnologia, mas não são hoje os usuários massivos do Twitter.

Para quem achava que o serviço de microblog era mais uma ferramenta para aborrescentes despejarem sua revolta e angústia na web, errou feio. O Twitter virou um canal de comunicação adulto, tanto para usuários como para corporações.

Leia a íntegra da matéria sobre o Twitter.

Siga no Twitter: GeoDrops e MundoGEO.

share save 171 16 Twitter é coisa de velho

Lula fala sobre software livre

Por MundoGEO | 17h33, 29 de Junho de 2009

O presidente Lula fez mais um de seus pronunciamentos de improviso, desta vez no 10º Fórum Internacional de Software Livre (FISL), que aconteceu de 24 a 27 de junho em Porto Alegre. Segundo a repórter, é a primeira vez que um presidente participa de um evento da comunidade de software livre.

O Lula gosta mesmo de metáforas, principalmente futebolísticas, mas desta vez ele atacou de gastronomia regular smile Lula fala sobre software livre.  Quem não deve ter ficado muito contente com a declaração do Lula foi a Microsoft.

FOSS4G

O FISL 10 contou com um evento comunitário voltado exclusivamente para o setor de software livre e de código aberto para a área geoespacial (free and open source software for geospacial – FOSS4F na sigla em inglês).

share save 171 16 Lula fala sobre software livre
  • Eduardo Freitas
    @eduardo
    Diretor de Operações do MundoGEO. Engenheiro Cartógrafo, Técnico em Edificações, Especialização em Gestão Estratégica de EAD. Tradutor dos informativos GeoSur e OGC Iberoamérica. Nas horas vagas: pão caseiro, comida japonesa e meia-maratona

    Diretor de Operações do MundoGEO. Engenheiro Cartógrafo, Técnico em Edificações, Especialização em Gestão Estratégica de EAD. Tradutor dos informativos GeoSur e OGC Iberoamérica. Nas horas vagas: pão caseiro, comida japonesa e meia-maratona

  •