O Satélite CBERS 4A foi lançado e colocado em órbita com sucesso no início da madrugada desta sexta-feira (20/12), pelo foguete Longa Marcha 4B, a partir da base de lançamento de Taiyuan, na China, a 500 quilômetros de Pequim.

O lançamento ocorreu à 00:22 (horário de Brasília), um minuto além do previsto, e cerca de 15 minutos depois o terceiro estágio do foguete liberou o satélite na órbita prevista.

Outros oito satélites, de pequeno porte – um deles brasileiro, o FloripaSat-1, desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Catarina –, foram de “carona” no lançador chinês.

Confira o vídeo do lançamento:

A primeira passagem do satélite CBERS 4A sobre o território brasileiro estava prevista para acontecer na manhã desta sexta-feira por volta das 10h, quando as Estações Terrenas de Rastreio e Controle de Alcântara (MA) e Cuiabá (MT) receberiam os dados do CBERS 4A.

O satélite CBERS 4A é o sexto desenvolvido em parceria com a China, fruto de um acordo de cooperação tecnológica firmado entre os dois países em 1988.

Brasil e China dividem em 50% os investimentos e a participação nos desenvolvimentos dos satélites do Programa Sino Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS), sob a responsabilidade do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), pelo Brasil, e da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST), pela China.

Os recursos utilizados para o desenvolvimento e fabricação do CBERS 4A, incluindo investimentos na área de controle do satélite em órbita e aplicações, foram de 160 milhões de reais para o Brasil. Para o lançamento, o custo foi de 15 milhões de dólares para o país.

O CBERS 4A garante a continuidade no fornecimento de imagens que beneficiam o sistema de gestão do território do país (monitoramentos ambientais e de recursos terrestres), as pesquisas em universidades e os desenvolvimentos em empresas, que utilizam as tecnologias de geoinformação e de sensoriamento remoto.

Quando o CBERS 4A estiver plenamente operacional, os usuários do sistema CBERS terão o dobro de imagens disponíveis, já que o satélite CBERS-4, lançado em dezembro de 2014, continua em órbita. Desde a implementação da política de livre acesso a dados e imagens do INPE, em 2004, já foram distribuídas gratuitamente quase 2,4 milhões de imagens CBERS a cerca de 20 mil instituições do país.

Em outro setor da economia, o Programa CBERS vem estimulando a participação e capacitação da indústria nacional para o desenvolvimento e fabricação de sistemas e subsistemas de satélites. Os benefícios se estendem à criação de novos empregos e à geração de inovações tecnológicas e de processos, presentes em novos produtos e serviços.

Mais informações sobre o Programa CBERS estão disponíveis em www.cbers.inpe.br.

Soluções Inovadoras para Mercados Verticais

Estão abertas as inscrições no DroneShow MundoGEO Connect 2020, que acontece de 19 a 21 de maio no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo (SP) com o tema Soluções Inovadoras para Mercados Verticais. O evento apresenta as aplicações das geotecnologias e drones na Agricultura, Florestas, Construção, Smart Cities, Segurança, Defesa, Utilities, Mineração, Óleo e Gás, Energia, Logística, Meio Ambiente, Transportes e Infraestrutura em geral. Conheça a programação completa e garanta sua vaga!

droneshow e mundogeo connect 2020 solucoes inovadoras para mercados verticais

Será um verdadeiro festival de atrações: várias arenas com apresentações inovadoras, uma grade com cursos básicos, avançados e práticos, seminários e fóruns temáticos, espaço para experimentação de tecnologias 3D, premiação dos melhores projetos, lugar para encontros agendados para geração de negócios e troca de experiências, além da maior feira do setor nas Américas em número de visitantes, onde estarão presentes os principais desenvolvedores, fabricantes, distribuidores, fornecedores de tecnologia e prestadores de serviços do setor. Veja quem já reservou seu lugar na feira.

Confira um resumo de como foi a última edição do MundoGEO Connect e DroneShow, que contou com 3.800 participantes, 120 marcas, 200 palestrantes e 40 atividades:

Com informações do INPE. Imagem: Divulgação