Satélites de telecomunicações e de meteorologia, geração de mapas digitais para empresas de dispositivos móveis, fotografias aéreas, imagens de satélite para reduzir riscos crimes ambientais. Hoje, a indústria espacial abre possibilidades para geração de empregos e inúmeras chances de desenvolvimento em diferentes áreas. Especialista aponta que cursos da área das ciências da terra, como Engenharia Cartográfica, Geologia, tendem a ganhar espaço, umas vez que o mercado das tecnologias Geoespaciais está em alta.

O setor espacial, considerado um dos principais indutores do desenvolvimento tecnológico de um país, movimenta mais de 360 bilhões de dólares ao ano no mundo, segundo dados da Agência Espacial Brasileira (AEB). E as projeções para o futuro são ainda cifrões, considerando o investimento mais expressivos de novos players no cenário global.

O engenheiro cartógrafo Alexandre Silva, gerente de produtos de Radar de Abertura Sintética da Hex, empresa de geoprocessamento, aponta que campo de sistemas de informações geográficas passa por um momento de expansão:

“Do ponto de vista tecnológico, o cenário é o melhor possível. Nunca tivemos tantos dados espaciais para trabalhar. Agora, várias constelações de satélites estão adquirindo dados da superfície do planeta. Com isso, é possível fazer análises espaciais cruzando diferentes tipos de dados”

Segundo o especialista da Hex, Alexandre Silva, o grande desafio é conseguir lidar com o grande volume de dados disponíveis hoje e extrair informações úteis.

“Acredito que o Sistema de Informação Geográfica (SIG) em sua concepção foi a forma mais inteligente encontrada de gerenciar esses tipos de dados”

O SIG é um sistema que engloba pessoas, dados, software, hardware, a fim de permitir a utilização e armazenamento de dados geográficos.

A tendência global é comoditizar a informação cada vez mais as empresas de geoprocessamento, que tendem a oferecer a informação por meio de serviços, abandonando a velha venda de produtos, imagens e softwares que por muito tempo dominou o mercado.

“Essa transformação necessita bem mais de profissionais especializados nessas empresas, então sem dúvida beneficia quem tem uma formação boa e de qualidade na área”

explica Alexandre

Para ele, como é uma transformação que reflete em todo o mundo, incluindo o Brasil, o cenário é propício para quem está se formando ou deve se formar nos próximos anos.

Soluções Inovadoras para Mercados Verticais

Estão abertas as inscrições no MundoGEO ConnectDroneShow 2020, que acontece de 19 a 21 de maio no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo (SP), com o tema Soluções Inovadoras para Mercados Verticais.

Será um verdadeiro festival de atrações: arenas com apresentações inovadoras; cursos básicos, avançados e práticos; seminários e fóruns temáticos; experimentação de tecnologias 3D; premiação dos melhores projetos; plataforma para agendamento de reuniões. Quem quiser economizar até 50% e ainda ter liberdade de assistir todos os seminários e fóruns pode optar por adquirir um passaporte. Acesse a programação completa e garanta sua vaga!

droneshow e mundogeo connect 2020 solucoes inovadoras para mercados verticais

Em paralelo às atividades acontece a maior feira de Geotecnologias e Drones nas Américas em número de visitantes, onde estarão presentes as principais empresas e marcas do setor. Neste vídeo de apenas 3 minutos você pode conferir um resumo de como foi a última edição do MundoGEO Connect e DroneShow:

Imagem: Divulgação