Recentemente foi disponibilizada a mais nova versão do TerraBrasilis, plataforma de disseminação de dados de desmatamento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Confira neste artigo mais informações sobre o TerraBrasilis

sistema terrabrasilis 300x176 Artigo: nova versão da plataforma do INPE com dados sobre desmatamentoDados ambientais abertos estão inter-relacionados a muitos processos socioeconômicos e ambientais que ocorrem em escalas de diferentes magnitudes, afetando os indivíduos locais, bem como a sociedade e o planeta como um todo.

Neste sentido, pesquisadores e tomadores de decisão necessitam de informações confiáveis, atualizadas e espacialmente extensas em diferentes escalas, a fim de melhor compreender essas inter-relações e assim conceber e implementar políticas efetivas para a proteção do meio ambiente e o manejo sustentável dos recursos naturais.

Entretanto, ainda existem lacunas de infraestruturas computacionais totalmente abertas e de código fonte livre capazes de gerenciar a alta variabilidade de projetos de mapeamentos temáticos especialmente em grandes áreas como no Brasil.

Projetos reconhecidos internacionalmente pela excelência e pioneirismo, como os projetos de monitoramento de desmatamento (PRODES) e detecção de desmatamento quase em tempo real (DETER), realizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), requerem uma plataforma flexível e genérica para disseminação de seus dados.

Com o intuito de ampliar o alcance desses programas, o INPE vem desenvolvendo uma infraestrutura de dados espaciais denominada TerraBrasilis para suportar tanto a visualização quanto o download de dados espacialmente filtrados, sem a necessidade de geoprocessamentos onerosos.

O TerraBrasilis ajuda a organizar, acessar e utilizar esses dados não somente por meio de um sistema de informação geográfica na Web com base em visões customizadas, mas também explorando padrões de interoperabilidade como aqueles produzidos colaborativamente por organizações internacionais de consenso aberto (OGC, sigla em inglês para Consórcio Geoespacial Aberto).

O TerraBrasilis também disponibiliza APIs consistentes em um cluster de máquinas virtualizadas para facilitar a análise desses dados espaciais em ambientes analíticos como os da linguagem R. A versão beta da plataforma foi divulgada no 19º Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (veja a figura a seguir).

figura 1 600x600 Artigo: nova versão da plataforma do INPE com dados sobre desmatamento

Coordenadores e Equipe Técnica do TerraBrasilis

A plataforma está disponível no endereço eletrônico http://terrabrasilis.dpi.inpe.br. Para mais informações técnicas, acesse também o artigo científico publicado e disponível no link https://bit.ly/2IyPVJ2.

TerraBrasilis

figura 2 300x253 Artigo: nova versão da plataforma do INPE com dados sobre desmatamento

TerraBrasilis

O TerraBrasilis possui duas vertentes principais: os SIG Web e os Dashboards. Infraestruturas de dados espaciais tradicionais como o TerraBrasilis requerem servidores de mapas (Geoserver) e de catálogos de metadados (Geonetwork).

Ele também suporta bancos de dados heterogêneos para lidar com dados espaço-temporais, temáticos e de negócios (PostgreSQL, MongoDB e Redis).

Ele se utiliza de bibliotecas para construir mapas interativos simples e responsivos (Leaflet Javascript), para visualizar gráficos de alto desempenho (d3 Javascript) e para filtrar grandes conjuntos de dados multivariados (crossfilter Javascript) com base nos padrões dos navegadores modernos (veja na figura a seguir).

Geo e Drones na Indústria 4.0

Você já pode marcar na sua agenda: de 25 a 27 de junho acontecem em São Paulo (SP) os eventos MundoGEO Connect e DroneShow 2019, os maiores da América Latina e entre os cinco maiores do mundo no setor. Alinhados às tendências globais e com foco na realidade regional, o tema geral dos eventos este ano será “Geotecnologia e Drones na Indústria 4.0”, com previsão de 4 mil participantes, 30 atividades e mais de 230 horas de conteúdo.

Instagram Imagem Post B1 300x300 Artigo: nova versão da plataforma do INPE com dados sobre desmatamentoOs conteúdos dos cursos, palestras e debates foram formatados por um time de curadores para atender as demandas de empresas, profissionais e usuários principalmente nos setores de Agricultura, Cidades Inteligentes, Governança Digital, Infraestrutura, Meio Ambiente, Recursos Naturais, Segurança e Defesa.

Dentre as tecnologias disruptivas que estarão em destaque, estão Big Data, Inteligência Artificial / Machine Learning, Internet das Coisas, Realidade Virtual e Aumentada, BIM, Tecnologia Autônoma, entre outras, tudo isso cada vez mais integrado às Geotecnologias (Mapeamento, Cadastro, Imagens de Satélites, Inteligência Geográfica, GIS).

Perfil dos expositores da feira: prestadores de serviços de aerolevantamentos, mapeamento e cadastro; desenvolvedores de sistemas de análise espacial; provedores de imagens de satélites; fabricantes e importadores de drones; fabricantes de sensores e tecnologias embarcada; distribuidores de softwares, plataformas de processamento e análise de dados; agências reguladoras e órgão governamentais; empresas de consultoria e treinamento; distribuidores de equipamentos de geomática; empresas de mapeamento móvel, entre outras.

Veja a programação completa de cursos e seminários e garanta sua vaga! Confira um resumo de como foi a última edição dos eventos MundoGEO Connect e DroneShow:

Imagem: Divulgação