O sistema de navegação por satélite Galileo, iniciativa da Comissão Européia começa a gerar bons resultados. Se tornou grande procura de empresas interessadas no consórcio de sua exploração.

pag10 2 Oportunidades de negócios com Galileo chamam atenção de concessionárias

Mesmo prevendo o início de sua fase operacional apenas para 2008, o prognóstico da prestação de serviços relacionados aos campos de transportes rodoviários, ferroviários, marítimos, aéreo, mercado de pesca, agricultura, prospecção de petróleo, atividades de proteção civil e ser-viços públicos já atraiu grandes ofertas das concessionárias iNavsat (um grupo composto pelas empresas EADS, Thales, e Inmarsat) e Eurely (formado pelas empresas Alcatel, Finmeccanica, Aena and Hispasat).

A concessionária que vencer será responsável por concluir a constelação e o segmento terrestre, que atualmente estão sob responsabilidade da Agência Espacial Européia, com um contrato de 20 anos. Especialistas europeus estimam que o mercado de atividades mundiais do sistema Galileo chegue a 1 bilhão e 800 milhões de usuários em 2010 e 3 bilhões e 600 milhões em 2020. No âmbito do projeto já foram assinados acordos com a China e Israel e estão em curso negociações com Índia, Rússia, Ucrânia, Coréia do Sul, Brasil, Chile, México, Malásia e Austrália. Além disso, a Comissão Européia apelou para aprovação da recomendação sobre a abertura de negociações com a Argentina. O país expressou oficialmente a vontade de participar no projeto, cooperando nos domínios do desenvolvimento de mercados, aplicações industriais e sistemas regionais e locais.