GeoDrops

Grupo sobre metadados geoespaciais

Por MundoGEO | 12h59, 01 de Setembro de 2010

 

Acaba de ser criado um grupo de discussão, no Yahoo, para debate e disseminação de informações sobre dados e metadados para o GIS.

Apesar de achar grupos do Yahoo um pouco ultrapassados, vale a iniciativa. A propósito, já me inscrevi na lista.

share save 171 16 Grupo sobre metadados geoespaciais

INDE: agora vai!

Por MundoGEO | 14h52, 08 de Fevereiro de 2010

Uma notícia que passou meio despercebida, no final da semana passada, foi o anúncio da Concar disponibilizando o plano de ação para a implantação da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (INDE).

A Comissão Nacional de Cartografia (Concar) é um órgão colegiado do Ministério do Planejamento, descendente da antiga Cocar, que fixa as diretrizes e bases da cartografia brasileira. Dentre as atribuições da Concar estão assessorar o Ministro de Estado na supervisão do Sistema Cartográfico Nacional (SCN), coordenar a execução da Política Cartográfica Nacional e exercer outras atribuições relacionadas à cartografia a nível federal.

O plano de ação para implantação da INDE foi elaborado pelo Comitê de de Planejamento da Infraestrutura de Dados Espaciais (Cinde) da Concar. É um documento com 205 páginas que detalha os conceitos de IDE, os subsídios para o plano de ação da INDE, os atores envolvidos e as suas funções, os dados e metadados geoespaciais envolvidos, o diretório brasileiro de dados, as ações de capacitação e treinamento de recursos humanos, além das iniciativas para difusão e divulgação.
 
A INDE foi legalmente instituída pelo Decreto Presidencial 6.666, de 27 de novembro de 2008, que estipulou um prazo de seis meses para a Concar elaborar o plano de ação para implantação da INDE e submetê-lo ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP).

Para isso foi criado o Cinde, com 110 membros representando 26 organizações brasileiras, sendo 22 ligadas ao governo federal, três secretarias estaduais e uma universidade. O resultado desse trabalho está sendo compartilhado com a sociedade neste momento.

Segundo a Concar, a partir de 2010 a INDE será efetivamente implantada, seguindo as diretrizes traçadas no plano de ação. A estratégia baseia-se em um cronograma de metas, com prioridades e objetivos bem definidos, a serem alcançadas ao longo desta década, em três ciclos, sendo que o primeiro termina em dezembro de 2010, o segundo vai de 2011 a 2014 e o terceiro e último de 2015 a 2020.

Segundo o plano de ação, a iniciativa da INDE deverá ser deflagrada primeiramente no âmbito do setor público, ganhando força e se consolidando nos próximos 12 a 18 meses.

share save 171 16 INDE: agora vai!

IDE 2.0?

Por MundoGEO | 18h27, 29 de Janeiro de 2009

Estão rolando discussões em sites e blogs especializados sobre uma tal "NSDI 2.0", o que seria uma evolução das Infraestruturas Nacionais de Dados Espaciais. A definição de INDE ou NSDI (no caso, na versão 1.0) nos EUA consiste de dados temáticos, metadados, clearinghouses, padrões e parcerias.

Além disso, segundo a definição a NSDI deve assegurar privacidade e segurança de dados pessoais dos cidadãos, dados precisos, acesso aos dados, proteção sobre a propriedade da informação e interoperabilidade entre agências.

Hoje, múltiplos documentos relevantes estão circulando pela comunidade GIS sobre a evolução das IDEs. Autodesk, Microsoft, Oracle, Google e Intergraph divulgaram recentemente um manifesto a favor do investimento em IDE para revigorar a economia americana e mundial (A Proposal for Reinvigorating the American Economy Through Investment in the US National Spatial Data Infrastructure).

Basicamente, a diferença entre as versões 1 e 2 são apenas de enfoque. Os elementos para o sucesso da NSDI 2.0 seriam satisfazer claramente os requerimentos por dados geoespaciais, entregar os dados de forma acessível e e interoperável, independentemente de plataforma, além de realizar parcerias em todos os níveis (federal, estadual, local/tribal, academia e indústria).

share save 171 16 IDE 2.0?
  • Eduardo Freitas
    @eduardo
    engenheiro cartógrafo, técnico em edificações, editor do mundogeo, pai do rafael e da julia, marido da luciana, corredor (quando dá tempo)

    engenheiro cartógrafo, técnico em edificações, editor do mundogeo, pai do rafael e da julia, marido da luciana, corredor (quando dá tempo)