2011 | Energia

Energia

FIM – TUDO TEM COMEÇO,ALGUMAS TEM MEIO E OUTRAS TEM FIM!

Por Marcos Cavalcanti | 15h04, 09 de Maio de 2011

QUERO AGRADECER PELO TEMPO QUE VOCÊS LEVARAM LENDO MEUS POSTS RELACIONADOS AO SETOR ELÉTRICO NA ÁREA DE GEOPROCESSAMENTO NO BLOG GEO ENERGIA. ESTOU DEIXANDO O PORTAL MUNDOGEO. AGRADEÇO A EQUIPE DO MUNDOGEO EM ESPECIAL AO EDUARDO FREITAS QUE PROPICIOU ESTA OPORTUNIDADE, CONHECI VÁRIOS AMIGOS , OBRIGADO A TODOS!

share save 171 16 FIM   TUDO TEM COMEÇO,ALGUMAS TEM MEIO E OUTRAS TEM FIM!

IV ENCONTRO DE USUÁRIOS ESRI ENERGIA 2011

Por Marcos Cavalcanti | 10h36, 11 de Março de 2011

Já estive presente em outros eventos de usuários da Esri, e posso afirmar que é uma excelente oportunidade de conhecer pessoas que fazem geoprocessamento no setor elétrico, a minha maior reivindicação neste evento foi sempre aumentar a quantidade de cases na área de geração pouco explorado. Fora isso é um evento que permite troca de experiências na área de energia e por si só um bom motivo para não perder.

IV ENCONTRO DE USUÁRIOS ESRI ENERGIA 2011
Data: 12 e 13 de Abril • Local: Bourbon Convention Ibirapuera – Avenida Ibirapuera, 2927, São Paulo – SP

Para Saber + e inscrições  :
http://www.img.com.br/utilities/energia2011/

share save 171 16 IV ENCONTRO DE USUÁRIOS ESRI ENERGIA 2011

FURNAS 54 ANOS.

Por Marcos Cavalcanti | 1h21, 01 de Março de 2011

Não poderia deixar passar a data em branco, hoje dia 28/2 a empresa FURNAS CENTRAIS ELETRICAS S.A. fez 54 ANOS. Com novo presidente Flavio Decat , a empresa parece acreditar que novos rumos traçados, resgatarão o nome da empresa e a valorização do funcionário através da exaltassão de uma nova caminhada onde todos andem juntos na melhoria de FURNAS.

share save 171 16 FURNAS 54 ANOS.

ENTREVISTAS ENERGIA 2011

Por Marcos Cavalcanti | 10h29, 18 de Fevereiro de 2011

Prezados Amigos do Blog Energia, me desculpem pelo tempo considerável que o BLOG ficou inativo, o Portal MundoGeo passou por mudanças necessárias, pois a interface do site estava defasada e está mudança deixou o blog inoperante. Para começar a série deste ano, inicío com o Post referente a última entrevista desta série iniciada no ano passado, as minhas considerações sobre geoprocessamento.

Um grande abraço e deixem seus comentários…

Nome: Marcos José de Cavalcanti

Formação: Arquiteto c/ Pós em Análise e Avaliação Ambiental e Gestão Integrada do Patrimônio Cultural

Empresa que atua: Nova Rio Serviços Gerais (FURNAS)

Anos de experiência profissional: Na área de Meio Ambiente 6 anos, dois anos na área de Arquivo Técnico e 4 anos na área de Patrimônio no Setor Elétrico

  •  Quantos Anos trabalha com geoprocessamento agregado a sua área de atuação e qual foi o primeiro contato com essa ferramenta?

 Desde 1995 quando passei a trabalhar em uma empresa de consultoria do Rio de Janeiro, acredito que seja uma boa experiência profissional trabalhar na área de consultoria, se aprende e trabalha-se muito. O meu primerio contato foi com ferramentas de CAD, primeiro o AutoCAD que funcionava em DOS e fazia mapas para estudos ambientais de hidrelétricas, mapas de uso do solo, socioeconômia, de área de influência Direta e indireta usando as bases do IBGE.

  •  Que mudanças tem ocorrido na sua área profissional que o geoprocessamento poderia contribuir?

 Por encrível que se pareça o geoprocessamento está hoje consolidado ao meu ver, não se pode pensar estudos e projetos sem um projeto de SIG (sistema de Informação Geográfica) ou classificação de imagens ou estudos topográficos de qualquer projeto, fico apenas preocupado com a qualidade do dado e sua descrição correta, itens que o mundo moderno diz que está, mas devido a rapidez dos processos na hora “H não se preocupa com isso.

 O geoprocessamento na área de patrimônio em algumas empresas está consolidado, a meu ver o maior desafio é a integração de várias áreas como o Meio Ambiente, Patrimônio e Engenharia entre outras, usando uma mesma base de dados. No início as escalas de trabalho eram bem destintas, porem hoje a cada dia elas estão mais próximas.

  •  Como você vê os estudos ambientais e sua relação com o Geoprocessamento no setor de energia?

 Não trabalho na área ambiental atualmente, porem uma das coisas que tem que mudar na cabeça das pessoas é a questão do ESTRUTURAL E INVESTIMENTO, não se pode tratar o legado ( antigo ) como algo menos importante e isso é uma realidade no nosso país. Outro fato entender o geoprocessamento como departamento nessas empresas, não vejo experiência nenhuma no setor neste sentido, acredito que seria uma grande oportunidade para o geoprocessamento crescer no setor.

share save 171 16 ENTREVISTAS ENERGIA 2011
  • Marcos Cavalcanti
    @marcanti
    Marcos José é Arquiteto com Pós-Graduação em Análise e Avaliação Ambiental pela PUC-RIO e Gestão Integrada do Patrimônio Cultural pela UFPE/UNESCO e Extenção em Geoprocessamento na PUC-MINAS VIRTUAL.Atualmente faz Pós-Graduação em Fotografia e Imagem pela UCAM / IUPERJ;

    Marcos José é Arquiteto com Pós-Graduação em Análise e Avaliação Ambiental pela PUC-RIO e Gestão Integrada do Patrimônio Cultural pela UFPE/UNESCO e Extenção em Geoprocessamento na PUC-MINAS VIRTUAL.Atualmente faz Pós-Graduação em Fotografia e Imagem pela UCAM / IUPERJ;

  •